Últimas:
Um dos 19 infectados de Moura faz hemodiálise e está internado no hospital de Beja. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Notícia TDS

Um dos 19 infectados de Moura faz hemodiálise e está internado no hospital de Beja.

Homem faz parte de uma comunidade com 150 pessoas.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Homem de 54 anos está internado após teste ter dado positivo.

O homem que faz hemodiálise em Beja terá sido o primeiro caso na comunidade cigana em Moura. Para alémm dele registam-se mais 18 casos.

A sua esposa e mais 17 menores, crianças e jovens.

Nesta altura existe um ‘cerco’ em redor do bairro Espadanal. A comunidade é formada por cerca de 150 pessoas. Fica a cerca de 2 kms da cidade de Moura.

O homem encontra-se internado no hospital de Beja aonde tem estado, à porta, largas dezenas de pessoas de etnia cigana. A PSP chegou a ser chamada ao local.

Nesta altura aguardam-se os resultados de testes COVID 19 feitos aos restantes elementos da comunidade cigana.

Prudêncio Canhoto, presidente da Associação de Mediadores Ciganos de Portugal (AMEC) descreveu ao jornal público “o ambiente de pânico” que se vive no bairro do Espadanal em Moura.

Notícia TDS

Passadiços no Pulo do Lobo custam quase meio milhão de euros e alteram a imagem da encosta.

A obra é financiada por fundos comunitários. Veja imagens de drone.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

foto e vídeo: TDS (direitos reservados)

Câmara de Serpa investe mais de 460 mil euros na construção dos passadiços no Pulo do Lobo.

“Passadiços estão quase prontos”

A obra vai permitir descer a encosta e observar as várias espécies de flora e fauna em pleno Parque Natural do Vale do Guadiana.

“A criação dos passadiços do Pulo do Lobo decorre da estratégia de desenvolvimento traçada pela Câmara de Serpa, onde a salvaguarda e valorização do património são determinantes, neste caso do património natural”, referiu Tomé Pires, presidente da autarquia, acrescentando que os passadiços que estão a ser construídos pela encosta da margem esquerda do Guadiana e que se estendem até à queda de água vão “valorizar a paisagem, permitindo a circulação e acesso à margem do Rio Guadiana, nas imediações da cascata, através de estruturas [em madeira] de acesso exclusivamente pedonal e integradas no meio natural”.

Os 50 metros, íngremes, até à margem do rio vão poder ser feitos em segurança, através de uma escadaria em madeira, com cerca de 300 degraus.

Ao longo das escadas, a cada 18 degraus, existem patamares para descanso dos visitantes e que servem também como miradouros.

Os passadiços oferecem uma vista privilegiada para a cascata do Pulo do Lobo, uma queda de água situada no Rio Guadiana.

Formada pelas águas do Rio Guadiana, a cascata tem “águas claras e cristalinas” que formam “um mar de espuma pelo meio de umas montanhas rochosas”, desaguando depois num lago com águas calmas.

O Pulo do Lobo é também um lugar de lendas e histórias.

A mais conhecida dá conta de um “homem audaz ou um lobo acossado que poderiam transpor só com um salto o desnível estreito e natural”.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!