Últimas:
Átoa, grupo de Évora, lança novo Single. Oiça aqui. – RÁDIO TDS
Siga-nos

Música

Átoa, grupo de Évora, lança novo Single. Oiça aqui.

A canção marca um regresso da banda eborense às origens e aos corredores da Universidade de Évora

Publicado

em

Átoa

Novo trabalho já editado

‘Romance de Balcão’ é o novo single dos ÁTOA e já está disponível em todas as plataformas digitais. A canção marca um regresso da banda eborense às origens e aos corredores da Universidade de Évora, já em idade adulta, revisitando o ambiente universitário das Tunas, amigos e amores dos tempos de faculdade.

Nas palavras do próprio grupo, ‘Romance de Balcão’ é “sobre a vida de um estudante universitário. É um tema em que exploramos a liberdade dessa fase intensa, as saídas à noite com os amigos e colegas de faculdade e os primeiros amores”.

O single conta com a participação do Grupo Académico Seistetos, uma das mais populares Tunas Académicas de Évora, fundado em 1992. A canção apresenta uma sonoridade pop eletrónica, que a banda funde com o som tradicional das Tunas Universitárias e antecipa o próximo EP dos ÁTOA, com lançamento previsto para maio.

Com letra e música da autoria de João Direitinho e Mário Monginho, produção e programação por Rodrigo Liaça e João Barbosa, ‘Romance de Balcão’ é o primeiro single a ser editado pela nova formação do trio. Os ÁTOA são compostos agora por Direitinho, Monginho e o baterista Tiago Teixeira, que integrou a banda no inicio de 2024.

O novo single é acompanhado por um videoclipe com realização a cargo de Vendinni.  O visual foi captado em Évora, entre novembro de 2023 e janeiro de 2024, durante as gravações da música e reflete a amizade e a cumplicidade entre os elementos da banda e do Grupo Académico Seistetos.

‘Romance de Balcão’ é o tema de avanço do próximo EP da banda, com lançamento previsto para maio. Este será o segundo curta duração dos ÁTOA, sucedendo a “Sem Noção”, de 2017. Do percurso do trio fazem, também, parte dois álbuns, “Idade dos Inquietos“ (2015) e “Sem Medos” (2019), e singles com airplay nas principais rádios nacionais, como ‘Hoje’, ‘Distância’ e os mais recentes ‘Super-Herói’ e ‘Drunk Again’.

O grupo

Chamam-se ÁTOA porque, no início de carreira, tudo parecia acontecer meio “à toa” e escreviam canções quando a inspiração surgia.

No entanto, estes rapazes de Évora seguiram um caminho que de aleatório nada tem.

Após terem vencido um concurso da plataforma Tradiio assinaram com uma editora e lançaram os primeiros originais e o álbum de estreia, “Idade dos Inquietos“, em 2015, que deu a conhecer temas como ‘Distância‘ e ‘Falar A Dois‘. Seguiram-se os singles ‘A Cada Passo’,‘Queria Ser’ e ‘Já Não’, incluídos no EP “Sem Noção”, de 2017. Estes temas resultaram uma digressão com mais de 200 concertos por todo o país – nomeadamente nos festivais MEO Sudoeste e MEO Marés Vivas – e a nomeação para dois Globos de Ouro, nas categorias“Artista Revelação” e “Melhor Banda” e para o “Prémio Revelação” da Rádio Nova Era.

Em 2019 lançam o segundo álbum, “Sem Medos”, com uma sonoridade mais madura e do qual fazem parte temas como ‘Hoje’, ‘Pensa Positivo’ e ‘Sem Ti’, que estabeleceram a influência dos ÁTOA tanto no espaço digital como na rádio e televisão, com os respetivos videoclipes a ganharem rotação na MTV Portugal.

Seguiram-se mais singles, como ‘Pensamento’, ‘Super-Herói’, ‘Drunk Again’ e ‘Paraquedas’, este último uma colaboração com os LUA, todos com airplay nas principais rádios nacionais e locais.

Além de comporem para outros artistas, os ÁTOA estão agora a trabalhar num novo EP, que será editado com o selo da Valentim de Carvalho. Deste novo trabalho desvendam, agora, o tema ‘Romance de Balcão’.

