Últimas:
As famosas ‘torres humanas’ vão chegar a Elvas – RÁDIO TDS
Siga-nos

Agenda

As famosas ‘torres humanas’ vão chegar a Elvas

Faz parte da lista do Património Cultural e Imaterial da Humanidade da Unesco desde 2010

Publicado

em

Elvas

Torres humanas

As famosas torres humanas chegam a Elvas no dia 22 de abril com os Castellers de Vilafranca, campeões do último concurso desta tradição com origem na Catalunha, Espanha.

A partir das 11h00, na Praça da República, vai ser possível assistir ao vivo à edificação dos , uma tradição que remonta ao século XVIII e que faz parte da lista do Património Cultural e Imaterial da Humanidade da Unesco desde 2010.

Veja AQUI

Agenda

Homenagem a José Cutileiro

O livro Memórias em Memória de José Cutileiro vai ser lançado no próximo dia 15 de dezembro, pelas 18h30, na Igreja de Santiago, em Monsaraz, numa sessão presidida pelo Ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva.  

Publicado

em

Reguengos de Monsaraz

DRCAlentejo homenageia o autor de Ricos e Pobres no Alentejo com o lançamento do livro Memórias em Memória de José Cutileiro 

O projeto da Direção Regional de Cultura do Alentejo intitulado “Memórias em Memória de José Cutileiro”, que constitui uma homenagem à grande figura da Antropologia, é agora concretizado.

O livro Memórias em Memória de José Cutileiro vai ser lançado no próximo dia 15 de dezembro, pelas 18h30, na Igreja de Santiago, em Monsaraz, numa sessão presidida pelo Ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva.

José Cutileiro, ilustre diplomata português, natural de Évora, doutorou-se em Oxford no início dos anos 60 do século XX com uma tese que viria a ser publicada em português com o título Ricos e Pobres no Alentejo e que se tornou uma referência para a antropologia em Portugal. O trabalho de campo desta investigação realizou-se em Reguengos de Monsaraz e sobretudo em Monsaraz ao longo de cerca de três anos.

O projeto destas “Memórias” surgiu no início do verão de 2020, imediatamente após o falecimento de José Cutileiro a 17 de maio desse ano, tendo-se apelado a testemunhos de antropólogas e antropólogos com experiência etnográfica ou de reflexão sobre o Alentejo, e que de algum modo se tivessem cruzado no seu trajeto intelectual ou pessoal com a obra ou a pessoa de José Cutileiro, autor da obra de referência na antropologia portuguesa Ricos e Pobres no Alentejo. Como critério destacou-se o reconhecimento da sua influência em cada autor/a, enquanto antropólogo ou antropóloga do Alentejo.

Este volume de homenagem a José Cutileiro, que teve de ultrapassar as dificuldades da crise pandémica, entre outras, sai agora a público e será apresentado em Monsaraz, vila onde o autor realizou a maior parte da sua investigação e a que o ligavam laços afectivos e familiares.

O volume tem a coordenação de Ana Paula Amendoeira e Pedro Prista.

Continuar a ler

Agenda

Festival Terras sem Sombra em Montemor-o-Novo

Hoje e amanhã

Publicado

em

Montemor-o-Novo

Festival Terras sem Sombra

Festival Terras sem Sombra no concelho de Montemor-o-Novo, a 9 e 10 de Dezembro.

Do programa, destaca-se o concerto na Igreja da Misericórdia intitulado “L’Arte Gentile e l’Armonia Splendida: A Música Renascentista em Itália na Época de Signorelli e Perugino”, peloEnsemble Micrologus.

Em Montemor-o-Novo, merece destaque também o programa de Património Cultural e de Biodiversidade:

· Actividade dedicada ao Património, a 9 de Dezembro, propõe um périplo por praças e artérias da vila, numa viagem entre os séculos XV e XXI: “Tesouros Escondidos à Vista de Todos: Artes Decorativas no Centro Histórico da Cidade – Montemor-o-Novo”

· Acção sobre a preservação dos ambientes naturais convida a conhecer, a 10 de Dezembro, a notável biodiversidade da freguesia de Cabrela, “Um Sítio Classificado a Descobrir”

Continuar a ler

Agenda

Concerto de Natal em Redondo

Conjunto de obras do período Barroco.

Publicado

em

Redondo

Encanto de Natal | Quinteto de Cordas da Orquestra do Alentejo e Margarida Pequito

09 de dezembro | 18h30 | Auditório do Centro Cultural de Redondo

O Quinteto de Cordas da Orquestra do Alentejo apresenta um programa que inicia de forma instrumental com um conjunto de obras do período Barroco.
No decorrer do concerto e já na formação de Quinteto de Cordas e Soprano transportará o ouvinte para um conjunto de melodias que evocam o espírito natalício.

Formação:
Violino 1 – Luís Rufo
Violino 2 – Susana Nogueira
Violeta – André Penas
Violoncelo – Samuel Santos
Contrabaixo – Hugo Monteiro
Soprano – Margarida Pequito

Continuar a ler

Agenda

Évora tem o 1º Festival Internacional de Orgão com 11 concertos.

