Siga-nos

Sociedade

Reguengos de Monsaraz assinala o Mês Internacional da Prevenção dos Maus-tratos na Infância

Estas iniciativas são promovidas pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Reguengos de Monsaraz e pelo Município de Reguengos de Monsaraz no âmbito do Mês Internacional da Prevenção dos Maus-tratos Infantis, que tem como mote da campanha “Serei o que me deres… que seja amor”.

Avatar

Publicado

em

o Mês Internacional da Prevenção dos Maus-tratos Infantis é assinalado em comunidade, no concelho de Reguengos de Monsaraz. O desafio à formação de laços humanos e respetiva divulgação foi lançado pela CPCJ de Reguengos de Monsaraz, individualmente, a todas coletividades e associações locais com atividade jovem.

Durante o mês de abril, o edifício da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz tem laços azuis nas paredes para assinalar o Mês Internacional da Prevenção dos Maus-tratos Infantis.

Os momentos comunitários acontecerão no dia 30 de abril. Às 12h, na Praça da Liberdade, os trabalhadores do Município de Reguengos de Monsaraz, juntamente com os formandos do Polo de Reguengos de Monsaraz da Universidade Popular Túlio Espanca, os seniores do Projeto Séniores a Mexer e os utentes do CAO da Santa Casa da Misericórdia de Reguengos de Monsaraz formarão um laço humano.

Pelas 18h, no parque desportivo de Reguengos de Monsaraz, formar-se-á o maior laço humano, para o qual está convidada toda a população do concelho e se conta, igualmente, com a presença de todas as entidades que trabalham com crianças e jovens.

A Organização Mundial de Saúde define os maus-tratos infantis como o abuso ou negligência que ocorrem em crianças com idade inferior a 18 anos, incluindo todos os tipos de abusos físico, emocional, sexual, negligência e exploração comercial ou outra, que resulte em dano real ou potencial para a saúde da criança, a sua sobrevivência, desenvolvimento ou dignidade no contexto de uma relação de responsabilidade, confiança ou poder.

Continuar a ler
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
700

Sociedade

Simulacro em aldeias de Odemira para ensinar as populações a fugir dos incêndios

O Programa “Aldeia Segura, Pessoas Seguras” foi implementado em aldeias que possuem freguesias identificadas como tendo maior risco no âmbito da defesa da floresta contra incêndios.

TDS noticias

Publicado

em

As aldeias de Lameiros, na Freguesia de S. Luís, e Vale Ferro, na Freguesia de Relíquias, no concelho de Odemira, vão receber Simulacros do Programa “Aldeia Segura, Pessoas Seguras”, que se esta terça feira, a partir das 15.00 horas.

Para a concretização deste simulacro foram designados um Oficial de Segurança da Aldeia e um seu Substituto, em cada aldeia, bem como identificados locais de abrigo coletivo, através de sinalização. O Oficial de Segurança da aldeia terá como missão transmitir avisos à população, organizar a evacuação do aglomerado em caso de necessidade e fazer ações de sensibilização junto da população.

Em 2018 foram promovidos simulacros do Programa “Aldeia Segura, Pessoas Seguras” em outras duas aldeias do concelho de Odemira, designadamente nas aldeias de Moitinhas (freguesia de Sabóia) e Corte Malhão (freguesia de S. Martinho das Amoreiras).

A execução do Programa “Aldeias Seguras, Pessoas Seguras” resulta da cooperação entre a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), o Município de Odemira, através do Serviço Municipal de Proteção Civil, os Bombeiros Voluntários de Odemira, a Guarda Nacional Republicana e as Juntas de Freguesias de S. Luís e de Relíquias.

Continuar a ler

Top

TDS Peça Orçamento