Exposição ‘Mar Interior’ na Galeria Municipal de Montemor-o-Novo

Estimated read time 2 min read

Montemor-o-Novo

Quando Jacira da Conceição trabalha o barro deixa que o seu corpo se invada de ancestralidade

Está patente até 17 de junho, na Galeria Municipal de Montemor-o-Novo, a exposição “Mar Interior”, da cabo-verdiana Jacira da Conceição.

Jacira da Conceição, que vive e trabalha em Montemor-o-Novo, desde 2017.

Na cultura cabo-verdiana a cerâmica é uma prática de mulheres. Quando Jacira da Conceição trabalha o barro deixa que o seu corpo se invada de ancestralidade. “O silêncio dos gestos que dão forma, são a minha voz, o meu mar interior, que flui, que corre, que se agita, que se agiganta em carícias telúricas na orla do meu pensamento e grita”, refere a artista. No conjunto de esculturas que apresenta, explica Jacira da Conceição, “habita uma multiplicidade de espíritos. As suas bocas elevadas na direção do céu, propõem um contato com o indelével, com o abstrato, com mulheres do passado que lutaram para afirmar o direito de pertencer ao mundo, para se libertar. Estas obras, acrescentam ao meu trabalho a assimetria, o vinco, a imperfeição, a nudez e a intimidade de um abraço. Representam a minha interpretação da mulher, da sua figura enquanto humana, geralmente seguindo as curvas da coluna, ventre, cintura, cabeça ou cabelo. Além disso, e sobretudo, a sua forma de expressão é simbólica do corpo feminino. Através do gesto, da fragilidade e do próprio corpo, também ele território de muitas batalhas, eu me reinvento em silêncio. Não é por acaso que algumas esculturas têm duas ou três bocas e formas irregulares, são como silhuetas de corpos, num abraço de unidade esperando a chuva. Elas dançam, batucam, amam, vivem, são mulheres, são livres”.