Últimas:
‘Vamos fechar a torneira’ – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos

Sociedade

‘Vamos fechar a torneira’

Campanha para poupar água.

Publicado

em

“Um minuto por dia, vamos fechar a torneira à seca”

CAMPANHA DE ALERTA PARA A SECA

Sob o mote “Vamos fechar a torneira”, o Grupo Águas de Portugal e a Agência Portuguesa do Ambiente, em parceria com a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos e com o financiamento do Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente e da Ação Climática, lançam uma campanha de comunicação com o objetivo de sensibilizar para a importância de reduzir os consumos e fazer um uso eficiente da água no contexto de seca que se vive em Portugal.

Explorando o conceito de “tempo”, a campanha multimeios reforça que uma torneira
aberta durante um minuto pode gastar até 12 litros de água, o suficiente para garantir
as necessidades básicas diárias de 1 milhão de portugueses.

“Um minuto por dia, vamos fechar a torneira à seca” é o apelo principal das mensagens
de sensibilização que vão ser veiculadas através de suportes de comunicação em outdoor, imprensa, digital e redes sociais.

Não controlamos o tempo que faz, mas podemos controlar o que fazemos com o tempo
e, juntos, mobilizarmo-nos para a urgência de fechar a torneira à seca.

Esta campanha de sensibilização faz parte das medidas previstas no Plano de Prevenção,
Monitorização e Contingência para Situações de Seca aprovado pela Comissão
Permanente de Prevenção, Monitorização e Acompanhamento dos Efeitos da Seca.

Alguns conselhos úteis para uma boa utilização da água
• Fechar a torneira durante a lavagem dos dentes ou durante o barbear. Desta forma, poderá
reduzir entre 10 a 30 litros de água por dia.
• Fechar a torneira do duche durante o ensaboamento. Por cada 2 minutos no banho com a
torneira aberta são gastos cerca de 24 litros de água.
• Não deitar na sanita resíduos que devem ir para o lixo. Além de entupir os esgotos, cada
descarga do autoclismo representa entre 10 a 15 litros de água. Fazer descargas de
autoclismo apenas quando necessário.
• Aproveitar a água do duche, enquanto está a aquecer, para outros usos, como descargas na
sanita, lavagem de chão, rega de plantas, etc.
• Confirmar que deixa as torneiras bem fechadas. Uma simples torneira a pingar pode significar
um desperdício de 30 litros de água por dia.
• Ao substituir as máquinas de lavar, optar por eletrodomésticos que consomem menos água.
Na utilização, use os programas eco e as máquinas sempre com a carga máxima.
• Não lavar a louça ou roupa à mão com água corrente, utilizando para tal o lavatório tapado
ou um alguidar ou bacia.
• Aproveitar a água da lavagem de frutas e legumes para regar as plantas. Regar as plantas nas
horas de menos calor devido à evaporação. Não regar em excesso e escolher espécies com
menor necessidade de água ajuda a reduzir o consumo.
• Em situação de seca, evitar lavar o carro. Se tiver mesmo que o fazer, não usar mangueira,
que pode consumir até 400 litros de água.
• Controlar os gastos de água através da leitura mensal do contador ou da fatura da água.
Desta forma também poderá identificar consumos anormais que podem ter origem em fugas.

Continuar a ler
Publicidade

Sociedade

Balanço da Feira d’Aires 2022 (video)

Veja entrevista com o presidente da autarquia.

Publicado

em

Feira d’Aires 2022, Viana do Alentejo

Terminou em sucesso a edição deste ano

Está terminada a edição de 2022 da Feira d’Aires, em Viana do Alentejo. O presidente da autarquia fez questão de salientar o sucesso desta edição, após 2 anos de pandemia, e perspectiva já a edição do próximo ano.

Veja com a máxima qualidade nas opções escolha HD1080.

Continuar a ler

Sociedade

Ambientalistas não querem a Barragem do Pisão.