25 NOV. sáb. 18H00 S. FRANCISCO
4 ÓRGÃOS: João Vaz, Sérgio Silva, André Ferreira e Beatriz Resendes :: CAPELLA DE S. VICENTE: direcção de Pedro Rodrigues

Publicado

em

Évora

Próximo concerto é no próximo sábado

O 1º Festival Internacional de Órgão de Évora – FIOE surge na sequência do avultado investimento feito na recuperação dos órgãos históricos pela igreja de S. Francisco, Sé de Évora e igreja do Espírito Santo.

O festival pretende ser um grande evento, em que todos os órgãos serão tocados por organistas de carreira sólida e de referência internacional e nacional, bem como divulgar o trabalho de jovens organistas com a possibilidade de manifestar a qualidade da sua arte. Irão ser escritas novas obras para os 4 órgãos de S. Francisco, pois o repertório para este tipo de agrupamento é escasso.

Os concertos, no total de onze, serão a solo ou com os mais diversos conjuntos vocais e instrumentais. Pretende ainda dar a conhecer o trabalho dos músicos que profissionais ou amadores, exercem a sua atividade localmente ou que de Évora são naturais.

Os concertos vão decorrer ao longo de aproximadamente um ano com início a 15 de outubro de 2023 e término a 14 de julho de 2024. Este é o festival que mais puramente se relacionará com a cultura do património material e imaterial de Évora.

O PROGRAMA

25 nov. sáb. 18H00 S. Francisco 4 ÓRGÃOS :: João Vaz, Sérgio Silva, André Ferreira, Beatriz Resendes :: CAPELLA DE S. VICENTE: direcção de Pedro Rodrigues
03 dez. dom. 17H00 Espírito Santo Alice Rocha, órgão
24 fev. sáb. 18H00 S. Francisco 4 ÓRGÃOS :: Rui Soares, Paulo Bernardino, João Santos, Ricardo Toste
14 abr. dom. 18H00 Capela de S. JoãozinhoJoana Godinho, canto :: Rafael dos Reis, harmónio
05 mai. dom. 18H00 S. Francisco ENSEMBLE RÉGIO: Rafael dos Reis, órgão; David Brutti, corneta; Gabriele Toscani, violino; Marta Cansado e Joana Timóteo, canto
26 mai. dom. 17H00 Espírito  Santo Johann Vexo, órgão 9 jun. dom.
18H00 Sé de Évora Inauguração do órgão Barroco Lorenzo Ghielmi, órgão
16 jun. dom. 18H00 S. Francisco Gian Vito Tannoia, acordeão :: Rafael dos Reis, órgão
30 jun. dom. 18H00 Sé de Évora Ramón Pérez-Sindín Blanco, órgão
14 jul. dom. 17H00 Espírito Santo Alice Rocha, órgão :: Erika Maschke, oboé e corne inglês

OS ÓRGÃOS HISTÓRICOS

Construídos entre os séculos XVI e XIX, e com uma história que abrange 322 anos, os órgãos da cidade de Évora têm reconhecimento nacional e internacional.  A nível nacional, Évora assume extraordinária importância ao possuir o mais antigo conjunto de dois órgãos da Europa que datam de 1562 e que se encontram na Sé, um deles recuperado.
Existem também órgãos da escola Hamburguesa de Arp Schnitger que datam de final do século XVII e primeira metade do século XVIII, da autoria de Hulenkampf. A cidade tem ainda um dos mais importantes conjuntos de órgãos do genovês Pascoal Caetano Oldovino, construídos para as mais significativas igrejas da cidade e reunidos na igreja de S. Francisco. Por fim um órgão romântico francês de Aristide Cavaillé-Coll de 1884, que se encontra na Igreja do Espírito Santo.
As instituições responsáveis pelos instrumentos, têm feito um investimento necessário e significativo para conservar e recuperar os órgãos. A Igreja de S. Francisco entre 2018 e 2022 recuperou os quatro instrumentos da sua responsabilidade, criando um espaço onde pela primeira vez no Alentejo se podem escutar quatro órgãos do mesmo organeiro, em conjunto.  O Cabido Eborense executou uma obra de conservação necessária no órgão renascentista e restaurou o órgão barroco.
Mais recentemente a igreja do Espírito Santo restaurou o seu instrumento romântico de Cavaillé-Coll, num trabalho de resultado primoroso e brilhante. Todos os restauros foram feitos por organeiros com as mais altas competências internacionais e especialistas nas especificidades da época de cada um dos instrumentos.

Continuar a ler

Agenda

“Manifesto Nada” em Odemira.

Este sábado com entradas gratuitas.

Publicado

em

Odemira

No Cine Teatro Camacho Costa

No próximo sábado (18), pelas 21.30 horas, o Cineteatro Camacho Costa, em Odemira, vai ser palco para o Espetáculo de Ópera “Manifesto Nada”, no âmbito da programação desenvolvida pela Miso Music Portugal no concelho, em parceria com o Município.

“Manifesto Nada” inspira-se no irreverente movimento DADA, que provocou ruturas na perceção da arte no início do século XX e inspirou inúmeros artistas e coletivos de vanguarda. Tristan Tzara, considerado o precursor do movimento Dadaísta, assume a rutura entre poesia tradicional e poesia dadaísta com a publicação do livro “Sete Manifestos Dada”, em 1924, numa “atitude provocatória de desconstrução e negação de todas as convenções culturais, sociais, morais, estéticas e linguísticas”.

