Siga-nos

Autarquias

Parque Urbano de Alcácer com consignação assinada. Zona ribeirinha nascente vai ter nova ‘cara’.

O prazo de execução da empreitada é de 792 dias (aproximadamente dois anos e dois meses), contados a partir da data de 8 de julho de 2019

TDS noticias

Publicado

em

O Salão Nobre dos Paços do Concelho recebeu a assinatura do auto de consignação da empreitada referente à reconversão urbanística da zona ribeirinha nascente – Parque Urbano de Alcácer do Sal.

Presentes na assinatura do auto estiveram o presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, Vítor Proença, os vereadores Ana Soares e Nuno Pestana e o Engº. António Paulo, representante do empreiteiro adjudicatário da obra, a empresa António Saraiva & Filhos, Ldª.

Após a assinatura do auto, Vítor Proença salientou que a empreitada, que totaliza um valor de cerca de 3.5 milhões de euros, comparticipados em 85% por fundos comunitários, “é a de valor mais elevado na história do município de Alcácer do Sal, juntando-se a uma outra, atualmente em execução, no valor de 1 milhão de euros (obra do Interface de Transportes), o que totaliza um investimento na zona nascente da cidade num valor de cerca de 4.5 milhões de euros”.

O autarca sublinhou que “existe uma expetativa muito grande na população e nos visitantes do concelho de Alcácer do Sal na intervenção que vai ser feita na área da feira”, reiterando ainda que deposita “grande confiança na empresa à qual a obra está adjudicada”, afirmando que está convicto de que a obra “vai decorrer dentro dos prazos, dado que o cumprimento dos deveres financeiros por parte da Câmara Municipal de Alcácer está assegurado”.

Na prática, a assinatura do auto de consignação desta empreitada permite que, a partir do dia de hoje, os trabalhos possam ter início. Recorde-se que o prazo de execução da empreitada é de 792 dias (aproximadamente dois anos e dois meses), contados a partir da data de 8 de julho de 2019.

Continuar a ler
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
700

Autarquias

Évora vai recuperar Poços e Nascentes do Aqueduto

A implementação deste sistema permitirá uma redução da quantidade de água tratada usada para rega na ordem dos 140.000m3/por ano. O custo dos trabalhos é estimado em 653.100 euros+IVA.

TDS noticias

Publicado

em

O Executivo da Câmara Municipal de Évora aprovou por unanimidade a Abertura de Concurso para Reabilitação de Poços e Nascentes do Aqueduto, Execução de Reservatório e Rede de Distribuição de Água para Rega.

Uma medida aplaudida por toda a Vereação, uma vez que permitirá uma grande poupança financeira à autarquia, além da importância que tem no plano ecológico.

Esta candidatura, elaborada e aprovada ainda no anterior mandato no âmbito do Projecto LIFE – Água da Prata, beneficia de apoio financeiro da Comissão Europeia a 60%.

Visa dar uso à água proveniente do Aqueduto da Água da Prata, tendo em conta que não se prevê a sua utilização para consumo humano no âmbito do contrato entre a Câmara e a Águas de Vale do Tejo.

Procura-se, assim, reduzir os gastos municipais relativamente ao consumo de água da rede pública para rega dos espaços verdes e diminuir a dependência que a rega de espaços verdes tem na rede pública de água tratada.

Os trabalhos incluem a reparação de nascentes e condutas do Aqueduto e reequipamento das estações de bombagem nos poços da Graça do Divor; construção de um reservatório de água em S. Bento; e construção de rede de distribuição de água exclusivamente para rega.

Com esta decisão, pretende-se reforçar o caudal de água captado na Graça do Divor, criar um armazenamento de água exclusivamente para rega e fazer distribuição de água por cerca de 20,3ha, aproximadamente metade das áreas verdes regadas da cidade. Está previsto ainda um futuro alargamento da rede a eventuais jardins no Bairro da Casinha e à expansão do jardim do Bairro do Moinho.

Continuar a ler

Top

TDS Peça Orçamento