Continuar a ler
Publicidade

CASTRO VERDE

Ana Malhoa hoje em Castro Verde. Amanhã os DAMA.

Espetáculos incluidos no Festival Sabores do Borrego

Publicado

em

Castro Verde

Festival Sabores do Borrego

Está a decorrer mais uma edição do Festival Sabores do Borrego, um dos momentos mais aguardados do ano e ponto de encontro para a comunidade rural e visitantes de vários pontos do país.

Hoje é a vez de Ana Malhoa.

Com mais de 30 anos de carreira, centenas de espetáculos e múltiplos êxitos, ANA MALHOA é considerada a cantora mais camaleónica de Portugal. Na noite de hoje, a “la bomba latina” portuguesa sobe ao palco do Festival Sabores do Borrego 2024 para um espetáculo onde interpretará alguns dos seus maiores sucessos como “Sube la Temperatura”, “Encaixa, Baby, Encaixa”, “Que Viva La Vida” ou “Tá Turbinada”.

O último dia do Festival Sabores do Borrego 2024, sábado, dia 30, encerra com os D.A.M.A, grupo composto por Francisco M. Pereira (Kasha), Miguel Coimbra e Miguel Cristovinho, que se destaca pelas suas canções contagiantes, empatia com o público. Em Castro Verde o grupo interpretará alguns dos êxitos da sua carreira, como “Às Vezes”, “Oquelávai”, “Não Dá”, “Era Eu” e “Balada do Desajeitado”, mas também os temas “Casa”, gravado em parceria com Buba Espinho, e “Loucamente”, editado em colaboração com “Los Romeros”.

Paralelamente aos Concertos, Manel João (6ª feira) e Tomás Faísca (sábado), trarão os ritmos quentes do quizomba, da música popular e brasileira para dançar pela noite fora.

O Festival Sabores do Borrego é uma iniciativa da Câmara Municipal de Castro Verde, em parceria com a Associação de Agricultores do Campo Branco e o Campo Branco – Agrupamento de Produtores Agroecuários, e conta com o patrocínio da Caixa Agrícola de Aljustrel e Almodôvar.

Continuar a ler

Música

Já conhece o novo trabalho dos Adiafa?

“Fui Criado Com Coisas Roubadas”

Publicado

em

Adiafa

“Fui Criado Com Coisas Roubadas”

“Fui Criado Com Coisas Roubadas” é o primeiro single do nosso novo álbum com o mesmo título.

A canção retrata as memórias de velhos antigos onde a pobreza atingia grande parte da população portuguesa.

Este vídeo abre caminho até dia 10 de março, data em que passará a estar disponível na integra o oitavo álbum de estúdio. = Convidado especial Norton Daiello (Baixo).

Continuar a ler

Música

40 anos do Grupo Sol do Torrão e homenagem a Manuel Charrua

Espetáculo dia 16 de dezembro

Publicado

em

Torrão, Alcácer do Sal

Homenagem e aniversário

Vai decorrer um espetáculo no próximo dia 16/12 pela 21h na Sociedade 1.º de Janeiro Torranense que irá assinalar as 4 décadas do Grupo Sol do Torrão.

Trata-se de um espetáculo de comemoração dos 40 anos de existência do Grupo Sol do Torrão e de homenagem ao falecido vocalista Manuel Charrua.

Continuar a ler

Agenda

Évora tem o 1º Festival Internacional de Orgão com 11 concertos.

25 NOV. sáb. 18H00 S. FRANCISCO
4 ÓRGÃOS: João Vaz, Sérgio Silva, André Ferreira e Beatriz Resendes :: CAPELLA DE S. VICENTE: direcção de Pedro Rodrigues

Publicado

em

Évora

Próximo concerto é no próximo sábado

O 1º Festival Internacional de Órgão de Évora – FIOE surge na sequência do avultado investimento feito na recuperação dos órgãos históricos pela igreja de S. Francisco, Sé de Évora e igreja do Espírito Santo.

O festival pretende ser um grande evento, em que todos os órgãos serão tocados por organistas de carreira sólida e de referência internacional e nacional, bem como divulgar o trabalho de jovens organistas com a possibilidade de manifestar a qualidade da sua arte. Irão ser escritas novas obras para os 4 órgãos de S. Francisco, pois o repertório para este tipo de agrupamento é escasso.