A partir desta obra, o músico António de Sousa Dias “propõe uma viagem possível neste universo”, com diferentes expressões musicais contemporâneas ou próximas do movimento DADA e onde a lógica não é a regra. Encenada por Alexandre Lyra Leite, a “ópera-manifesto” conta com a interpretação do barítono Rui Baeta e das sopranas Joana Manuel e Célia Teixeira, acompanhadas pelo ensemble composto por Fábio Oliveira (trompete), Philippe Trovão (saxofone tenor) e Guilherme Reis (contrabaixo).

As entradas são gratuitas.

Continuar a ler

Agenda

40 jovens discutem futuro da democracia, em Vila Viçosa.

Representantes da Comissão Europeia e do Parlamento Europeu em Portugal encerram o encontro.
Eleições Europeias são tema central do encontro transfronteiriço.

Publicado

em

Vila Viçosa

40 jovens do Alentejo, Algarve e Andaluzia discutem o futuro da democracia europeia no próximo fim-de-semana

Vila Viçosa acolhe nos dias 27 e 28 de outubro a segunda edição das Jornadas de juventude AAA, um encontro de jovens da Euroregião AAA (Alentejo, Algarve, Andaluzia), que conta com a participação de eleitos locais e empresários, para debate e discussão do tema “Eleições Europeias: participação, valores e democracia”.

O objetivo desta iniciativa é promover – no contexto transfronteiriço – o debate centrado em dois dos compromissos europeus: proteger o modo de vida europeu e dar um novo impulso para a democracia europeia.

Organizado pelos centros EUROPE DIRECT do Alentejo Central e Litoral, Algarve e Huelva (Espanha), em parceria com o Conselho Andaluz do Movimento Europeu (promotor da iniciativa) e o município de Vila Viçosa, o encontro conta com a participação da Representante da Comissão Europeia em Portugal, Sofia Moreira de Sousa, e Filipa Santos Lopes, do Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal, no encerramento do evento.

«Com esta iniciativa pretendemos promover a cidadania ativa junto dos jovens e reforçar a participação da sociedade civil na promoção de uma Europa coesa assente nos princípios da  democracia que estiveram na sua génese.» refere Alexandra Correia, Coordenadora do Europe Direct Alentejo Central e Litoral, que prossegue «A participação ativa da juventude nos assuntos europeus é fundamental para o futuro, e com as eleições europeias cada vez mais próximas, consideramos muito importante perceber o que querem os jovens para o futuro da europa».

Os principais temas do encontro são as prioridades da UE “Promover o nosso modo de vida europeu” e “Um novo impulso para a democracia europeia”, que irão ser debatidos pelos jovens com eleitos locais e empresários das três regiões, em especial participantes em projetos de cooperação transfronteiriça.

Continuar a ler

Agenda

Fado, Cante e Flamenco na vila de Cabrela

Sara Correia, Luís Trigacheiro, o Coro participativo de cante alentejano, a Companhia Barcelona Flamenco Ballet e Duquende, entre
outros artistas, compõem o cartaz do festival.

Publicado

em

Cabrela

Alentejo World Heritage Festival

A Vila de Cabrela, a pouco mais de uma hora de Lisboa, prepara-se para acolher um festival que homenageia as três heranças musicais da Península Ibérica reconhecidas pela UNESCO.

A vila alentejana de Cabrela já está em contagem decrescente para a primeira edição do “Alentejo World Heritage Festival”, um evento único que acontece nos dias 25, 26 e 27 de agosto no concelho de Montemor-o-Novo.

Ao longo destes três dias, a vila será o palco perfeito para um diálogo muito especial entre as três principais tradições musicais da Península Ibérica reconhecidas como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO: o
cante alentejano, o fado e o flamenco.

A fadista portuguesa Sara Correia, Luís Trigacheiro (cante alentejano), o Coro participativo de cante alentejano, a Companhia Barcelona Flamenco Ballet e Duquende (considerado um dos cantores de flamenco mais conceituados), entre
outros artistas, compõem o cartaz do festival.

O ponto alto deste festival, que acontece a pouco mais de uma hora de Lisboa, será no dia 26 de agosto, numa deslumbrante seara, com o pôr do sol como pano de fundo.

O concerto “Cante Alentejano, Fado e Flamenco numa seara alentejana” está marcado para as 19h30 e junta, em palco, Sara Correia, Luís Trigacheiro, Duquende, a companhia Barcelona Flamenco Ballet, o Trio de Daniel Bernardes, Os Músicos do Tejo, o grupo coral Fora d’Oras e o Coro Participativo de Cante de Cabrela.

Este é um evento que pretende contribuir para uma maior oferta cultural de excelência num território de baixa densidade populacional, como é a Vila de Cabrela, que conta já com um histórico de um conjunto de iniciativas culturais marcadas pela surpreendente adesão por parte da comunidade local.

Agenda de 21 a 25 de agosto

Workshop de Cante Alentejano: A comunidade de Cabrela é convidada a participar num workshop de Cante Alentejano dinamizado pelo Grupo Coral Fora D’oras.

