Siga-nos

Economia

Roberto Grilo formaliza candidatura à presidência da CCDRA

Economista é o actual presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Roberto Grilo formaliza candidatura à presidência da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo

“Roberto Grilo não contou com qualquer estrutura partidária para a recolha das subscrições”

Roberto Grilo, 48 anos, economista, formalizou, dentro do prazo legal definido, a sua candidatura independente à presidência da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA).

O atual presidente da CCDRA entregou mais 25% de subscrições da sua candidatura do que estipulava o regulamento eleitoral. As propostas são subscritas por autarcas de praticamente todos os partidos com eleitos no Alentejo e vários movimentos independentes.

“Decidi candidatar-me, como independente, quando percebi que posso unir o Alentejo em torno de um projeto comum, que há um grande reconhecimento pelo trabalho que desenvolvi nos últimos cincos anos e porque tenho que ser sensível ao apelo da região para que não me fosse embora nesta situação de crise em que vivemos”, considera Roberto Grilo.

Economia

Novo plano estratégico aposta num Porto de Sines aberto ao mundo

Documento faz a transição da estratégia para a ação, identificando oito programas operacionais e três eixos estratégicos fundamentais

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Documento faz a transição da estratégia para a ação, identificando oito programas operacionais e três eixos estratégicos fundamentais

“Abrir o Porto de Sines para o mundo”

Abrir o Porto de Sines para o mundo, enquanto o prepara para um futuro cada vez mais moderno, inovador, digital e eficiente. É este um dos grandes objetivos do novo plano estratégico do Porto de Sines, documento que resulta de um estudo encomendado pela Administração do Porto de Sines ao Centro de Estudos de Gestão e Economia Aplicada (CEGEA) da Católica Porto Business School.

O plano, que estará em vigor até 2030, consiste numa reflexão sobre o posicionamento e o desempenho do Porto de Sines e, ainda, no desenho de um conjunto de opções quanto ao desenvolvimento futuro.

Coordenado por Álvaro Nascimento e por uma equipa composta por Luís Marques e Fernando Santos, docentes da Católica Porto Business School – em colaboração com uma equipa do próprio Porto de Sines –, o documento faz a transição da estratégia para a ação, identificando oito programas operacionais e, ainda, três eixos estratégicos fundamentais: o reforço da centralidade e da conectividade, assentes num modelo de gestão de rede ou de coordenação do sistema, e um compromisso firme com a sustentabilidade ambiental e social.

Desta forma, o plano estratégico conseguirá abrir o Porto de Sines para o mundo, preparando para dar resposta aos desafios futuros.

Recorde-se que o estudo foi apresentado no final de setembro, numa cerimónia que contou com a presença de Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas e da Habitação.

Acrescente-se, ainda, que o Porto de Sines tem despertado grande interesse de potenciais investidores norte-americanos e chineses, nomeadamente no que respeita à construção e concessão de terminais de GPL – Gás Propano Liquefeito e de hidrogénio verde para navios.

Estes projetos na área da Energia, do novo terminal de contentores e do desenvolvimento da vasta área/plataforma logística do Porto estão também incluídos no novo plano estratégico do Porto de Sines.

Continuar a ler

error: Content is protected !!