Siga-nos

Agricultura

Universidade de Évora e Jerónimo Martins Agro-Alimentar assinam protocolo para atividades de investigação e ensino

Serão desenvolvidos ensaios e projetos de investigação em áreas como o bem estar animal, a nutrição animal, a melhoria genética, a sanidade animal, a melhoria de indicadores ambientais, a qualidade do leite e eficiência no uso da água e da energia, a produção agrícola, o uso e a melhoria dos solos ou a recuperação do montado.

Amilcar Matos

Publicado

em

A Universidade de Évora (UÉ) e a Jerónimo Martins Agro-Alimentar assinaram um protocolo de colaboração para projetos conjuntos nas áreas da agropecuária, da aquacultura e dos laticínios. O documento abrange diversas licenciaturas como Medicina Veterinária, Engenharia Zootécnica, Engenharia Mecatrónica ou Biologia.

A Best Farmer, subsidiária da JMA dedicada à agropecuária, irá receber estagiários provenientes desta Universidade e disponibilizar a utilização da vacaria, bem como o apoio  de um tutor para acompanhar   os alunos  das licenciaturas em Medicina Veterinária e Engenharia Zootécnica.

A Terra Alegre, fábrica de laticínios do Grupo Jerónimo Martins em Portalegre, vai desenvolver atividades de investigação e desenvolvimento de novos produtos lácteos em conjunto com a Universidade de Évora, recebendo  também alunos de Engenharia Mecatrónica para estagiar na área da automação industrial.

A Universidade de Évora vai disponibilizar à Seaculture, que se dedica à aquacultura, a utilização de espaços, equipamentos e materiais do Laboratório de Ciências do Mar (CIEMAR), instalado em Sines, para apoiar a realização de análises patológicas de peixes, colaborando também no desenvolvimento de atividades de investigação relacionadas com aquacultura. Estas atividades incluem o melhoramento da sustentabilidade de recursos endógenos, incidindo na investigação da ecologia trófica, comportamento e conservação, para reforçar o conhecimento e a capacidade de gerir ambientes naturais e artificiais de forma sustentável.

Por seu lado, a Seaculture vai proporcionar estágios a alunos das áreas da Biologia e disponibilizar a utilização da zona autorizada de produção aquícola de que dispõe no Porto de Sines para o desenvolvimento de ensaios e projetos de investigação na área da aquacultura, qualidade da água e melhoria de indicadores ambientais.

De acordo com Ana Costa Freitas, reitora da Universidade de Évora, “para a Universidade de Évora a ligação ao tecido empresarial é encarada como estratégica. O protocolo agora assinado traz vantagens mútuas para a nossa Universidade e para o grupo Jerónimo Martins, permitindo não só um contacto mais estreito com as empresas do grupo por parte dos nossos estudantes, como também potencia o estreitamento de relações entre o Grupo Jerónimo Martins e a Universidade de Évora, através do desenvolvimento de estágios e trabalhos de investigação em ambiente empresarial, representando uma verdadeira sinergia.”

António Serrano, CEO da Jerónimo Martins Agro-Alimentar, refere que “a JMA tem vindo a realizar consideráveis investimentos no Alentejo e a nossa aproximação ao ensino superior é determinante para que este investimento seja focado no futuro. O conhecimento que a Universidade de Évora tem do tecido empresarial da região, as competências científicas nas áreas em que as nossas subsidiárias atuam e a qualidade do seu ensino serão seguramente uma importante mais-valia para os projetos de investigação, exploração de novas ideias e pesquisa de soluções inovadoras que vamos realizar em conjunto”.

Continuar a ler
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
700

Agricultura

Sabe quais são os concelhos que estão em seca severa e extrema ?

50 concelhos do sul do país são os mais afectados

TDS noticias

Publicado

em

O Ministério da Agricultura vai disponibilizar três milhões de euros, a partir desta segunda-feira, 24 de junho para ajudar os agricultores mais afectados nos 5 concelhos atingidos.

Segundo uma nota informativa do ministério, “este montante destina-se a explorações situadas nos concelhos onde se verificam as condições meteorológicas exigidas pela regulamentação comunitária para que a medida possa ser acionada”

Segundo o ministério, este apoio aplica-se aos dez municípios considerados em seca extrema:

Algarve Albufeira, Alcoutim, Castro Marim, Faro, Loulé, Olhão, São Brás de Alportel, Tavira, Vila do Bispo e Vila Real de Santo António

50 concelhos estão em seca severa:

Alandroal, Alcácer do Sal, Alcochete, Aljezur, Aljustrel, Almodôvar, Alvito, Arronches, Barrancos, Beja, Benavente, Borba, Campo Maior, Castro Verde, Coruche, Cuba, Elvas, Mértola, Estremoz, Évora, Ferreira do Alentejo, Grândola, Barreiro, Lagoa, Lagos, Moita, Monchique, Monforte, Montemor-o-Novo, Montijo, Moura, Mourão, Odemira, Ourique, Palmela, Portel, Portimão, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Santiago do Cacém, Seixal, Serpa, Sesimbra, Setúbal, Silves, Sines, Vendas Novas, Viana do Alentejo, Vidigueira e Vila Viçosa.

Continuar a ler

Top

TDS Peça Orçamento