Hoje todas as decisões do bp Ultimate Rally-Raid Portugal em Alcácer e Grândola

Estimated read time 7 min read

Grândola

António Maio é o primeiro português a vencer no bp Ultimate Rally-Raid Portugal. João Ferreira ganha tempo a Nasser Al-Attiyah

O motard português António Maio foi o grande herói da penúltima etapa do bp Ultimate Rally-Raid Portugal, a terceira prova do calendário do Campeonato do Mundo de Rally-Raid.

Totalmente disputada na Estremadura espanhola, a especial terminou com João Ferreira a aproximar-se do líder e cinco vezes vencedor do Dakar, Nasser Al-Attiyah, que ainda assim parte para os arenosos 100 quilómetros da derradeira etapa em boa posição para assegurar a vitória. Tosha Schareina também continua líder nas motos.

Amanhã, os concelhos de Grândola e de Alcácer do Sal prometem ser invadidos por uma multidão de entusiastas. É a derradeira oportunidade para verem muitas das estrelas que têm feito a história mais recente do Dakar, como Carlos Sainz, Nasser Al-Attiyah, Sébastien Loeb, nos carros, ou Ross Branch, Adrien van Beveren, Pablo Quintanilla, Skyler Howes, nas motos; ou ainda portugueses como João Ferreira, Armindo Araújo, António Maio e Bruno Santos, que têm rivalizado com os melhores do mundo.

“os concelhos de Grândola e de Alcácer do Sal prometem ser invadidos por uma multidão de entusiastas”

Este sábado, a penúltima etapa da prova organizada pelo Automóvel Club de Portugal (ACP) foi cumprida do outro lado da fronteira. Um percurso de 208 quilómetros cronometrados, desenhado a sul da cidade espanhola de Badajoz.

João Ferreira a 2m41s de Nasser Al-Attiyah. Pódio em aberto

À partida da derradeira etapa e quase 1.000 quilómetros ao cronómetro depois, escassos 2m41s separam Nasser Al-Attiyah (Prodrive) de João Ferreira (Mini), os dois primeiros classificados da classificação. Hoje, o português foi o quinto mais rápido da especial, recuperando 1m58s ao piloto do Catar. “Conseguimos imprimir um ritmo forte e ganhar tempo ao Nasser, que é o nosso adversário direto. Por outro lado, a vantagem que temos para o Carlos não é nada… porque é o Carlos Sainz! Mas estou muito contente”, resumiu o leiriense.

Já Nasser Al-Attiyah, o oitavo mais rápido do dia, admitiu: “Abrimos a estrada e tentámos não perder muito tempo. Por isso, foi um dia OK e estamos satisfeitos por terminar a etapa sem problemas. Vamos ver como será amanhã.”

Com o quarto melhor do tempo, Carlos Sainz ascendeu ao derradeiro lugar do pódio, a escassos 59 segundos do colega de equipa da Mini, João Ferreira. O espanhol, bicampeão do mundo de ralis e quatro vezes vencedor do Dakar, afirmou “Foi um bom dia. Atacámos o máximo que era possível.”

Uma excelente luta em perspetiva, também com a companhia de Lucas Moraes. O brasileiro parte para a derradeira etapa de amanhã a apenas oito segundos de Sainz. Hoje, o piloto da Toyota reconheceu: “Especial bem legal, com menos água. Deu para andar bem. Claro que estamos na disputa pelo top 3 da geral, portanto não dá para exagerar. Vamos lá acelerar amanhã!”

Sem hipóteses de lutar por um lugar no pódio, Yazeed Al-Rajhi ocupa o 5º lugar da geral, tendo hoje somado importantes pontos para o W2RC, com a vitória na etapa. “Andámos 40 quilómetros a tentar ultrapassar outro piloto, que nunca facilitou a manobra. Quando finalmente conseguimos, aumentámos o ritmo e conseguimos ganhar a especial.”

Entre os Challenger, nova vitória de Rokas Baciuška, com o lituano a beneficiar de uma penalização de 5 minutos atribuída a Ghislain de Mévius. O piloto do Can-Am é o atual sexto classificado da geral e o líder da categoria, perseguido pelos portugueses Armindo Araújo e Ricardo Porém, ambos em Can-Am.

