65,8% dos portugueses entre os 18 e os 29 anos não estão preocupados com o sal

Estimated read time 4 min read

Estudo “Sal: Hábitos e preocupações alimentares dos portugueses”

Jovens não se preocupam com a quantidade de sal ingerido

65,8% dos portugueses com idade compreendida entre os 18 e os 29 anos não estão preocupados com a quantidade de sal ingerido revela o estudo “Sal: Hábitos e preocupações alimentares dos portugueses”*, realizado pela qampo, que demonstra que a preocupação em evitar /reduzir o consumo de sal só começa realmente a partir dos 70 anos.

O mesmo estudo mostra que, embora cientes de que a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda para um adulto o consumo máximo de 5g de sal por dia, 21,9% dos inquiridos admite consumir sal um pouco acima do que é recomendável. 3,5% assume mesmo que esse consumo é “em excesso”. No entanto, as mulheres (69,3%) são as que revelam mais preocupação em evitar /reduzir o consumo de sal. Por faixa etária a preocupação aumenta progressivamente com a idade tanto nas mulheres como nos homens, sendo que é a partir dos 70 anos (84,2%) que existe um maior cuidado na redução do consumo de sal.

” 65,8% dos portugueses com idade compreendida entre os 18 e os 29 anos não estão preocupados com a quantidade de sal ingerido”

Com 25,3% dos entrevistados a reconhecer que o seu médico já lhe recomendou uma alimentação mais saudável e a redução do consumo de sal, 32,7% refere recorrer habitualmente a alternativas ao sal. A salicórnia, planta que nasce nas rias e assume naturalmente o sabor salgado graças à absorção direta do sal do mar/solo onde se desenvolve, é referida de forma espontânea por 3,7% dos inquiridos.

Quando questionados se já conhece ou ouviu falar desta halófita que contem menos 75% de sódio, 26,3% dos portugueses responde de forma positiva. Destes 26,6% revela mesmo conhecer que a planta substitui o sal e é uma planta de água salgada (9,1%). 11,8% reconhece o seu sabor salgado.

“69% das mulheres revelam cuidado e preocupação com a alimentação, evitando ou reduzindo o consumo de salOs bens alimentares essenciais têm visto os seus preços a subir. No entanto, 55% dos entrevistados estaria disposto a pagar mais por uma alternativa saudável ao sal.”

Salicórnia: uma alternativa ao sal tradicional

Recomendada pela Sociedade Portuguesa de Hipertensão, a salicórnia é uma planta halófita que nasce nas rias, assumindo naturalmente o sabor salgado graças à absorção direta do sal do mar/solo onde se desenvolve.

Produto inovador, a salicórnia desidratada, para além de ter um teor de sódio 75% mais baixo do que o sal marinho, é rica em vitaminas A, C, D e sais minerais, e tem propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, diuréticas e antidiabéticas. Características que fazem da salicórnia qampo um excelente condimento alternativo para diminuir ou até mesmo eliminar a ingestão de sal, mas sem que com isso se retire o sabor às refeições.

“¼ dos portugueses já ouviu falar de salicórnia e das suas propriedades para a saúde”

Através de um processo de secagem patenteado, a qampo, marca do universo Grupo Nabeiro, apresenta, assim, uma alternativa para todos os portugueses que gostam do sabor salgado na comida, mas que não querem comprometer a sua saúde. 100 gramas de salicórnia fornecem 9,2 gramas de sódio, enquanto 100 gramas de sal fornecem 40 gramas.

Dentro da gama salicórnia, a qampo disponibiliza quatro produtos: salicórnia 100% e uma gama de misturas – mix massas, mix peixe e mix carne – que permitem cozinhar facilmente diferentes alimentos em diversos pratos e com todo o sabor.

“A Sociedade Portuguesa de Hipertensão recomenda a salicórnia qampo enquanto condimento alternativo para diminuir ou até mesmo eliminar a ingestão de sal”

A Qampo é uma marca que agrega um conjunto de produtos naturais, mais autênticos e tradicionais. A salicórnia, pelas suas propriedades e autenticidade, integra o portefólio na categoria salicórnia desidratada e está disponível 365 dias por ano.