Últimas:
Ações ambientais no Estuário do Sado procuram voluntários – RÁDIO TDS
Siga-nos

SETÚBAL

Ações ambientais no Estuário do Sado procuram voluntários

Ações a decorrer no concelho de Setúbal

Publicado

em

Ações ambientais no Estuário do Sado procuram voluntários

Rio Sado

Duas ações de índole ambiental, a realizar nos dias 6 e 13, no Estuário do Sado, em Setúbal, a primeira para remoção da espécie invasora chorão-das-praias e a outra de limpeza de zonas costeiras, têm inscrições abertas a voluntários.

As iniciativas, promovidas pela Associação Natureza Portugal | World Wide Fund for Nature, com o apoio da Câmara Municipal de Setúbal, da Junta de Freguesia do Sado, da Associação Baía de Setúbal e do projeto Mares Circulares, decorrem entre as 10h00 e as 12h00 e são acompanhadas de ações de literacia ambiental.

A ação de dia 6, para remoção de chorão-das-praias, dá também a conhecer o impacte desta espécie invasora no equilíbrio dos ecossistemas e a biodiversidade no Estuário do Sado, e procura divulgar e debater diferentes formas de preservação deste património natural.

Já no dia 13, a ação de voluntariado, com acompanhamento de um especialista do Programa de Oceanos e Pescas da Associação Natureza Portugal | World Wide Fund for Nature, promove a limpeza de zonas costeiras, divulga os efeitos do lixo marinho na biodiversidade marinha e mostra boas práticas de redução destes detritos.

A ação de remoção de chorão-da-praia tem inscrições abertas até hoje, a realizar em https://tinyurl.com/vamosremoverchorao, enquanto a iniciativa de limpeza costeira está à procura de voluntários até ao dia 10, com inscrições disponíveis em https://tinyurl.com/limpezasado.

O ponto de encontro para a realização de ambas as ações é no Parque de Merendas, nas imediações do Parque CEOL, na freguesia do Sado.

Continuar a ler
Publicidade

ALCÁCER DO SAL

Alcácer, Grândola e Setúbal querem a travessia do Sado mais acessível.

Os tarifários cobrados na travessia do rio Sado “podem, em algumas circunstâncias, ser mais elevados do que fazer a viagem para aquele território por autoestrada, com passagem por Alcácer e rumando depois à Comporta”.

Publicado

em

Setúbal

Setúbal, Grândola e Alcácer do Sal defenderam soluções que tornem mais acessível o acesso fluvial a Troia, incluindo a possibilidade de associar o passe Navegante à travessia.

Numa conferência de imprensa conjunta com os presidentes das câmaras municipais de Alcácer do Sal, Vítor Proença, e de Grândola, António Figueira Mendes, realizada esta manhã no Forte de São Filipe, o presidente do município de Setúbal, André Martins, defendeu a necessidade de intervenção das duas entidades numa questão de interesse nacional.

“Desde tempos imemoriais que o rio Sado é um elemento que facilita a ligação entre a Área Metropolitana de Lisboa e o Sul do país. Hoje, infelizmente, é cada vez mais uma barreira à mobilidade entre as duas margens, devido aos elevados preços praticados no transporte fluvial.”

Para os autarcas, a AML e o Governo “devem assumir as suas responsabilidades para alterar a atual situação e criar as condições necessárias de mobilidade de pessoas e bens para a península de Troia”, melhorando o acesso das populações da Área Metropolitana de Lisboa ao Litoral Alentejano.

Uma das soluções, indicou André Martins, passa pela “entrega do serviço público de transportes da travessia fluvial às entidades públicas com competências nesta matéria, como é o caso da AML”, pois este serviço “deve deixar de estar condicionado por um contrato de concessão gerido pela administração portuária”.

O autarca defendeu, igualmente, que deve equacionada a hipótese de incluir esta travessia no passe Navegante, “permitindo diminuir os custos para as populações que necessitam de atravessar, diariamente, as duas margens do Sado”.

Num comunicado conjunto divulgado na conferência de imprensa desta manhã, os presidentes dos municípios que integram o arco ribeirinho do Sado revelam que decidiram tomar uma posição pública sobre o problema da travessia fluvial, entre Setúbal e Troia,“depois de, nos últimos meses, terem analisado esta situação em conjunto, a par da realização de vários contactos”.

Esta travessia “é uma ligação essencial ao desenvolvimento económico, bem como à coesão social, dos territórios” de Setúbal, Alcácer do Sal e Grândola, sendo que sua relevância “tem de ser associada, por exemplo, à função das estradas nacionais que asseguram as ligações rodoviárias a todo o Litoral Alentejano, bem como à autoestrada”.

