Últimas:
Notícia TDS: Responsável clínico do ACES Alentejo Central pediu demissão. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos

Saúde

Notícia TDS: Responsável clínico do ACES Alentejo Central pediu demissão.

Nuno Cardoso Jacinto refere que existiu um ‘desrespeito quase constante pelos Cuidados de Saúde Primários e pelos seus profissionais’

Publicado

em

Presidente do Conselho Clínico e de Saúde do ACES Alentejo Central demitiu-se

“Nuno Cardoso Jacinto apresentou renúncia ao cargo”

O Presidente do Conselho Clínico e de Saúde do ACES (Agrupamento de Centros de Saúde) Alentejo Central, o médico Nuno Cardoso Jacinto, acaba de apresentar a sua renúncia ao cargo.

Numa carta enviada ao Presidente da ARSA, o especialista em medicina geral e familiar, que exerceu o cargo nos últimos 9 meses, apresenta um vasto leque de justificações para a demissão do cargo.

Nuno Cardoso Jacinto enviou igualmente as justificações do seu pedido de demissão para os profissionais do ACES do Alentejo Central.

” O sistema nunca quiz saber de nós”.

Na carta, a que a TDS teve acesso, o médico refere que assistiu a um “desrespeito quase constante pelos Cuidados de Saúde Primários e pelos seus profissionais.”

E adianta: “Nunca fomos ouvidos e nunca fomos considerados nas decisões, apesar de em várias ocasiões termos sido acusados de ser os responsáveis pelas adversidades ou desconformidades que iam ocorrendo, conclui”

A carta é particularmente dura para quem como refere, “…nunca … se preocupou verdadeiramente connosco, com os profissionais de saúde dos CSP que estão no terreno e que dia após dia, sem descanso, dão o seu melhor em prol de uma causa e de uma instituição que não os valoriza.”

“Não aceito que nos ignorem, que nos sobrecarreguem com múltiplas tarefas a cada dia sem perceberem que não somos de ferro e que não temos o dom da omnipresença”, refere numa expressa critica aos serviços do Ministério da Saúde e da ARSA.

Nuno Cardoso Jacinto termina a carta com um agradecimento aos seus colegas mais diretos no ACES.

Críticas: Falta de coordenação com a ‘task force’

“Mais recentemente temos a vacinação Covid-19, que os Cuidados de Saúde Primários (CSP) estão a realizar de forma totalmente isolada e praticamente sem apoio, no meio de um absoluto pesadelo logístico, em que temos de suprir as insuficiências de um sistema que nunca quis saber de nós. Agendamentos, reagendamentos, conflitos com utentes (que nos ameaçam verbal e fisicamente), desrespeito pela capacidade instalada nos CVC (com sobreposições e número excessivo de utentes em diversos dias), tudo colocado em cima de nós, enquanto nos pedem que retomemos a nossa atividade assistencial normal, sem perceberem que estamos exaustos e não temos recursos para o fazer.”

As frases da demissão

“Nunca fomos ouvidos e nunca fomos considerados nas decisões, refere o presidente demissionário.”

“… o concurso para colocação de especialistas em MGF, apenas terem sido atribuídas a este ACES 7 das 11 vagas solicitadas, impossibilitando assim que se colmatem situações de carência de profissionais médicos em vários locais.”

” … por reconhecer a minha falta de capacidade para lidar com todos estes problemas, mas também, e sobretudo, em claro e vincado protesto por tudo o que acima descrevi, tomei a decisão que agora vos comunico.”

“Durante este tempo assisti a um desrespeito quase constante pelos Cuidados de Saúde Primários e pelos seus profissionais.”

“Na realidade sinto que nunca ninguém se preocupou verdadeiramente connosco, com os profissionais de saúde dos CSP que estão no terreno e que dia após dia, sem descanso, dão o seu melhor em prol de uma causa e de uma instituição que não os valoriza.”

“Mais recentemente temos a vacinação Covid-19, que os CSP estão a realizar de forma totalmente isolada e praticamente sem apoio, no meio de um absoluto pesadelo logístico, em que temos de suprir as insuficiências de um sistema que nunca quis saber de nós.”

Saúde

Conferência: O papel do cuidador e a sua saúde mental.

Decorre em Évora a 25 de maio.

Publicado

em

Cantinho do Cuidador

O projeto Cantinho do Cuidador, projeto de profissionais de saúde do da Unidade de Cuidados na Comunidade do centro de Saúde de Évora, procura chegar a todos os Cuidadores Informais do Concelho de Évora com ações que visam a capacitação para o papel de cuidador, mas também promovendo o seu bem-estar e prevenindo os elevados níveis de exaustão a que esta atividade está sujeita.

Em curso desde 2019, encontra-se agora retoma as atividades de grupo pós pandemia, com + uma sessão, desta vez a acontecer no próximo dia 25 de maio pelas 16h na Fundação Eugénio de Almeida, sobre o tema “a Saúde mental do Cuidador“.

Sabendo-se que quem está nesta condição de Cuidar de alguém doente/dependente, está muitas vezes isolado em casa, a nossa experiência diz-nos que a divulgação destas iniciativas com recurso aos órgãos de comunicação social é uma boa forma da informação chegar a quem dela precisa.

Continuar a ler

Educação

Cantina de escola em Évora deixa de funcionar devido a casos de covid-19

Vários professores e assistentes operacionais infetados

Publicado

em

Os alunos da escola Conde de Vivalva em Évora vão ficar sem refeitório já a partir de amanhã e por tempo indeterminado devido a vários casos de covid-19 entre funcionários do estabelecimento de ensino.

Para além de casos positivos em auxiliares e assistentes técnicos há também professores com teste positivo à covid-19 o que leva a constrangimentos também no que diz respeito às aulas. 

A Escola Básica Conde de Vilalva, iniciou a sua atividade em 1993, e situa-se no Bairro do Bacelo, em Évora.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!