Os concertos, no total de onze, serão a solo ou com os mais diversos conjuntos vocais e instrumentais. Pretende ainda dar a conhecer o trabalho dos músicos que profissionais ou amadores, exercem a sua atividade localmente ou que de Évora são naturais.

Os concertos vão decorrer ao longo de aproximadamente um ano com início a 15 de outubro de 2023 e término a 14 de julho de 2024. Este é o festival que mais puramente se relacionará com a cultura do património material e imaterial de Évora.

O PROGRAMA

25 nov. sáb. 18H00 S. Francisco 4 ÓRGÃOS :: João Vaz, Sérgio Silva, André Ferreira, Beatriz Resendes :: CAPELLA DE S. VICENTE: direcção de Pedro Rodrigues
03 dez. dom. 17H00 Espírito Santo Alice Rocha, órgão
24 fev. sáb. 18H00 S. Francisco 4 ÓRGÃOS :: Rui Soares, Paulo Bernardino, João Santos, Ricardo Toste
14 abr. dom. 18H00 Capela de S. JoãozinhoJoana Godinho, canto :: Rafael dos Reis, harmónio
05 mai. dom. 18H00 S. Francisco ENSEMBLE RÉGIO: Rafael dos Reis, órgão; David Brutti, corneta; Gabriele Toscani, violino; Marta Cansado e Joana Timóteo, canto
26 mai. dom. 17H00 Espírito  Santo Johann Vexo, órgão 9 jun. dom.
18H00 Sé de Évora Inauguração do órgão Barroco Lorenzo Ghielmi, órgão
16 jun. dom. 18H00 S. Francisco Gian Vito Tannoia, acordeão :: Rafael dos Reis, órgão
30 jun. dom. 18H00 Sé de Évora Ramón Pérez-Sindín Blanco, órgão
14 jul. dom. 17H00 Espírito Santo Alice Rocha, órgão :: Erika Maschke, oboé e corne inglês

OS ÓRGÃOS HISTÓRICOS

Construídos entre os séculos XVI e XIX, e com uma história que abrange 322 anos, os órgãos da cidade de Évora têm reconhecimento nacional e internacional.  A nível nacional, Évora assume extraordinária importância ao possuir o mais antigo conjunto de dois órgãos da Europa que datam de 1562 e que se encontram na Sé, um deles recuperado.
Existem também órgãos da escola Hamburguesa de Arp Schnitger que datam de final do século XVII e primeira metade do século XVIII, da autoria de Hulenkampf. A cidade tem ainda um dos mais importantes conjuntos de órgãos do genovês Pascoal Caetano Oldovino, construídos para as mais significativas igrejas da cidade e reunidos na igreja de S. Francisco. Por fim um órgão romântico francês de Aristide Cavaillé-Coll de 1884, que se encontra na Igreja do Espírito Santo.
As instituições responsáveis pelos instrumentos, têm feito um investimento necessário e significativo para conservar e recuperar os órgãos. A Igreja de S. Francisco entre 2018 e 2022 recuperou os quatro instrumentos da sua responsabilidade, criando um espaço onde pela primeira vez no Alentejo se podem escutar quatro órgãos do mesmo organeiro, em conjunto.  O Cabido Eborense executou uma obra de conservação necessária no órgão renascentista e restaurou o órgão barroco.
Mais recentemente a igreja do Espírito Santo restaurou o seu instrumento romântico de Cavaillé-Coll, num trabalho de resultado primoroso e brilhante. Todos os restauros foram feitos por organeiros com as mais altas competências internacionais e especialistas nas especificidades da época de cada um dos instrumentos.

Continuar a ler

Música

Morreu a ‘menina’ de ‘Chamar a música’.

Sara Tavares faleceu este domingo, em Lisboa.

Publicado

em

Sara Tavares morreu, este domingo, no hospital da Luz, em Lisboa.

A cantora e compositora tinha 45 anos

Há mais de uma década que tinha sido diagnosticada com um tumor no cérebro.

A carreira de Sara Tavares começou com a vitória na final da primeira edição do programa da SIC Chuva de Estrelas(1994) com um tema de Whitney Houston.