Os três autarcas defendem que devem ser encontradas, em conjunto com a Área Metropolitana de Lisboa e o Governo, “soluções e caminhos que façam do Sado, no que diz respeito à mobilidade de pessoas e bens, um elo de ligação acessível e claramente alternativo a outras opções rodoviárias, tanto do ponto de vista económico, como do ponto de vista ambiental”.

Os tarifários cobrados na travessia do rio Sado “podem, em algumas circunstâncias, ser mais elevados do que fazer a viagem para aquele território por autoestrada, com passagem por Alcácer e rumando depois à Comporta”.

Com o tarifário atual, “quem quiser atravessar o Sado com a sua viatura no ferryboat terá de pagar 19,60 euros, com o condutor incluído, mais 5,60 euros pelo primeiro passageiro e 4,30 euros por cada um dos restantes”, o que para uma viatura com quatro pessoas totaliza 33,80 euros por viagem, “mais do que algumas viagens para destinos europeus em companhias de aviação lowcost”.

Se a viagem se realizar no catamarã, que apenas transporta passageiros, o percurso de ida e volta tem o custo de 8,80 euros.

“Utilizando um carro ligeiro a gasolina, o custo da viagem para quatro pessoas continua a ser ligeiramente mais baixo do que se utilizarmos o barco, o que, naturalmente, afasta da travessia muitos potenciais utentes, que preferem utilizar a sua viatura com a comodidade que lhe é sempre associada e, claro, a consequente pegada ecológica”, lamentam os autarcas de Setúbal, Alcácer do Sal e Grândola.

Esta situação, acaba por “afastar quem necessita de atravessar o rio para trabalhar, abastecer as populações que ali vivem, apoiar as atividades que se desenvolvem daquele lado ou para ir à praia ou fazer turismo” em Troia.

Os autarcas destacam a importância histórica, económica, social e ambiental de Troia para a região, uma vez que é “um ponto de paragem, de passagem e de transição entre duas grandes unidades territoriais, a Península de Setúbal, território onde vive praticamente um terço da população da Área Metropolitana de Lisboa, e o Alentejo”.

A península de Troia tem um “papel fundamental” na relação de toda a Área Metropolitana de Lisboa com o Litoral Alentejano, “seja na deslocação de mão de obra, seja no acesso a equipamentos turísticos e zonas balneares, seja, ainda, no abastecimento de variadíssimas matérias aquela área”.

Também as relações das populações dos concelhos do Litoral Alentejano com Setúbal “são, historicamente, muito relevantes”, sendo que milhares de pessoas continuam a utilizar serviços de saúde sedeados em Setúbal, bem como outro tipo serviços e apoios administrativos. 

A travessia do Sado viabiliza, igualmente, o acesso de um elevado número de pessoas que trabalham em ambos os lados do rio e“não pode, por isso, com os preços praticados, continuar a constituir um obstáculo à deslocação destas pessoas”.

Tendo em conta a dimensão do problema de que “resultam condicionamentos à circulação de pessoas e bens” num vasto território do país, que inclui os municípios da AML e do Litoral Alentejano, os presidentes das câmaras municipais de Setúbal, Alcácer do Sal e Grândola consideram que o Governo não pode ficar de fora.

“O Estado não pode continuar a desresponsabilizar-se. Do nosso lado, estamos totalmente disponíveis para, no contexto de soluções negociadas, contribuir para soluções equilibradas em prol das populações.”

Continuar a ler

SETÚBAL

União Desportiva das Pontes vence Marchas Populares de Setúbal

Pontes venceu vários prémios

Publicado

em

Setúbal

Pontes venceu as Marchas Populares de Setúbal 2023

A União Desportiva e Recreativa das Pontes venceu as Marchas Populares de Setúbal 2023, numa decisão tomada pelo júri após as apresentações dos desfiles no dia 17, na Avenida Luísa Todi, e a concurso, no dia 24 de junho, no Pavilhão Municipal das Manteigadas.

O júri da prova, presidido por Teresinha Landeiro, atribuiu também à União Desportiva e Recreativa das Pontes os prémios de melhores Coreografia, Cenografia, Figurino, Música e Desfile, bem como o Prémio de Melhor Madrinha a Joana Lança.

O segundo lugar do concurso das Marchas Populares de Setúbal de 2023 foi atribuído ao Núcleo dos Amigos do Bairro Santos Nicolau, que arrecadou a distinção de melhor Letra.

 O Grupo Desportivo O Independente ficou no terceiro lugar, seguindo-se, na quarta posição, a União Cultural, Recreativa e Desportiva Praiense, em quinto lugar, o Núcleo de Bicross de Setúbal e, em sexto, o Grupo Desportivo Setubalense “Os 13”.