25 de agosto
22h00: Serão de “Cante ao Luar de Cabrela” e Celina da Piedade
Nesta noite muito especial, os habitantes de Cabrela, reunidos no Coro Participativo de Cante de Cabrela, são convidados a juntar-se ao Grupo Coral Fora d’Oras. Este concerto resulta do workshop desenvolvido durante a semana pelos próprios
habitantes de Cabrela. Concerto por Celina da Piedade.

26 de agosto
19h30: Concerto de Fado, Flamenco e Cante Alentejano
Com Sara Correia, Luís Trigacheiro, Duquende, companhia Barcelona Flamenco Ballet, Trio de Daniel Bernardes, Os Músicos do Tejo, grupo coral Fora d’Ouras e o Coro Participativo de Cante de Cabrela.

22h00: Serão de “Fado Cabrela”
O Largo Pascoal Coelho acolhe a homenagem aos 35 anos de carreira do cantor João Paulo Marques.

27 de agosto
11h00: Workshop de flamenco
Com os guitarristas e bailarinos da companhia Barcelona Flamenco Ballet

19h00: Missa flamenca
Com os guitarristas e cantores da companhia Barcelona Flamenco Ballet. O evento é promovido pela associação Égide – Associação Portuguesa das Artes,em coorganização com a associação Lar Doce Ler e apoio institucional e logístico da
Câmara Municipal de Montemor e da Junta de Freguesia de Cabrela.

Continuar a ler

Agenda

‘Andanças’ começa esta quinta, em Campinho.

Entrevista com Joana Ricardo, da Associação PédeXumbo, organizadora do Festival.

Publicado

em

Festival Andanças de 27 a 30 de julho

“… todos os caminhos rumam ao Campinho”

De 27 a 30 de julho, todos os caminhos rumam ao Campinho, Reguengos de Monsaraz, para um festival da dança, da partilha e das famílias Mais sombras, mais espaços de água e de descanso, um campismo “melhor preparado” e a “receita” de sempre: momentos de dança e de música, de partilha e de celebração da vida. Aí está o Andanças, a decorrer entre os dias 27 e 30 de julho.

Joana Ricardo, da Associação PédeXumbo, organizadora do Festival, destaca o facto de o Andanças ter recebido este ano o selo de “Festival + Acessível”, atribuído pelo Turismo de Portugal e pelo Instituto Nacional de Reabilitação.

O que podemos esperar desta edição do Andanças?

Tanta coisa… para já, serão quatro dias de programação intensa numa localidade, Campinho, cheia de vontade de receber os participantes no festival. Temos estado no terreno e já só se fala nisso, do momento em que o espírito do Festival chega à aldeia. Portanto, podemos esperar quatro dias de muita alegria, muita partilha e uma comunidade de braços abertos para receber as pessoas. Também podemos esperar um Festival ainda melhor preparado que a edição anterior, já é o segundo ano neste local, teremos mais sombras, mais pontos de água, mais espaços de descanso, um campismo melhor preparado e áreas mais bem pensadas. E recebemos este ano o selo de “Festival + Acessível”, que premeia os festivais que apresentem condições de acessibilidade para todos os que tenham mobilidade condicionada. Temos também uma aposta nas questões da sustentabilidade e das boas práticas ambientais, às quais já habituámos os participantes.

A programação começa logo pela manhã.

Começa, todos os dias, com oficinas de relaxamento. Depois, teremos oficinas de danças nos palcos principais, os bailes, todas as noites, muitos concertos, bastantes arruadas, muitas delas com bandas desta região, muitas propostas feitas pela comunidade local, tanto de manualidades como de oficinas de instrumentos ou música. No lavadouro de Campinho teremos várias oficinas de saber-fazer e, ao final da tarde, este será também o espaço para concertos intimistas. Haverá muita oferta de momentos de dj set, com várias propostas, muitas delas que misturam eletrónica com música folk.

Mantêm-se as tasquinhas?

Claro, junto ao recinto principal que volta a ser no parque de feiras de Campinho. Cá em cima, na praça dos cafés, voltamos a ter o mercadinho Andanças com várias propostas de artesanato. Estamos mais bem preparados e muito ansiosos por receber as pessoas nestes quatro dias.

O que destaca da programação?

Não funcionamos com essa lógica de destaque, não temos cabeças de cartaz, mas fico muito contente por poder dizer que as pessoas vão ao Andanças, por vários motivos, mas muito por poder dançar e aprender a dançar. Teremos cerca de 20 danças para as pessoas aprenderem, danças do mundo inteiro, de Cabo Verde, afro-brasileiras, galegas, europeias, danças orientais, o folclore, que também é um clássico no Andanças, o Bollywood, outro clássico… de Portugal, vamos ter as famosas Chamarritas dos Açores, danças de Porto de Mós, fado dançado e as valsas mandadas, oficinas sempre muito concorridas.

Em que medida é que esta é uma experiência única?

O Andanças é uma experiência única há 25 edições. Há muitas famílias que nasceram no Andanças, casais que se conheceram no Andanças, que tiveram filhos e estes filhos já vão ao Andanças… é uma experiência que se vive em família. Estamos a falar de uma programação muito forte em dança, movimento artístico e social bastante inclusivo, portanto, quem vai uma vez volta sempre e, por vezes, até faz família e amigos neste festival. Acontecendo numa malha urbana, dentro de uma aldeia, digo que ir ao Andanças é também abraçar o Campinho e uma região, que é isolada, e que fica muito feliz por receber estes quatro dias de
agitação e de partilha de culturas, de saberes e de vivências na comunidade.