Mas foi o Festival da Canção da RTP com o tema “Chamar a Música”,  que lhe abriu as portas à Eurovisão – conquistando o oitavo lugar.

Dois anos depois, em 1996, Sara Tavares estreou-se com o álbum “Sara Tavares & Shout!”.

Nas duas décadas seguintes, Sara Tavares editou vários álbuns que a aproximaram das raízes cabo-verdianas, com destaque para “Balancê” (2005), que lhe valeu um disco de platina e uma nomeação como Artista Revelação as prémios BBC Radio 3 World Music.

Em 2009, Sara Tavares foi obrigada a interromper a carreira devido ao diagnóstico de um tumor no cérebro. Mas a luta prolongou-se e a cantora acabou por voltar à musica.

Em 2011, recebeu Prémio de Melhor Voz Feminina nos Cabo Verde Music Awards e no ano seguinte deu continuidade à digressão internacional “Xinti”, título do álbum editado em 2009, que lhe valeu o Prémio Carreira do África Festival na Alemanha.

Em 2018 esteve nomeada para os Grammy Latino com o quinto álbum, “Fitxadu” (2017), no qual aprofundou a relação com a música cabo-verdiana, contando com Manecas Costa, Nancy Vieira, Toty Sa’Med e Kalaf Epalanga entre os convidados.

As mensagens

O Presidente da República deixou uma mensagem à família de Sara Tavares. “Manifesto a minha tristeza e o reconhecimento pela sua vocação, dedicação e determinação”, lê-se no comunicado.

Marcelo Rebelo de Sousa recorda a portuguesa de origem cabo-verdiana, que manteve sempre forte ligação aos seus pares, em diversas colaborações e homenagens, e grande proximidade à música e aos músicos africanos.

Catarina Furtado escreveu na sua página do Instagram: “As lágrimas que me correm são de um amor eterno. Ouçam-na. A sua música. As suas palavras. A sua doçura. Guardem o seu mistério. Para sempre, Sara.”

O programa “The Voice Portugal” , esta noite, na RTP 1, prestou uma singela homenagem a Sara Tavares com os 4 júris a interpretarem o tema ‘Chamar a música’.

Nuno Guerreiro, vocalista da Ala dos Namorados, banda com a qual Sara Tavares cantou “Solta-se o Beijo”, também prestou homenagem à cantora nas redes sociais com a publicação da foto da cantora.

Marisa Liz lembrou o “brilho e a luz” Sara Tavares. “Estive juntas algumas vezes na vida e na música. Guardo bem dentro do meu peito as vezes que cantámos juntos.”

A historiadora e ex-deputada Joacine Katar Moreira reagiu na rede social X: “Uma luz para todas nós, meninas negras. Todas nós vimos na tua figura brilhante e potente como nunca tinha acontecido. Serás para sempre esse brilho que nos trouxeste. Essa voz de ouro que contrastava com uma vida difícil”.

Continuar a ler

Música

MISO MUSIC com poesia em Odemira

Espetáculo de New Ópera: A Vida é Sempre Preferível ou o Monólogo do Sal para lhe Completar a Medida

Publicado

em

Odemira

Espetáculo de New Ópera: A Vida é Sempre Preferível ou o Monólogo do Sal para lhe Completar a Medida

No dia 25 de novembro, pelas 21.30 horas, a Miso Music Portugal apresenta no Cineteatro Camacho Costa, em Odemira, o espetáculo de New Ópera: A Vida é Sempre Preferível ou o Monólogo do Sal para lhe Completar a Medida, no âmbito da programação desenvolvida no concelho em parceria com o município.

Detentor de uma poderosa voz e de uma presença cénica emblemática, neste espetáculo de poesia sonora de Miguel Azguime, o compositor, o poeta e o performer voltam a reunir-se num só a solo, “para uma nova incursão pela palavra enquanto música e pela música enquanto palavra”. Este projeto é um “work in progress à procura de um novo devir, regresso à palavra e às suas transformações eletrónicas, reflexão sobre o homem e o mundo, onde a vida é sempre o caminho e o lugar preferível”.