Além de Teresinha Landeiro enquanto presidente, o júri do concurso integrou Sara Loureiro (Letra), Pedro Rego (Música), Rafaela Gomes (Coreografia), Sónia Marques (Figurino) e Carlos Subtil (Cenografia).

De realçar o registo de duas penalizações que, no entanto, não tiveram qualquer influência no ordenamento da classificação geral do concurso.

O Núcleo dos Amigos do Bairro Santos Nicolau foi penalizado com dois pontos, como descrito no ponto 7 do artigo 17.º do Regulamento das Marchas Populares de Setúbal, onde se se determina não serem permitidas alterações de arcos, trajes ou outros materiais cenográficos depois da primeira apresentação.

A outra penalização foi atribuída ao Grupo Desportivo O Independente, ao ter sido considerado o ponto 5 do artigo 7.º do respetivo regulamento, devido à alusão na letra ao termo Moscatel “Torna-Viagem”, por se tratar de uma designação comercial.

No evento participaram a concurso as seguintes marchas:

União Cultural Recreativa e Desportiva Praiense

Tema: “Ouro no rio Prata na terra”

Madrinha: Maria João Dias

Ensaiadora: Isabel Conceição

Núcleo de Bicross de Setúbal 

Tema: “O que é que Setúbal tem, bem juntinho ao coração?”

Madrinha: Maria do Céu Freitas

Ensaiador: Nuno Rocha

O Grupo Desportivo Setubalense “Os 13”

Tema: “Ai Tesourinha Corta, corta, corta já!”

Madrinha: Marlene Couto Ferreira

Ensaiador: João Praia 

União Desportiva e Recreativa das Pontes

Tema: “Isto hoje vai dar Caldeirada!”

Madrinhas: Carla Lança e Joana Lança

Ensaiador: Flávio Fernandes

Núcleo dos Amigos do Bairro Santos Nicolau

Tema: “Ai Bairro Santos… tanta recordação a enfeitar cada janela!”

Madrinha: Ivone Vieira Dias

Ensaiador: Rui Conceição

Grupo Desportivo O Independente

Tema: “Doce néctar de Azeitão!”

Madrinha: Paula de Melo Cruz

Ensaiador: Bruno Frazão

Contou ainda com a marcha extraconcurso, designada por Marcha Honorária da APPACDM, com o tema “Setúbal dos Laranjais”, ensaiada por Elisabete Moreira, acompanhada pela madrinha Patrícia Rosa e pelo padrinho Miguel Assis.

A Câmara Municipal de Setúbal congratula todas as marchas participantes pela dedicação, desempenho e, acima de tudo, pelo respeito entre todos os participantes, público e organização.

O dia e local para a cerimónia de entrega de prémios está marcado para 1 de julho, às 17h30, na Casa da Baía.

Classificação geral das Marchas Populares de Setúbal 2023

1.º –  União Desportiva e Recreativa das Pontes

2.º – Núcleo dos Amigos do Bairro Santos Nicolau

3.º – Grupo Desportivo O Independente

4.º – União Cultural Recreativa e Desportiva Praiense

5.º – Núcleo de Bicross de Setúbal 

6.º – O Grupo Desportivo Setubalense “Os 13”

 

Prémios das Marchas Populares de Setúbal 2023

Melhor Madrinha | Joana Lança (União Desportiva e Recreativa das Pontes)

Melhor Coreografia | União Desportiva e Recreativa das Pontes

Melhor Cenografia | União Desportiva e Recreativa das Pontes

Melhor Figurino | União Desportiva e Recreativa das Pontes

Melhor Letra | Núcleo dos Amigos do Bairro Santos Nicolau

Melhor Música | União Desportiva e Recreativa das Pontes

Prémio Desfile | União Desportiva e Recreativa das Pontes

Continuar a ler

Desportos

Equipa de futebol feminino do Vitória campeã nacional da 3.ª Divisão homenageada pela Câmara de Setúbal

A recente conquista é o coroar de uma época de excelência, em que a formação setubalense, não perdeu nenhum jogo, sendo que na época desportiva 2023/2024, a equipa de futebol feminino do Vitória Futebol Clube vai disputar o segundo escalão do Campeonato Nacional Feminino de Futebol.

Publicado

em

Setúbal

Equipa de futebol feminino do Vitória campeã nacional da 3.ª Divisão homenageada pela Câmara de Setúbal (com fotos)

O presidente da Câmara de Setúbal, André Martins, destacou ontem à tarde o trabalho extraordinário da estreante equipa de futebol feminino do Vitória Futebol Clube que conquistou, invicta, o título da 3.ª divisão do Campeonato Nacional Feminino de Futebol.

“Uma vitória extraordinária e um momento muito importante para o Vitória Futebol Clube”, exaltou o presidente André Martins, esta tarde, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em cerimónia de homenagem promovida pela Câmara Municipal de Setúbal às novas campeãs nacionais da 3.ª divisão.