A sustentabilidade continua a ser uma aposta. De que forma?

A dose certa do Andanças, uma prática na cantina em que incentivamos os participantes a escolherem apenas a quantidade que vão comer, foi considerada uma prática exemplar pelo Fórum Europeu contra o Desperdício Alimentar. É uma das medidas mais importantes, para além da separação de todo o lixo, todos os resíduos são separados, temos uma equipa só para cuidar na reciclagem e recolha de resíduos. Vamos voltar a ter a nossa caneca Andanças, que pode ser comprada ou requisitada, não temos descartáveis, tentamos poupar tanta água como possível, adquirimos produtos alimentares regionais, entre muitas outras medidas de sustentabilidade do nosso Festival.

Continuar a ler

Agenda

Convento de São Domingos acolhe 29.º Encontro de Coros da Cidade de Montemor-o-Novo

Tratou-se de um fim de tarde que maravilhou o público

Publicado

em

Montemor-o-Novo

Ao grupo coral de São Domingos juntaram-se outros dois

Foi no passado sábado, que se realizou o 29.º Encontro de Coros da Cidade de Montemor-o-Novo, organizado pelo Coral de São Domingos. O Encontro, que foi simultaneamente o 9.º Encontro Internacional, teve lugar na Igreja do Convento de São Domingos.

Ao grupo coral organizador, dirigido pelo maestro João Luís Nabo, juntaram-se dois outros: um português e um outro espanhol. Do Entroncamento veio o Orfeão do Entroncamento, sob batuta do maestro Luís Antunes, juntando-se também o Coral Santa Cecilia de Villafranca de los Barros, dirigido por Emilio-José Cassillas.

Tratou-se de um fim de tarde que maravilhou o público presente na Igreja de São Domingos.

Continuar a ler

Agenda

Companhia Nacional de Bailado hoje em Évora

“symphony of sorrows/ Cantata”, espetáculo que reúne duas obras contemporâneas do repertório da CNB: Symphony of sorrows, do coreógrafo e Primeiro Bailarino da CNB, Miguel Ramalho.

Publicado

em

O TEATRO GARCIA DE RESENDE

ESPETÁCULO DA COMPANHIA NACIONAL DE BAILADO

Esta quarta-feira, dia 12, às 21h30, o Teatro Garcia de Resende em Évora recebe a Companhia Nacional de Bailado para apresentação de “symphony of sorrows/ Cantata”, espetáculo que reúne duas obras contemporâneas do repertório da CNB: symphony of sorrows, do coreógrafo e Primeiro Bailarino da CNB, Miguel Ramalho, com música de Henryk Gorecki, e Cantata, do coreógrafo italiano Mauro Bigonzetti, com música tradicional italiana.

Um programa que junta dois coreógrafos que, com abordagens e ambientes distintos, propõem obras que trabalham sobre o coletivo.

SYMPHONY OF SORROWS, a primeira peça, desenvolve-se num ambiente denso, soturno, no qual o coletivo revela ser a força de superação dos caminhos, por vezes tortuosos, da humanidade.

CANTATA reflete tradições populares e musicais italianas, uma espécie de festa comunitária italiana onde a música é o elemento inspirador, contagiando bailarinos e público. É uma coreografia plena de cores vibrantes, típicas do sul de Itália.

A Companhia Nacional de Bailado apresenta assim o último programa antes das obras de requalificação do Teatro Camões em Lisboa, casa da CNB, cuja reabertura esta prevista para março de 2024.“symphony of sorrows/ Cantata” é uma produção da Companhia Nacional de Bailado e a interpretação está a cargo dos Bailarinos e Bailarinas da CNB.

Os bilhetes encontram-se disponíveis na bilheteira física do teatro e na bilheteira online bol.pt.

Continuar a ler

Agenda

Gilmário Vemba apresenta “Temas” em Odemira

Dia 7 de julho, pelas 21.30 horas, no Cineteatro Camacho Costa

Publicado

em

Odemira

Gilmário Vemba apresenta o seu mais recente espetáculo de Stand-Up Comedy “Temas”

. O evento tem data marcada para o próximo dia 7 de julho, pelas 21.30 horas, no Cineteatro Camacho Costa.

“Temas” dá nome à digressão pelo país que decorre ao longo do ano, durante a qual se apresenta com um tema completamente novo todas as semanas com a promessa de surpreender o público. Família, guerra, supermercados, heróis, invasões alien e tantos mais, são só algumas das coisas que o público poderá ouvir neste novo projeto do humorista.

Gilmário Vemba é um humorista e ator angolano com participações em vários programas humorísticos, como “Roast: Castelo Branco” ou “Roast: Ljubomir”. Os portugueses passaram a reconhecer-lhe o rosto e o talento com a sua participação no “TaskMaster”, da RTP1, programa conduzido por Vasco Palmeirim e Nuno Markl.

Continuar a ler

Agenda

David Carreira, Augusto Canário e Anjos nas ‘Ruas Floridas’, em Redondo.