Miguel Azguime é uma figura ímpar da criação portuguesa, que se distingue pela sua versatilidade enquanto compositor, intérprete e poeta. Fundou com Paula Azguime o duo de flauta e percussão Miso Ensemble. Paralelamente à sua atividade criativa, dedicou-se à promoção e difusão musical, tanto como fundador da Miso Music Portugal, como diretor artístico da editora Miso Records e do Festival Música Viva, e ainda como fundador do Miso Studio e do Sond’Ar-te Electric Ensemble.

As entradas são gratuitas.

Continuar a ler

ARRAIOLOS

Festival Terras sem Sombra com música, património e biodiversidade, em Arraiolos

Também decorrem actividades dedicadas ao Património e à Biodiversidade.

Publicado

em

Duo Hosp-Palier

Arraiolos

Festival Terras sem Sombra

Também a 11 decorrem actividades dedicadas ao Património, revisita um importante traço de união das gentes e uma poderosa marca de identidade em Santana do Campo: “Herança Comunitária: Jogos Tradicionais e Património Imaterial”

Irá decorrer igualmente uma acção sobre a preservação dos ambientes naturais convida, a 12 de Novembro a conhecer de perto as margens da ribeira de Divor e os velhos moinhos aí existentes, uma oportunidade para contactar de perto com a flora e a
fauna locais.

Todas as actividades são de acesso gratuito.

Veja com mais pormenor:

Arraiolos (11 e 12 de Novembro de 2023)

MÚSICA
Arraiolos, 11 de Novembro, 21h30 • Local: Igreja da Misericórdia

DUO HOSP-PALIER
Guitarra Melanie Hosp
Guitarra Florian Palier

Programa – “O Dia e a Noite: Música Para Duas Guitarras”

Enrique Granados [1867-1916]
Valses Poéticos
Hugo González [1968-]
Salmo: Prelude
Astor Piazzolla [1921-1992]
Tango Suite
I. Tango 2
II. Tango 1
Radamés Gnattali [1906-1988]
Retratos (Suite)
II. Ernesto Nazareth (Valse)
III. Anacleto de Medeiros (Schottisch)
IV. Chiquinha Gonzaga (Corta Jaca)
Florian Palier [1987-]
Postfaktische Fuge (Fuga Pós-factual)

BIOGRAFIAS

Melanie Hosp, Guitarra Considerada uma promissora artista no panorama da guitarra, nasceu em Außerfern (Tirol). Vive presentemente em Viena. Do seu percurso académico, concluído com distinção, importa salientar as aulas com Michael Andreas Haas e Stefan Hackl, no Conservatório do Tirol, em Innsbruck, e com

Álvaro Pierri, na Universidade de Música e Artes Performativas de Viena. É professora na Escola de Música de Linz desde 2013.

Do seu percurso profissional, sublinhe-se as actuações como solista em várias formações na Áustria e no estrangeiro, designadamente na China, Taiwan, Líbano e República Checa. Com o seu primeiro álbum a solo, Cómo el Agua, lançado em 2015, a intérprete move-se entre os mundos da música clássica, latino-americana e jazz.

Em complemento à formação académica, foi bolseira da Fundação Dr. Robert e Lina Thyll Dürr e membro do Programa de Apoio “Live Music Now”, fundado por Yehudi Menuhin. Frequentou masterclasses com Sérgio Assad, Paul O’Dette, Hopkinson Smith e Pavel Steidl, entre outros.

Já triunfou em diversos concursos e prémios nacionais e internacionais. Florian Palier, Guitarra Guitarrista e compositor, cresceu no seio de uma família de músicos. Estudou desde cedo com o pai, Johann Palier e, mais tarde, com Marco Diaz Tamayo. Em 2015, formou-se com distinção, sob a orientação de Álvaro Pierri, na Universidade de Música e Artes Performativas de Viena. Ensina

Florian Palier, Guitarra Guitarrista e compositor, cresceu no seio de uma família de músicos. Estudou desde cedo com o pai, Johann Palier e, mais tarde, com Marco Diaz Tamayo. Em 2015, formou-se com distinção, sob a orientação de Álvaro Pierri, na Universidade de Música e Artes Performativas de Viena.

Ensina nesta instituição, no Conservatório Johann-Joseph-Fux (Graz) e na Universidade de Klagenfurt. Como compositor, intérprete e improvisador, enfatiza a inclusão de diferentes mundos musicais.

