Últimas:
“Pão Solidário” para quem tem que trabalhar nesta altura. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Gastronomia

“Pão Solidário” para quem tem que trabalhar nesta altura.

Veja o trabalho de quem não quer que o pão quente acabe em Grândola

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Fornadas quentinhas as 12h e ás 19h.

Trabalham por gosto mas essencialmente para ajudar quem nesta altura tem que trabalhar.

Bombeiros e GNR mas não só. São muitos os que já provaram pão quente em tempo de restrições entre eles muitos idosos.

São de Grândola, dois homens e uma mulher. Todos os dias, duas vezes ao dia metem as mãos na massa.

Fazem a distribuição em conjunto com a Junta de Freguesia local mas muitos vão ao local de fabrico comprar.

Um euro por pão para ajudar na compra de mais farinha…para mais pão.

Na sua publicação no Facebook afirmam:

“Queremos muito servir a todos, mas nos últimos dias temos trabalhado 19h diárias sem pausas e se assim continuarmos, não conseguiremos cumprir o objectivo da nossa causa que é levar pão a todas as mesas que tenham necessidades..  Toda a vila de Grândola e localidades adjacentes nos têm apoiado e adquirido o nosso pão, e se vamos ajudar os que mais precisam, em parte o mérito é vosso, que nos ajudaram e ajudam”, referem.

Não estão na linha da frente mas também são heróis em tempo de Pandemia.

Continuar a ler
Publicidade
18 Comentários

18
Deixe um comentário

avatar
700
18 Respostas ao comentários
0 Respostas
0 Seguidores
 
Comentários com mais reações
Comentários mais populares
11 Autores dos comentários
TimothyForseMichaelserTimothyForsekitrecyRobertphexy Autores dos comentários mais recentes
orefrow
Visitante
orefrow

Kamagra Green Efectos Secundarios Trelvequerce brand name cialis online Taugsgop Cialis 20mg Filmtabletten Einnahme

RichardBef
Visitante
RichardBef

price of viagra best place to buy generic viagra online
viagra price

Terryfearf
Visitante
Terryfearf

ed pills online buy ed pills from canada
cheap medications

Terryfearf
Visitante
Terryfearf

cheap ed pills in mexico cheap ed pills in mexico
buy ed pills

Terryfearf
Visitante
Terryfearf

buy ed pills comparison of ed drugs
ed pills without a doctor prescription

Billywrila
Visitante
Billywrila

buy roxithromycin online: tetracycline for sale
buy ketoconazole generic

Michaelcribe
Visitante
Michaelcribe

india pharmacies shipping to usa: usa pharmacy india india pharmacy

Michaelcribe
Visitante
Michaelcribe

cheap online pharmacies from india: online indian pharmacies best india pharmacy

Michaelcribe
Visitante
Michaelcribe

online indian pharmacies: usa pharmacy india prescriptions from india

Robertphexy
Visitante
Robertphexy

order erectile dysfunction pills: https://edpillsonline24.com/# best erectile dysfunction pills review

Robertphexy
Visitante
Robertphexy

red erectile dysfunction pill: https://edpillsonline24.com/# over the counter ed medication

Danilofrord
Visitante
Danilofrord

meet singles online
single women dating

Robertphexy
Visitante
Robertphexy

order erectile dysfunction pills: https://edpillsonline24.com/# mail order erectile dysfunction pills

Michaelser
Visitante
Michaelser

no prescription viagra: viagra online no prescription buy viagra online without prescription

kitrecy
Visitante
kitrecy

http://vskamagrav.com/ – kamagra gel cheap

TimothyForse
Visitante
TimothyForse

good free dating sites
single women dating

Michaelser
Visitante
Michaelser

viagra price: viagra without prescription viagra without a doctor prescription canada

TimothyForse
Visitante
TimothyForse

Economia

Quebras de 60% na Restauração e 90% no Alojamento em outubro.

Na Restauração e Bebidas, 41% das empresas ponderam avançar para insolvência.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Inquérito AHRESP

“Outubro com quebras dramáticas de faturação: 60% na Restauração e 90% no Alojamento”

A persistente e agravada situação pandémica tem provocado uma inibição do consumo e drástica redução da faturação. O inquérito mensal da AHRESP, relativo ao mês de outubro, vem revelar uma intenção de requerer insolvência de 41% das empresas de restauração e 19% das empresas de alojamento.

Ao nível do emprego, 47% das empresas de restauração e 27% das empresas de alojamento indicaram que já efetuaram despedimentos desde o início da pandemia.

Lisboa, 05 de novembro de 2020 – Os resultados de mais um Inquérito Mensal da AHRESP –  Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal à atividade turística, confirmam o desespero das empresas e demonstram enormes dificuldades em conseguir manter os negócios e os postos de trabalho, caso não surjam apoios imediatos. A insolvência e os despedimentos são inevitáveis.

Na Restauração e Bebidas, 41% das empresas ponderam avançar para insolvência, dado que as receitas realizadas e previstas não permitirão suportar todos os encargos que decorrem do normal funcionamento da sua atividade.

Para as empresas inquiridas, a faturação do mês de outubro foi devastadora, com mais de 43% das empresas a registarem quebras homólogas de faturação acima dos 60%.

Como consequência da forte redução de faturação, cerca de 14% das empresas não conseguiram efetuar o pagamento dos salários em outubro e 11% só o fez parcialmente.

Com esta realidade, 47% das empresas já efetuaram despedimentos desde o início da pandemia. Destas, 27% reduziram o quadro de pessoal entre 25% e 50%, e 14% reduziram em mais de 50% os postos de trabalho a seu cargo. Cerca de 23% das empresas assumem que não vão conseguir manter todos os postos de trabalho até ao final do ano.

No Alojamento Turístico, 23% das empresas não registaram qualquer ocupação no mês de outubro e 30% indicou uma ocupação máxima de 10%. Para o mês de novembro, cerca de 50% das empresas estimam uma taxa de ocupação zero, e mais de 24% das empresas perspetivam uma ocupação máxima de 10%. Para os meses de dezembro e janeiro a estimativa de ocupação zero agrava-se, sendo referida por mais de 57% das empresas.

Para as empresas inquiridas, a faturação do mês de outubro foi devastadora, com mais de 36% das empresas a registarem quebras homólogas de faturação acima dos 90%.

Com estas perdas, cerca de 19% das empresas ponderam avançar para insolvência por não conseguirem suportar todos os normais encargos da sua atividade.

Como consequência da forte redução de faturação, cerca de 21% das empresas não conseguiram efetuar o pagamento dos salários em outubro e 9% só o fez parcialmente.

Com esta realidade, 27% das empresas já efetuaram despedimentos desde o início da pandemia. Destas, 24% reduziram o quadro de pessoal entre 25% e 50%, e cerca de 30% reduziram em mais de 50% os postos de trabalho a seu cargo. Mais de 15% das empresas assumem que não vão conseguir manter todos os postos de trabalho até ao final do ano.

A AHRESP considera que, com as novas restrições em grande parte do território português, o funcionamento das atividades económicas será necessariamente agravado, sendo por isso ainda mais urgente a disponibilização de medidas para estes setores.

Exemplo desse agravamento são os dados publicados pelo INE referentes ao 3º trimestre de 2020 (período normal de maior empregabilidade), revelando que a restauração e o alojamento perderam 49.200 postos de trabalho face ao mesmo período de 2019.

As 10 medidas propostas pela AHRESP, que acolhem alguns exemplos de outros países europeus, procuram contribuir para a sobrevivência de muitas das 119 mil empresas e dos 400 mil postos de trabalho diretos.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!