Ruas Floridas voltam a animar Redondo

Publicado

em

Redondo,  Évora

Ruas Floridas

É já de 29 de julho a 6 de agosto que decorre a edição deste ano das ‘Ruas Floridas’, em Redondo.

Anjos, Augusto Canário e David Carreira são as principais atrações para as noites do evento.

Veja cartaz completo.

Continuar a ler

Agenda

Cavaleiro mexicano que vai atuar em Alcácer do Sal sob suspeita de agredir os seus cavalos.(vídeo)

Emiliano Gamero foi filmado, em 2017, na sua herdade na cidade de Durango (México).

Publicado

em

Emiliano Gamero

Cavaleiro terá agredido as suas próprias montadas

Emiliano Gamero foi filmado, em 2017, na sua herdade na cidade de Durango (México) a maltratar os seus cavalos, dando-lhe pontapés no ventre e golpeando-os com correntes de forma extremamente violenta e agressiva.

As chocantes imagens chegaram às estações de televisão mexicanas que as difundiram com comentários de profunda indignação pela atitude do cavaleiro tauromáquico.

Foi, na altura, criada uma petição, solicitando ao Procurador-Geral da República a prisão imediata de Emiliano Gamero e a aplicação de uma multa por maltrato animal.

A petição foi subscrita por mais de 46.000 pessoas.

Continuar a ler

Agenda

Portalegre recebe fórum internacional ‘Academia Net Zero’

A Virtual Educa é uma organização que promove a inovação na Educação, cuja atividade tem lugar, principalmente, no espaço ibero-americano.

Publicado

em

Portalegre

“Academia Net Zero”

Hoje e amanhã, 15 e 16 de junho, realiza-se o Fórum Internacional “Academia Net Zero”, em Portalegre, organizado pela Virtual Educa e o Politécnico de Portalegre.

A Virtual Educa é uma organização que promove a inovação na Educação, cuja atividade tem lugar, principalmente, no espaço ibero-americano.

O Politécnico de Portalegre, anfitrião do Fórum, é uma instituição pública de ensino superior comprometida em contribuir para o desenvolvimento sustentável e promoção de espaços de diálogo.

Realizada em formato presencial e virtual, a Academia Net Zero será um espaço para explorar a forma como as instituições de ensino superior (IES) podem trabalhar em conjunto com os governos e o setor privado, para alcançar o objetivo “net zero” para as emissões de gases com efeito de estufa.

O evento reunirá especialistas em sustentabilidade de diversos setores e países, nomeadamente de Espanha e de vários países da América Latina.

Está confirmada a participação da ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato; da Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Isabel Ferreira; da ministra da Educação Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação do Equador, Andrea Montalvo; do diretor de Ação Climática e Meio Ambiente para a América Latina, da OCDE, Rodolfo Lacy; da coordenadora do programa internacional Eco-Escolas, Idoia Arellano; entre outros intervenientes.

Juntamente com os especialistas, representantes de governos, da educação, das empresas e da sociedade civil são convidados a discutir de que formas as IES podem ser líderes na luta contra as alterações climáticas e oferecer soluções inovadoras para alcançar um futuro sustentável para todos. 

O Fórum propõe: o intercâmbio de ideias sobre as diferentes visões das IES perante o desafio que representam as alterações climáticas para a humanidade; dar visibilidade às ações que estão a ser levadas a cabo, neste âmbito, no que respeita à docência, investigação e extensão; bem como gerar potenciais oportunidades para o crescimento do rol de instituições de ensino superior que desenvolvam soluções replicáveis, que permitam fazer frente às alterações climáticas e mitigar as suas consequências. 

A luta contra as alterações climáticas é uma tarefa urgente e global. Todos temos um papel crítico que desempenhar na procura de soluções sustentáveis e o ensino superior tem um papel chave nesta missão, uma vez que pode contribuir de diversas formas: 

  • Na preparação dos estudantes para se tornarem “líderes sustentáveis”, capacitando-os com os conhecimentos e competências necessários para fazer face aos desafios atuais e trabalhar para um futuro mais sustentável; 
  • Na liderança da investigação e desenvolvimento de soluções inovadoras para abordar os desafios da sustentabilidade e apoiar a transição até um futuro sem emissões de gases com efeito de estufa;
  • Na implementação de práticas sustentáveis em cada campus, incluindo a adoção de energias renováveis, a gestão eficiente dos recursos e a promoção de hábitos sustentáveis entre os estudantes, colaboradores e comunidade;
  • Na consciencialização sobre a importância da sustentabilidade e as alterações climáticas, incentivando os estudantes e a comunidade a agir e trabalhar para um futuro mais sustentável.

Continuar a ler

Agenda

Andanças em julho: “Ir ao Andanças é também abraçar o interior do Alentejo” 

Festival decorre de 27 a 30 de julho em Campinho, Reguengos de Monsaraz

Publicado

em

“Ir ao Andanças é também abraçar o interior do Alentejo”

Festival decorre de 27 a 30 de julho em Campinho, Reguengos de Monsaraz

Aí está o Andanças, de 27 a 30 de julho, em Campinho, Reguengos de Monsaraz. Organizado pela Associação PédeXumbo, o festival volta a promover a música e a dança popular enquanto meios privilegiados de aprendizagem e intercâmbio entre gerações, saberes e culturas.