Inundar 724 hectares, destruir os ecossistemas existentes, cortar 40 mil azinheiras e sobreiros num montado produtivo e singular e deslocar o aglomerado urbano do Pisão na sua totalidade, movendo pessoas e bens sem se saber ainda para onde e como, dá que pensar sobre as opções e decisões tomadas à revelia de todos os pareceres das Organizações Não Governamentais de Ambiente.

Publicado

em

Quercus contesta aprovação do interesse público

Barragem do Pisão no Crato

O Governo constituiu o Empreendimento de Aproveitamento Hidráulico de Fins Múltiplos do Crato (EAHFMC), vulgo Barragem do Pisão, e adotou medidas excecionais para a concretização do mesmo, com a classificação como empreendimento de interesse público nacional, através do Decreto-Lei nº 62/2022, publicado ontem e que entra hoje em vigor.

Governo constitui e aprova empreendimento em termos ambientais de um dia para outro

Curiosamente, este empreendimento foi aprovado no Conselho de Ministros de 1 de setembro de 2022, apesar de já ter sido sujeito a um processo de Avaliação de Impacte Ambiental, previamente à sua constituição, o qual esteve em consulta pública até 11 de agosto. Em apenas 15 dias úteis, o governo emitiu a Declaração de Impacte Ambiental favorável condicionada a 2 de setembro, revelando que a decisão sobre o empreendimento já estava tomada.

O processo de consulta pública foi bastante participado, contando com contributos não de entidades públicas mas também de várias Organizações Não Governamentais do Ambiente e existiram de 147 cidadãos, tendo todos discordado do projeto, o que reflete a forma como é descurado o procedimento de Avaliação de Impacte Ambiental.

O governo veio declarar também a imprescindível utilidade pública, referindo que fica autorizado o corte ou arranque de sobreiros e azinheiras, em povoamentos ou isolados, limitado ao número de exemplares identificados por despacho do membro do Governo responsável pela área do ambiente, o que contraria a legislação aplicável. O estudo não avaliou alternativas de localização do empreendimento e estima-se que o montado, com 37.960 azinheiras e 1.843 sobreiros em povoamento, seja destruído pelo projeto.

A Quercus contesta as medidas excecionais e interesse público para um projeto de regadio, que apenas usou o argumento do abastecimento público para que a Comissão Europeia viabilizasse o financiamento do Programa de Recuperação e Resiliência.

Para o abastecimento público dever-se-á aproveitar dignamente as albufeiras da Póvoa e da Apartadura que estão construídas, modernizando-as e reforçando-as, em lugar de nos darmos ‘ao luxo’ de construir uma nova barragem no Pisão, com uma despesa pública de 171 milhões de euros.

Dever-se-á construir a interligação da Barragem da Apartadura com a Barragem da Póvoa, cuja rede de adutoras praticamente se toca entre os concelhos de Castelo de Vide e Nisa. Esta interligação terá uma distância e um custo mínimos, comparados com a interligação da prevista barragem do Pisão no concelho do Crato até à ETA (Estação de Tratamento de Água para abastecimento público) que se localiza precisamente na Barragem da Póvoa no concelho de Castelo de Vide.

Inundar 724 hectares, destruir os ecossistemas existentes, cortar 40 mil azinheiras e sobreiros num montado produtivo e singular e deslocar o aglomerado urbano do Pisão na sua totalidade, movendo pessoas e bens sem se saber ainda para onde e como, dá que pensar sobre as opções e decisões tomadas à revelia de todos os pareceres das Organizações Não Governamentais de Ambiente.

Continuar a ler

Artes

Feira d’Aires: momentos

Espetáculos na Feira d’Aires 2022.

Publicado

em

Feira d’Aires, em Viana do Alentejo.

Termina esta segunda feira com a atuação de Tony

Veja momentos da Feira d’Aires. Um Grupo de Sevilhanas passou pelo palco da Feira.

Continuar a ler

ÚLTIMAS

Facebook

x
error: O conteúdo está protegido!!