Grândola recebe Residência Artística da Odisseia Nacional do Teatro D. Maria II

Estimated read time 2 min read

Grândola 

A programação desta odisseia procura democratizar a oferta teatral, fomentando a criação artística local

A Associação Cultural «Um Coletivo» vai iniciar uma Residência Artística na Aldeia do Pico, concelho de Grândola, com o Projeto Penélope, que cruza arte e agricultura, envolvendo a comunidade local e um grupo de crianças da Ludoteca na criação de um objeto artístico de arte contemporânea.

Numa adaptação da obra literária homónima de Alice Sampaio, este trabalho dramatúrgico tem por base o encontro entre artistas e público e a relação de afetividade entre a terra, a comunidade local e os espectadores e é também um projeto de desenvolvimento cívico, porque oferece ferramentas para dimensionar o futuro dos solos e trabalhar em direção à agricultura sustentável.

O processo de construção do projeto culminará na preparação em outubro de um canteiro (uma cama de permacultura) em conjunto com a comunidade envolvida, que mais tarde vai passar para teatro, transformando-se num cenário de um espetáculo. Pretende-se relacionar o pensamento contemporâneo com as identidades locais, aproximando a comunidade de novas linguagens artísticas.

Nesta residência, os artistas vão conhecer os espaços de trabalho de cada uma das mulheres e homens que participam no projeto, conhecer a terra, as hortas, o que cultivam e que sementes utilizam, mas com um olhar no futuro, já que vão ser abordadas novas formas sustentáveis de cultivo.

O Projeto Penélope está inserido na Odisseia Nacional do Teatro D. Maria II, que durante o presente ano põe os pés no território português, disseminado a sua atividade artística, envolvendo as populações, os agentes culturais e as administrações autárquicas de mais de 90 concelhos do país.

A programação desta odisseia procura democratizar a oferta teatral, fomentando a criação artística local, com projetos intergeracionais e inclusivos que refletem a diversidade do país.