À pergunta “porquê no Campinho?”, a organização acredita que “vir ao Andanças não é apenas desfrutar da programação cultural e artística, é viver uma experiência. Neste caso é abraçar o interior do Alentejo”.

“Continuamos a acreditar que é imprescindível programar nestes territórios em isolamento social, cultural e económico. Quem cá vive tem o direito a usufruir deste tipo de eventos de grande dimensão e revela-nos a importância de receber o Andanças na sua região”, diz Joana Ricardo, da PédeXumbo.

Joana Ricardo acrescenta ainda que “o Andanças não acontece apenas no verão, já está neste concelho com outros projetos que desenvolvem ideias artísticas com vários grupos da comunidade local, como é o caso do projeto Pessoas Cheias de Território, promovido pela PédeXumbo em parceria com a Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz”.

Com casa no Campinho, o festival terá uma lotação de 1500 pessoas. E, a partir deste ano, passará a ter uma periodicidade bianual. “Se estão a planear as vossas férias de verão, escolham vir ao Andanças, pois só regressa em 2025”, diz Joana Ricardo. Os passes para o festival podem ser adquiridos na bilheteira online, disponível no site do festival.

Como uma aldeia global, onde os participantes são convidados a interagir e a partilhar, o festival dá a oportunidade, a quem vem, de ser parte desse processo, não apenas através da programação da qual vêm usufruir, mas também através da partilha com esta comunidade e da experiência das vivências do lugar com as suas características.

Para os quatro dias de festival estão agendadas mais de 120 atividades em sete espaços diferentes de programação. Com música e dança de vários cantos do mundo, o programa integra bailes, concertos, oficinas de dança e de relaxamento, atividades para famílias, manualidades, visitas e passeios na região, com uma boa dose de programação local!

De regresso estarão também o Mercado de Artesanato na Praça de Bernardino José Cruz, junto a um dos palcos do festival, um espaço tradicional para venda de bens regionais e artesanato do mundo, a Cantina Andanças, com refeições completas e em conta para os participantes, e o habitual espaço de tasquinhas, junto ao recinto principal. Volta também o “Transfer Alqueva”que leva os participantes, durante a tarde, até à praia fluvial de Monsaraz.

O Andanças é ainda um festival dirigido às famílias e às crianças que podem usufruir de mais de duas dezenas de atividades e que acontecem no Espaço Criança, localizado no centro da aldeia, com sombra, frescura e muita animação!

E como chegar ao Andanças? De carro, à boleia, de bicicleta ou em transportes públicos, a ideia é escolher a forma de mobilidade menos poluente para chegar ao festival. Existem vários transferes de Reguengos de Monsaraz até Campinho, grupos organizados de boleias ou mesmo a quinta edição do Pedalanças, promovido pela Ciclo Oficina dos Anjos e que leva participantes de Lisboa até ao Andanças, em bicicleta.

Continuar a ler

Agenda

PIMEL: Vítor Proença realça espaço onde o certame se vai realizar.

PIMEL de 23 a 25 deste mês em Alcácer do Sal

Publicado

em

Alcácer do Sal

PIMEL apresentada

Está apresentada a edição deste ano da XXXI PIMEL – Feira do Turismo e das Atividades Económicas 2023.

Na cerimónia de apresentação, que decorreu no Restaurante A Escola, O presidente da autarquia, Vítor Proença, fez questão de realçar as excelentes condições onde a feira se realiza.

É a segunda edição do certame no novo Parque da cidade que proporciona uma feira ‘limpa’ e que oferece todas as condições para a realização de um dos certames mais importantes da região Alentejo.

A feira é uma organização conjunta do Município de Alcácer do Sal, da Associação de Agricultores de Alcácer do Sal e a Caixa de Crédito Agrícola de Alcácer do Sal e Montemor-O-Novo.

Continuar a ler

Agenda

Está inaugurada a FEI-TUR em Vila Nova de Milfontes (video)

A FEI-TUR aposta na promoção do concelho de Odemira e do Sudoeste Alentejano

Publicado

em

Odemira

Até dia 11 de junho FEI-TUR em Vila Nova de Milfontes

Atividades na natureza, gastronomia, cultura, desporto e animação são os pontos fortes da FEITUR – Feira de Turismo do SW, até dia 11 de junho, junto ao Estuário do Rio Mira, em Vila Nova de Milfontes.

A FEITUR aposta na promoção do concelho de Odemira e do Sudoeste Alentejano como destino privilegiado para o turismo ativo e de natureza e é promovida em parceria entre o Município de Odemira e a Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo.

Continuar a ler

Agenda

Teatro nas ruínas da Mina de S.Domingos, em Mértola.

Com a participação da população

Publicado

em

Mina de S. Domingos

 CAIXA DE PERGUNTAS

O espetáculo teatral de rua, CAIXA DE PERGUNTAS, que a Companhia Cepa Torta leva à cena nas ruínas do cais do minério, na Mina de S. Domingos, onde a comunidade participa activamente na sua criação, estreia amanhã, 9 de Junho e ficará em cena até 11 de Junho às 22h00. 

Texto e encenação de Miguel Maia, esta é a maior produção do projeto MALACATE e tem mobilizado diversos habitantes da Mina de S. Domingos nos últimos meses, nas diferentes fases de investigação, criação, construção de figurinos e cenários, e ensaios.

