Últimas:
SOS Racismo acusa junta de Sobral da Adiça e militares da GNR de racismo – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Justiça

SOS Racismo acusa junta de Sobral da Adiça e militares da GNR de racismo

Documento do SOS Racismo é assinado por José Falcão e foi enviado à TDS

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

O SOS Racismo em nota enviada à TDS veio denunciar “uma queixa de elementos da comunidade cigana sobre uma situação (mais uma) ocorrida em Sobral da Adiça”, segundo refere.

SOS Racismo divulga queixa.

Segundo a nota enviada à nossa redação são apontados dois factos que confirmam os continuados actos de racismo para com a comunidade de etnia cigana que vive em Sobral da Adiça.

Por um lado o facto de a “esposa do presidente da Junta se servir da informação que foi para a junta e utiliza-la no seu próprio Facebook, por outro o facto dos comentários terem sido feitos por elementos da GNR.

Refere a nota: “Pelo menos dois dos que comentaram a esta situação são da GNR e a linguagem é de baixo  nível. É estas afirmações só mostram o racismo e xenofobia de elementos desta instituição.

Eis mais um dos resultados da impunidade demonstrada com o que se passou em Stº Aleixo da Restauração (mesma zona), Cabeça Gorda, etc. “, refere a nota do SOS Racismo.

Por último é dito, que “Esta Lei continua a demonstrar, todos os dias, que não serve para nada e tem que ser alterada.”

A nota, que tem em anexos várias conversas de facebook,  é assinada por José Falcão do SOS Racismo.

Justiça

Juiz Ivo Rosa levanta arresto da propriedade da ex mulher de Sócrates, em Montemor o Novo.

Em causa o Monte das Margaridas propriedade de Sofia Fava.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Arresto levantado ao Monte das Margaridas, em Montemor-o-Novo.

” Operação Marquês “

No despacho instrutório, proferido na sexta-feira, o juiz Ivo Rosa ordenou o levantamento imediato do arresto de vários bens imóveis dos arguidos, designadamente o Monte das Margaridas, em Montemor-o-Novo, adquirido pela ex-mulher de Sócrates Sofia Fava.

“Tendo em conta a decisão de não pronúncia relativamente aos crimes ora em causa, quanto aos saldos bancários apreendidos e bens imóveis arrestados, verifica-se que não existem indícios que as quantias e bens imóveis em causa são produto dos crimes de corrupção passiva de titular de cargo político imputados ao arguido José Sócrates”, lê-se no despacho.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!