Entre as suas maiores influências, cabe referir Olivier Messiaen, Toru Takemitsu e Allan Holdsworth. Enquanto solista e músico de câmara, é amiúde convidado para dar concertos em todo o mundo. Tem encantado com a interpretação do Concierto de Aranjuez e com os programas a solo Poetry and Colours e Bach and I.

Venceu numerosos concursos na Áustria e além-fronteiras, incluindo o Anna Amalia Competition, em Weimar, e o Festival Internacional de Guitarra, em Kutna Hora.

O crítico musical austríaco Ernst Naredi-Rainer escreveu sobre Florian Palier: “actua como um narrador cativante. Para além de um temperamento vivo, também domina a arte de mergulhar na tristeza”.

PATRIMÓNIO CULTURAL
Santana do Campo, 11 de Novembro, 15h00 • Ponto de encontro: Igreja de Santana do Campo Actividade orientada por: José Manuel Pinto (coordenador técnico)

Herança Comunitária: Jogos Tradicionais e Património Imaterial

Na sua acção dedicada ao Património, o TSS reaviva um elemento da vida social, os jogos tradicionais, na sua componente de património imaterial. “Herança Comunitária: Jogos Tradicionais e Património Imaterial” é o título da acção orientada por José Manuel Pinto, grande conhecedor desta herança, a que ajudou a imprimir nova vida. Os participantes são convidados a participar activamente num trabalho de vivências e memórias encetado pela Associação Unidos de Santana do Campo.

Executados recorrendo a diversos materiais e de forma rudimentar, os jogos tradicionais (e os respectivos brinquedos) correspondem a práticas antigas de ocupação do tempo, nos largos, junto às tabernas ou mesmo no seu interior, sendo utilizados por crianças e adultos. Oportunidade para contactar de perto, entre outros, com o jogo da china, o jogo do chinquilho, o jogo da ferradura, o jogo do 31, o jogo das latas, o jogo do burro e o jogo do botão ou os famosos carrinhos de rolamentos.

BIODIVERSIDADE
Arraiolos, 12 de Novembro, 9h30
Ponto de encontro: Jardim Público (Praça da República)
Actividade orientada por: Gonçalo Elias (ornitólogo) e José Mira Potes (professor do Instituto
Politécnico de Santarém)

Entre Pedras e Pedrinhas: A Ribeira de Divor

A acção dedicada à Biodiversidade convida os participantes a conhecerem as margens deste trecho de água, fonte de vida e sustentáculo de milenares práticas agrícolas que marcaram a paisagem.

A ribeira de Divor, pertencente à bacia hidrográfica do Tejo, nasce na freguesia de Igrejinha, concelho de Arraiolos, e desagua no rio Sorraia, concelho de Coruche. Possui uma barragem, que forma a albufeira de Divor, em território arraiolense. No entorno do curso de água, salienta-se a presença de sobreiros e azinheiras, também de freixos, carvalhos negrais e medronheiros.

A lontra, a garça-real, a cegonha, o abutre, a raposa, o coelho-bravo, a lebre, o faisão, o veado e o javali, entre outros exemplos de fauna bravia, povoam as margens da ribeira. Sobressaem também aqui históricas azenhas e as velhas estações e pontos de apoio do ramal.

Continuar a ler

destaque

Em Évora, a 5a edição do Artes à Rua teve muita chuva e 8000 espectadores

Publicado

em

Évora

Com chuva, o Artes à Rua abrigou 8000 pessoas

Entre 5 e 10 de Setembro, o Artes à Rua contagiou vários locais da cidade de Évora. Uma iniciativa que completou a sua quinta edição e que terminou ontem. Durante os dias festivos, eborenses e forasteiros puderam contar com 38 espetáculos que abordaram a descolonização do pensamento e a igualdade do género.

Depois de uma onda de calor, o evento que convida as pessoas a sair para as principais artérias da cidade de Évora teve o azar de ser apadrinhado pelo mau tempo. Dadas as condições meteorológicas, o palco principal do Festival foi a Arena de Évora. Para lá, saltaram artistas que representaram músicas oriundas dos quatro cantos do mundo. No último dia, Domingo, o espectáculo São Jorge Batido, de Jonas, esgotou a lotação do Teatro Garcia de Resende e a seguir foi a vez dos concertos na Arena d’Évora, que encerraram a programação durante a noite, com a apresentação de Monda e Ghorwane.