O autarca, ao apontar a excelente campanha realizada pela equipa, encorajou a continuidade deste caminho de sucesso alcançado logo no primeiro ano do projeto do futebol feminino do clube sadino. “Agora, é continuar a subir de divisão até ao escalão máximo que o Vitória merece.”

André Martins enalteceu ainda que este é um feito que enche a cidade de orgulho. “Continuem a fazer tudo honrar Setúbal e o Vitória, clube que representa com toda a notoriedade uma cidade, dentro e fora do concelho, tanto a nível nacional como a nível internacional. O Vitória, Setúbal, estão de parabéns.”

O presidente do Vitória Futebol Clube, Carlos Silva, agradeceu a homenagem da autarquia e salientou a época desportiva de todas as modalidades do clube, em que se inclui o futebol feminino. “Obrigado a todos por engrandecerem este clube e por representarem tão dignamente.”

O dirigente do clube sadino, ao reiterar a “época extraordinária” alcançada pelas atletas e respetiva equipa técnica liderada pelo treinador Ricardo Miguel Vieira, reiterou que o clube sadino e a cidade são indissociáveis. “O Vitória é Setúbal. A cidade é o Vitória. Este é o clube que a leva a cidade e a região de norte a sul do país.”

A capitã da equipa de futebol feminino do Vitória Futebol Clube, Carla Cardoso, falou num sentimento de gratidão. “Já vivi muito no futebol, mas, neste clube, encontrei um espírito e uma garra que já é raro de encontrar. Agora, o objetivo é continuar para patamares mais altos.”

A cerimónia contou com a presença, entre outros, dos vereadores da Câmara Municipal de Setúbal Pedro Pina e Rita Carvalho, do empresário Hugo Pinto, a par da família vitoriana que encheu o Salão Nobre dos Paços do Concelho para apoiar as novas campeãs nacionais da 3.ª Divisão.

A conquista do troféu de campeãs da 3.ª divisão do Campeonato Nacional Feminino de Futebol foi selada no dia 11 de junho, no segundo jogo da final da competição, realizado em Santo Tirso, frente à equipa do Futebol Clube Tirsense, desafio que ficou empatado a uma bola.

Continuar a ler

SETÚBAL

Ligação Setúbal-Tróia por ‘ferry-boats’ interrompida.

Avaria técnica na causa do problema.

Publicado

em

Tróia

Sem ‘ferry-boats’

Estão interrompidas as ligações por ‘ferry-boats’ entre Setúbal e Troia.

A suspensão é temporária e questões técnicas estão na origem na paragem.

A empresa responsável já afirmou que a situação deverá estar normalizada nas próximas horas.

Quem pretende fazer a ligação entre os dois pontos só é possível via terrestre.

Continuar a ler

SETÚBAL

Hoje: Relato da final da Taça da AFSetubal na TDS.

Emissão de desporto começa ás 16h00 com a condução de Joaquim Cunha.

Publicado

em

Final da Taça da AF de Setúbal

Alcochetense-Alfarim

A época desportiva 2022/23, no futebol distrital de Setúbal, encerra esta quinta-feira com a final da Taça do Distrito.

Grupo Desportivo Alcochetense e Grupo Desportivo de Alfarim são os emblemas finalistas da edição 2022/2023 da Taça AFS Joaquim José Sousa Marques e sobre os quais recaem todas atenções, expetativas e ambições em nome da conquista do prestigiado triunfo distrital, que abre portas à Taça de Portugal.

Garantida a presença no jogo mais desejado, que tem lugar esta quinta-feira, a partir das 17 horas, no Estádio Municipal José Martins Vieira, GD Alcochetense e GD Alfarim deixam antever um encontro competitivo entre duas equipas representantes de clubes que se encontram pela primeira vez na final.

No que respeita ao GD Alcochetense, emblema que competiu na I divisão distrital, esta será a segunda presença dos alcochetenses no desafio de atribuição de um troféu que o clube já venceu, na época 2014/2015.

Por sua vez, o GD Alfarim, cuja equipa militou no mais recente campeonato associativo da II divisão, faz a estreia com o estatuto de finalista pela disputa da taça associativa.

A edição 2022/2023 da Taça AFS Joaquim José Sousa Marques, que começou no dia 4 de setembro de 2022, contou, à partida, com um total de 28 equipas representantes de clubes que disputaram a I e II divisão distrital.

Relato na TDS | Emissão começa ás 16h00 em direto do Estádio Municipal José Martins Vieira, na Cova da Piedade

Coordenação: Joaquim Cunha

Relato: Paulo Maia

Reporter: Carlos Ferreira

Comentários: Jorge Leite

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!