Últimas:
Praia da Comporta só pode ter 2000 banhistas. Veja lista do Alentejo. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Sociedade

Praia da Comporta só pode ter 2000 banhistas. Veja lista do Alentejo.

Carvalhal e Praia do Pego também só podem ter 2000 banhistas em simultâneo. Porto Covo só pode ter 400.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Já é conhecida a lotação máxima das praias portuguesas, uma das medidas decretadas no âmbito da atual pandemia do novo coronavírus.

“O documento foi divulgado pela Agência Portuguesa do Ambiente.”

Relativamente às praias do Alentejo, é possível consultar a lotação máxima das praias dos concelhos de Grândola, Santiago do Cacém, Sines e Odemira.

Veja o mapa divulgado esta terça-feira. Consulte AQUI.

A lotação das praias portuguesas será controlada por semáforos.

Refira-se que deve manter um distanciamento mínimo de 1,5 metros entre banhistas e 3 metros entre chapéus ou toldos.

Sociedade

Trabalhadoras da Comissão de Melhoramentos de Sousel dizem que tem que picar ponto hora a hora

Alegado abuso de poder é denunciado pela União dos Sindicatos do distrito de Portalegre.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Trabalhadoras da Comissão de Melhoramentos de Sousel contra abuso de poder

“Há dois meses, as trabalhadoras da Comissão de Melhoramentos de Sousel, uma IPSS, foram confrontadas com a obrigatoriedade de recorrer ao controlo automático de assiduidade, ou seja, “picar o ponto”, de hora a hora.”

Independentemente dos cuidados que estejam a prestar aos idosos, as trabalhadoras têm de interromper a tarefa e deslocar-se ao aparelho de controlo biométrico de assiduidade, segundo as mesmas referem.

Numa das valências, as trabalhadoras, cujo uso do elevador está proibido com o objectivo de poupar no consumo de energia, têm de subir e descer as escadas, acção que chegaram a fazer 16 vezes num dia.

Esta obrigatoriedade consiste em mais um abuso de poder por parte desta IPSS, segundo as trabalhadoras e a União de Sindicatos do Norte Alentejano.

“Nos últimos anos, a falta de respeito pelas trabalhadoras da Comissão de Melhoramentos de Sousel têm-se agravado, o que levou já, a que trabalhadoras com anos de antiguidade rescindissem o seu contrato de trabalho”, refere o sindicato em comunicado.

Ontem, dia 1 de Março, decidiram organizar plenários à entrada das duas valências desta instituição, em Santo Amaro e Cano, e, com o apoio de vários activistas sindicais, aprovaram uma resolução em que decidem não cumprir a obrigatoriedade de picar o ponto hora a hora, continuar a lutar pelo pagamento do subsídio de turno (obrigação a que a instituição já foi notificada pela ACT para cumprir), exigir a actualização salarial a que têm direito já publicada em BTE e resistir com a sua unidade e força às pressões, ameaças e abusos de poder que dizem ser alvo por parte da direcção da Comissão de Melhoramentos de Sousel.

Continuar a ler

x
error: Content is protected !!