Um cruzamento de culturas que registou uma afluência de 8000 visitantes.

Para o ano há mais.

Continuar a ler

Agenda

Fado, Cante e Flamenco na vila de Cabrela

Sara Correia, Luís Trigacheiro, o Coro participativo de cante alentejano, a Companhia Barcelona Flamenco Ballet e Duquende, entre
outros artistas, compõem o cartaz do festival.

Publicado

em

Cabrela

Alentejo World Heritage Festival

A Vila de Cabrela, a pouco mais de uma hora de Lisboa, prepara-se para acolher um festival que homenageia as três heranças musicais da Península Ibérica reconhecidas pela UNESCO.

A vila alentejana de Cabrela já está em contagem decrescente para a primeira edição do “Alentejo World Heritage Festival”, um evento único que acontece nos dias 25, 26 e 27 de agosto no concelho de Montemor-o-Novo.

Ao longo destes três dias, a vila será o palco perfeito para um diálogo muito especial entre as três principais tradições musicais da Península Ibérica reconhecidas como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO: o
cante alentejano, o fado e o flamenco.

A fadista portuguesa Sara Correia, Luís Trigacheiro (cante alentejano), o Coro participativo de cante alentejano, a Companhia Barcelona Flamenco Ballet e Duquende (considerado um dos cantores de flamenco mais conceituados), entre
outros artistas, compõem o cartaz do festival.

O ponto alto deste festival, que acontece a pouco mais de uma hora de Lisboa, será no dia 26 de agosto, numa deslumbrante seara, com o pôr do sol como pano de fundo.

O concerto “Cante Alentejano, Fado e Flamenco numa seara alentejana” está marcado para as 19h30 e junta, em palco, Sara Correia, Luís Trigacheiro, Duquende, a companhia Barcelona Flamenco Ballet, o Trio de Daniel Bernardes, Os Músicos do Tejo, o grupo coral Fora d’Oras e o Coro Participativo de Cante de Cabrela.

Este é um evento que pretende contribuir para uma maior oferta cultural de excelência num território de baixa densidade populacional, como é a Vila de Cabrela, que conta já com um histórico de um conjunto de iniciativas culturais marcadas pela surpreendente adesão por parte da comunidade local.

Agenda de 21 a 25 de agosto

Workshop de Cante Alentejano: A comunidade de Cabrela é convidada a participar num workshop de Cante Alentejano dinamizado pelo Grupo Coral Fora D’oras.

25 de agosto
22h00: Serão de “Cante ao Luar de Cabrela” e Celina da Piedade
Nesta noite muito especial, os habitantes de Cabrela, reunidos no Coro Participativo de Cante de Cabrela, são convidados a juntar-se ao Grupo Coral Fora d’Oras. Este concerto resulta do workshop desenvolvido durante a semana pelos próprios
habitantes de Cabrela. Concerto por Celina da Piedade.

26 de agosto
19h30: Concerto de Fado, Flamenco e Cante Alentejano
Com Sara Correia, Luís Trigacheiro, Duquende, companhia Barcelona Flamenco Ballet, Trio de Daniel Bernardes, Os Músicos do Tejo, grupo coral Fora d’Ouras e o Coro Participativo de Cante de Cabrela.

22h00: Serão de “Fado Cabrela”
O Largo Pascoal Coelho acolhe a homenagem aos 35 anos de carreira do cantor João Paulo Marques.

27 de agosto
11h00: Workshop de flamenco
Com os guitarristas e bailarinos da companhia Barcelona Flamenco Ballet

19h00: Missa flamenca
Com os guitarristas e cantores da companhia Barcelona Flamenco Ballet. O evento é promovido pela associação Égide – Associação Portuguesa das Artes,em coorganização com a associação Lar Doce Ler e apoio institucional e logístico da
Câmara Municipal de Montemor e da Junta de Freguesia de Cabrela.

