Siga-nos

Artes

Obras de 1,6M€ no Convento da Saudação em Montemor o Novo

Obras de consolidação estrutural no Convento da Saudação prosseguem

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Fotos: CM Montemor-o-Novo

No âmbito da candidatura aprovada ao Fundo de Salvaguarda do Património Cultural do Ministério da Cultura, continua a decorrer a obra de consolidação estrutural do Convento da Saudação, num investimento previsto de 1,680.000 milhões de euros.

“Obras de consolidação estrutural no Convento da Saudação prosseguem”

A intervenção no Convento, que é Monumento Nacional, e cuja responsabilidade de gestão é da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, por acordo estabelecido com a Direção Geral do Tesouro e Finanças, através da assinatura de Auto de Cedência em agosto de 2018, trata-se de um anseio antigo e muito pretendido pela autarquia e população.

Após esta primeira grande intervenção, seguir-se-á a recuperação e reutilização do Convento da Saudação, numa candidatura da pela Câmara Municipal já aprovada e com financiamento de fundos comunitários, para garantir visitas patrimoniais públicas, a instalação de serviços municipais e do Centro Nacional de Artes Transdisciplinares, bem como o desenvolvimento do projeto cultural do CNAT – Centro Nacional de Artes Transdiciplinares.

A dinamização da economia urbana em torno da cultura e do Património, eixo estratégico para o desenvolvimento do concelho, terá assim um novo impulso com a conclusão das intervenções previstas, reforçando a afirmação de Montemor-o-Novo, como cidade de Cultura e Património.

Agenda

Morte e Rituais funerários do Islão Medieval

Conferência é dada pelo antigo presidente da Câmara de Moura e atual investigador do Campo Arqueológico de Mértola

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Foto: CMBeja
Morte e Rituais Funerários no Islão Medieval

“Por Santiago Macias, investigador do Campo Arqueológico de Mértola”

A conferência terá lugar esta quinta feira, no Auditório do Centro Unesco, em Beja.

A conferência andará muito à volta das seguintes ideias: “Até há 40 anos, era virtualmente desconhecida, em Portugal, a localização das necrópoles do período islâmico. Havia algumas referências escritas referentes a cemitérios mas, do ponto de vista material, nada fora identificado.

Os trabalhos de investigação desenvolvidos nas últimas décadas permitiram definir muitos desses espaços mortuários, tanto nos meios urbanos como em áreas rurais.

É à volta da topografia das necrópoles que andaremos, com incursões no domínio das mentalidades. Porque, como bem se sabe, a forma como olhamos a morte diz muito sobre a maneira como vivemos. ”

Continuar a ler

error: Content is protected !!