Sinopse:

Caixa de Perguntas é o espetáculo teatral de rua que a Companhia Cepa Torta levará à cena nas ruínas do cais do minério, na Mina de S. Domingos, no ano do MALACATE. É um espetáculo que contará com a participação de muitos habitantes da Mina e do seu conhecido grupo coral, para além do elenco de atores profissionais convidados. Trar-nos-á uma fábula: em pleno séc. XXII, há uma aldeia onde mora um grande mecanismo chamado sem-fim, fonte de prosperidade e felicidade de um povo que habita sempre no presente. Neste grande centro tecnológico os dias são iguais mas nem por isso menos felizes – vive-se sempre agora. Mas num destes dias sempre iguais a aldeia recebe a visita de um estranho forasteiro que tem um simples pedido a fazer-lhes. A partir daí nada será como dantes. Ou aliás, como agora.

No cruzamento com o mito da caixa de Pandora e um reflexão sobre o que é a memória, num lugar tão fértil como a Mina, o projeto inclui uma forte componente audiovisual, consumando uma ideia de transdisciplinaridade e de confronto de linguagens que nos interessa explorar, para além de reforçar o caráter impressivo do espetáculo, enquadrado por uma das ruínas mais significativas do lugar – o cais do minério – um paredão de pedra de grandes dimensões, ocupado aqui e ali por aberturas, antigos postigos de desembarque do minério que logo ali ao lado via a luz do dia após a extração.

Caixa de Perguntas é um espetáculo inserido no projeto MALACATE – um projeto de intervenção artística multidisciplinar criado especificamente para a Mina de São Domingos (Mértola): um local com marcante passado de exploração mineira, de que é prova o edificado industrial de impressivo valor estético que ainda subsiste.

Continuar a ler

Agenda

“Campo de Férias Municipais” de Vendas Novas

Autarquia presta apoio às famílias mais carenciadas

Publicado

em

Vendas Novas

O objetivo é prestar apoio às famílias que apresentem carências financeiras

Decorre até dia 14 de junho, o período de candidaturas a apoio financeiro do “Campo de Férias Municipais” de Vendas Novas.

Este é um projeto do Município que tem como objetivo prestar apoio às famílias que apresentem carências financeiras e que não tenham onde deixar as crianças/jovens, com idades entre os 6 e 12 anos, no período de férias escolares.

O Município assume o compromisso de pagar diretamente ao CATL (Centro de Atividades de Tempos Livres) a frequência da criança/jovem apoiada, assim como presta apoio em blocos de atividades e transportes municipais.

A candidatura ao apoio financeiro do Campo de Férias Municipal não é condição suficiente para considerar a criança/jovem inscrita no CATL. As famílias devem sempre fazer a inscrição junto da entidade que escolheram, as quais estão elencadas no cartaz ilustrativo.

Continuar a ler

Agenda

Festival de mastros de S. Teotónio está de regresso

Este ano serão preparados sete mastros na vila de São Teotónio

Publicado

em

Odemira

O Festival de Mastros é promovido pela São Teotónio Nã Dorme

Entre 9 de junho e 29 de julho a freguesia de São Teotónio, no concelho de Odemira, volta a receber o Festival de Mastros. Com flores de papel preparadas pela população, que enfeitarão duas ruas da vila, haverá bailes, muita música, marchas populares e espetáculos. A animação será garantida e a festa constante neste Festival que, pela primeira vez, é descentralizado a várias aldeias da freguesia.

Este ano serão preparados sete mastros na vila de São Teotónio: Mastro no Quintalão (dias 10, 17 e 28 de junho), Mastro no Sobreirinho (dias 16 e 30 de junho), Mastro no Coração da Vila (dia 23 de junho) Mastro na Rua 25 de Abril (dia 1 de julho), e sete mastros descentralizados, nomeadamente, o Mastro no Cavaleiro (dia 9 de junho), Mastro em São Miguel (dia 17 de junho), Mastro na Azenha do Mar (dias 23 e 24 de junho), Mastro na Escola de João de Ribeiras (dia 14 de julho), Mastro no Centro Sociocultural do Brejão (dia 15 de julho) e Mastro na Relva Grande “Café Mirafoia” (dia 29 de julho).

A abertura solene será a partir das 21.00 horas do dia 10 de junho, seguindo-se o primeiro Mastro no Quintalão com atuação de Marcelo Rio.

O cartaz conta ainda com a atuação do Grupo de HipHop “Soul Beat” e o Encontro de Marchas, este último no âmbito de Festival de Marchas de Odemira (dia 17 de junho) e o espetáculo da tradicional “Ida à fonte” (dia 23 de junho).

O Festival de Mastros é promovido pela São Teotónio Nã Dorme – Associação das Tradições Locais e Junta de Freguesia de São Teotónio, em parceira com o Grupo Desportivo Renascente, Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos da Freguesia de São Teotónio, Associação para o Desenvolvimento da Região do Mira, Núcleo da Liga de Combatentes do Concelho de Odemira, Associação Cultural e de Desenvolvimento de Pescadores e Moradores da Azenha do Mar, que contam com o apoio do Município de Odemira.

Continuar a ler

Últimas

x
error: O conteúdo está protegido!!