Últimas:
Olivum lança Programa de Sustentabilidade do Azeite do Alentejo – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos

Agricultura

Olivum lança Programa de Sustentabilidade do Azeite do Alentejo

Em parceria com a Universidade de Évora.

Publicado

em

A Olivum, Associação de Olivicultores e Lagares do Sul vai lançar, em parceria com a Universidade de Évora, o Programa de Sustentabilidade do Azeite do Alentejo (PSAA).

“Lançamento acontece esta terça-feira, dia 12 de abril.”

Esta iniciativa é dirigida aos produtores de azeitona e lagares do Alentejo e pretende dar resposta a desafios prementes do setor olivícola da região.

Entre os objetivos deste programa de adesão voluntária está o reforço da capacitação empresarial na implementação, valorização e comunicação das melhores práticas de sustentabilidade.

O Programa de Sustentabilidade do Azeite do Alentejo resulta do reconhecimento da importância da oferta de azeites da região produzidos de forma sustentável nas suas dimensões ambiental, social e económica.

“O olival moderno é responsável por 73% da produção nacional de azeite, com o Alentejo a contribuir com 85% do total produzido em Portugal”, quem o diz é Pedro Lopes, presidente da Olivum, que assume que “a sustentabilidade ambiental e a compatibilização entre agricultura e proteção da natureza são uma das prioridades da Olivum”.

Maria Raquel Lucas, professora da Universidade de Évora, recorda que “a sustentabilidade, mais do que um objetivo, é um processo no qual o olival o moderno e os olivicultores estão empenhados em melhorar a produtividade e o bem estar social e ambiental, alargar mercados e levar o conhecimento sobre o cultivo da azeitona mais longe”.

A sessão de apresentação acontece esta terça-feira, dia 12, entre as 9h e as 13h, no PACT – Parque do Alentejo da Ciência e Tecnologia, em Évora.

Agricultura

Agricultores discutem consequências da guerra no setor, em Elvas.

O objetivo é promover a discussão entre todos os intervenientes das fileiras dos cereais, proteaginosas, oleaginosas, pastagens e forragens e olivicultura, atendendo ao contexto marcado pela guerra.

Publicado

em

ANPOC e INIAV assinalam Dia Nacional do Agricultor

Discussão sobre Soberania Alimentar

A Associação de Produtores de Proteaginosas, Oleaginosas e Cereais (ANPOC), em conjunto com o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV), assinala o Dia Nacional do Agricultor, a 17 de maio, com uma visita aos campos de ensaios das diferentes espécies para conhecer o trabalho de investigação ali desenvolvido, e com uma sessão de discussão subordinada ao tema ‘Soberania Alimentar e Agricultura em Portugal’, a decorrer no Polo de Inovação de Elvas.

O objetivo é promover a discussão entre todos os intervenientes das fileiras dos cereais, proteaginosas, oleaginosas, pastagens e forragens e olivicultura, atendendo ao contexto marcado pela guerra.

O Alentejo é uma das principais regiões produtoras e exportadoras de cereais e oleaginosas, e num momento em que se assiste à transição para os modelos preconizados na estratégia europeia ‘Do Prado ao Prato’, bem como ao aumento de preços generalizado.

Continuar a ler

Agricultura

Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios reuniu esta manhã

Em Alcácer do Sal

Publicado

em

Foto: cm Alcácer do Sal

Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios reuniu esta manhã

Realizou-se hoje, dia 3 de maio, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, a reunião da Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios para o Concelho de Alcácer do Sal.
A sessão, presidida pelo presidente da Câmara Municipal, Vítor Proença, onde estiveram presentes técnicos de gestão urbanística e proteção civil da autarquia e as entidades que compõem a Comissão Municipal, teve como ponto principal a análise e votação do Plano de Defesa da Floresta Contra Incêndios, que saiu desta reunião aprovado.
Recordamos que esta comissão é uma estrutura de articulação, que planifica e age com a função de definir e estruturar orientações no âmbito da defesa das florestas.
A política de defesa da floresta contra incêndios não pode ser implementada de isoladamente, mas antes inserindo-se num contexto mais alargado de ambiente e ordenamento do território, de desenvolvimento rural e de proteção civil.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!