O jovem sul-africano Saood Variawa (Toyota) foi um dos primeiros a marcar o ritmo na categoria Ultimate, mas foi penalizado por três infrações por excesso de velocidade no terceiro dia. Os Comissários Desportivos decidiram impor uma penalização de duas horas e uma desclassificação suspensa, desde que não houvesse mais infrações, mas o sul-africano decidiu abandonar antes da partida, na sequência de problemas mecânicos.

Já João Monteiro aumentou a liderança nos SSV e manteve o 14º lugar da geral. Ainda na categoria, referência para os pilotos inscritos em W2RC, com o espanhol Ricardo Ramilo a continuar a ocupar o segundo lugar e a liderança no W2RC, depois dos problemas técnicos do líder do campeonato, Yasir Seaidan, na sexta-feira.

Vitória do português António Maio e Tosha Schareina reforça liderança

Nas motos, António Maio (Yamaha) estreou-se a vencer numa etapa do W2RC e tornou-se no primeiro português a vencer uma etapa do bp Ultimate Rally-Raid Portugal. O militar da GNR assumiu a liderança nos derradeiros quilómetros da especial, triunfando com 28 segundos de vantagem para o francês Adrien van Beveren. “Adorei o percurso. Nunca tinha andado em Espanha, mas foi uma etapa fantástica, rápida e escorregadia, ao meu gosto.

Fiz uma boa escolha de pneus, andei sempre rápido, sem correr riscos e não cometi erros.” Uma vitória importante também para a Yamaha, que não vencia uma etapa desde o Abu Dhabi Desert Challenge, em 2021, por intermédio de Adrien van Beveren.

Challenge, em 2021, por intermédio de Adrien van Beveren.

Mas se António Maio foi o herói do penúltimo dia da prova do Campeonato do Mundo de Rally-Raid,

Tosha Schareina (Honda) foi o grande beneficiado da etapa. Apesar de ter sido o quinto mais rápido do setor seletivo, o espanhol aumentou para 4m33s a vantagem para o segundo classificado, que lhe permite encarar o dia de amanhã com relativa tranquilidade.

“No início foi muito bom. Nos primeiros 100 km estávamos a liderar, mas depois disso, os pneus ficaram completamente destruídos e limitei-me a sobreviver nos últimos 150 km!”

O português Bruno Santos (Huskvarna) voltou a estar em evidência: estabeleceu o terceiro melhor tempo, conservou idêntica posição à geral e, mais importante do que isso, reforçou a liderança entre os Rally2. “Acho que ninguém estava à espera de um terreno tão abrasivo porque ao final de 100 km já não tínhamos ‘pneu’ traseiro. Acho que fiz uma boa segunda parte da etapa, que era mais ao meu estilo.”

O americano Skyler Howes (Honda) foi o quarto mais rápido do dia, à frente de Tosha Schareina (Honda), Bradley Cox (KTM) e de Sebastian Bühler (Hero), que manteve a vice-liderança entre as motos. “Foi uma etapa difícil, porque ao fim de 100 quilómetros os pneus estavam praticamente acabados.

Tive de gerir bem a mousse dos pneus para conseguir terminar. Em alguns pontos, foi quase como um passeio de domingo”, sublinhou o luso-alemão.

Entre os Rally3, Gonçalo Amaral (Honda) voltou a impor-se à concorrência, reforçando a liderança da categoria.

Já entre os quads, Kamil Wisniewski foi a surpresa. O polaco venceu a etapa, beneficiando dos problemas de que foi vítima Manuel Andujar, e assumiu a liderança da categoria, com uma vantagem de 5min 49s sobre o francês Gaetan Martinez.

Hoje, é o dia de todas as decisões do bp Ultimate Rally-Raid Portugal. A última etapa é disputada em dois setores seletivos.

O primeiro, de 98,18 quilómetros, é 90 por cento percorrido em estradões de areia rápidos, enquanto o segundo, com 3,05 quilómetros de extensão, é literalmente disputado ao lado do Parque de Feiras e Exposições de Grândola.

Uma especial-espetáculo que vai consagrar os vencedores e onde são esperados milhares de espetadores, com transmissão direta pelo canal SportTV, a partir das 12h15.

AS MAIS IMPORTANTES DO DIA