Continuar a ler

Música

Morreu a cantora brasileira Rita Lee

Publicado

em

Ficou conhecida por fazer parte da banda de rock psicadélico Os Mutantes, nos anos 60

Era conhecida como a “rainha” do rock brasileiro”

Morreu na noite passada em São Paulo, aos 75 anos, a cantora brasileira Rita Lee, conhecida como a rainha do rock brasileiro.

Rita Lee era considerada uma das maiores cantoras e compositoras da história do Brasil.

Em 2021, a cantora foi diagnosticada com cancro do pulmão.

A notícia foi confirmada na manhã  de hoje, através de um comunicado partilhado nas redes sociais oficiais da cantora.

“Mania de Você”, “Lança-Perfume”, “Jardins da Babilônia”, “Doce Vampiro”, “Baila Comigo” “Desculpe O Auê”, “Flagra”, “Baby” e tantas outras canções, ficam marcadas um pouco por todo o mundo.

Continuar a ler

ARRAIOLOS

Eco Festival, música em ambiente de aldeia

No concelho de Arraiolos

Publicado

em

Aldeia da Serra, Arraiolos

Eco Festival

O Eco Festival vai acontecer durante o mês de março.

A Aldeia da Serra, em pleno montado, dona de uma natureza íntegra é um local inigualável, quiça único e por isso eleito para receber este evento promovido pela Câmara Municipal de Arraiolos, com o apoio da União das Freguesias de S. Gregório e Santa Justa e da Sociedade Recreativa da Aldeia da Serra.

Num dos pontos mais elevados do concelho, onde é possível contemplar o voo deslizante das aves,  observando-as num plano superior, em cada um dos seus movimentos.

Ora o planar das espécies rapinantes e solitárias, ora o voo rápido dos que voam em bando, conforme cada época do ano.

De encontros com o meio envolvente e os seus sons, a música e as pessoas se faz este Eco Festival.

Visite a Aldeia a Serra e viva a plenitude do lugar.

Continuar a ler

Música

Carminho em entrevista à TDS

Apresenta o seu novo trabalho.

Publicado

em

Álbum ‘Portuguesa’

Carminho em entrevista

A fadista Carminho, lançou no passado dia 3 de Março o seu novo álbum “Portuguesa”, onde canta fados clássicos mas também originais.

São 14 temas alguns com letra e música da sua autoria e de outros autores.

Em entrevista à TDS, a fadista refere que ” faz os discos porque está a praticar o fado, cantar continuar fazer repetidamente procura de poemas e músicas de fados tradicionais, isso tem a ver sempre com a pratica do fado.”

Uma entrevista, de Sónia Soares, para ouvir amanhã na emissão da manhã na TDS.

Continuar a ler

Música

Miguel Moura lança o seu primeiro álbum em Moura

Intitulado “Quem Sou Eu”, o trabalho pretende ser uma viagem pelas raízes do jovem artista.

Publicado

em

Cine teatro Caridade

Miguel Moura lança o seu primeiro álbum em Moura

O cantor mourense Miguel Moura prepara-se para fazer o lançamento do seu primeiro álbum de originais.

Intitulado “Quem Sou Eu”, o trabalho pretende ser uma viagem pelas raízes de Miguel Moura, pela sua transformação enquanto homem e pelos “sacrifícios” feitos pelo sonho de cantar, como aliás retrata o seu primeiro single “Tenho de Abalar”.

Este álbum, que toca o fado mas também a música pop ligeira, inclui temas já conhecidos do público com “Amor Maior”, “Andei Sozinho”, “Nossa Senhora do Carmo” e ainda uma versão do tema “Para os Braços da Minha Mãe”, de Pedro Abrunhosa.

O lançamento do primeiro álbum de originais de Miguel Moura será realizado em Moura, no Cine-Teatro Caridade, dia 18 de março, pelas 21:30 e irá contar com apresentação de Jorge Gabriel.

A entrada é gratuita, no entanto sujeita a reserva antecipada, devido à limitação de lugares.

Assim, os interessados poderão fazer a sua reserva pelo telefone 285 250 460, ou no próprio dia, a partir das 19:30, na bilheteira do Cine-Teatro Caridade, podendo cada pessoa solicitar um máximo de duas entradas.

Continuar a ler

Últimas

x
error: O conteúdo está protegido!!