Siga-nos

Património

Tauromaquia quer ser Património Cultural Imaterial

Em fase de conclusão está igualmente o trabalho exaustivo de levantamento e recolha de documentação que se encontra a ser compilado e reunido numa ampla Plataforma.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Encontra-se em fase de conclusão o projeto «Tauromaquia Património Cultural de Portugal» que resulta de uma candidatura vencedora ao Orçamento Participativo da Cultura de 2017.

“O trabalho é acompanhado e desenvolvido em estreita colaboração com a Direção-Geral do Património Cultural, entidade definidora e reguladora das políticas públicas para o Património Cultural em Portugal.”

O projeto, que tem como grande objetivo a Candidatura da Tauromaquia a Património Cultural Imaterial, é liderado pelo Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) através do Centro de Investigação e Estudos e Sociologia (CIES-IUL), o qual desenvolve projetos de investigação fundamental e aplicada nas áreas das ciências sociais e humanas.

Em fase de conclusão está igualmente o trabalho exaustivo de levantamento e recolha de documentação que se encontra a ser compilado e reunido numa ampla Plataforma que congrega um vastíssimo conjunto de materiais de diversa natureza e que abrangem todo o universo da cultura tauromáquica.

A coordenação do projeto vem efetuar um último apelo a todos os aficionados e intervenientes do espetáculo tauromáquico que sejam detentores de materiais que representem todas as áreas ou dimensões da tauromaquia nacional e que os desejem divulgar que os façam chegar através do seguinte endereço de email: candidatura@tauromaquiapatrimonio.pt.

Entre estes materiais está a possibilidade de envio de fotografias, vídeos, cartazes e todo o tipo de documentação (atual e antiga) que considerem válida para constar de um imenso espólio nacional sobre Tauromaquia em Portugal, ou de Portugal espalhada pela geografia taurina.

O interesse desta plataforma é caracterizar a cultura tauromáquica e, como tal, uma forma de demonstrar que esta é uma cultura que, inequivocamente, é património cultural de Portugal.

Continuar a ler
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
700

Património

Castelo de Palmela distinguido pelo TripAvisor

O Castelo reuniu 488 avaliações na plataforma online TripAdvisor, 251 são “Excelente” e 187 “Muito Bom”.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Castelo de Palmela-Prémio Travellers Choice 2020 – TripAdvisor

“Castelo de Palmela distinguido” 

O Castelo de Palmela, monumento emblemático da região, foi distinguido com o prémio Travellers Choice 2020 pelo portal de viagens TripAvisor, na sequência das avaliações e opiniões dos viajantes.

O Castelo reuniu 488 avaliações na plataforma online TripAdvisor, 251 são “Excelente” e 187 “Muito Bom”.

Sede definitiva da Ordem de Santiago, de 1443 até à sua extinção, em 1834, a fortificação é Monumento Nacional desde 1910. Dentro das suas muralhas encontram-se a Pousada Histórica de Palmela, situada no antigo convento da Ordem de Santiago; a Igreja de Santiago; as ruínas da Igreja de Stª. Maria, onde está instalado o Gabinete de Estudos sobre a Ordem de Santiago; o Posto de Turismo; lojas de artesanato e produtos regionais e um Café-Espanada.

O Museu Municipal apresenta diversos espaços visitáveis no Castelo: o Espaço Arqueológico, o Espaço de Transmissões Militares e a Reserva Visitável de escultura de São Tiago.

Recorde-se que a “Intervenção de natureza estrutural para evitar derrocadas nas Encostas do Castelo de Palmela”, a decorrer, é uma das obras de referência do PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos e foca-se na prevenção de um risco específico – derrocadas em vertente nas Encostas do Castelo de Palmela – potenciado por alterações climáticas. Trata-se de uma intervenção da responsabilidade do Município, que assegurou os diversos projetos, o acompanhamento e fiscalização, representando um investimento total de 2.901.103,80€, cofinanciado em 85% pelo Fundo de Coesão (2.492.598,26€). Os restantes 15% são assegurados pela DGTF – Direção-Geral do Tesouro e Finanças, proprietária do Castelo.

Continuar a ler

error: Content is protected !!