Siga-nos

Sociedade

“NÓS POR ALCÁCER” percorreu quase 5 mil quilómetros e apoiou 232 pessoas

Percorreu até 30 de junho 4.985 km para apoiar 75 famílias carenciadas, num total de 347 visitas efetuadas com dádivas que chegaram a 232 pessoas.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

O projeto de voluntariado “NÓS POR ALCÁCER”, que desde março ajuda famílias do concelho sinalizadas pelos parceiros sociais e pelo Setor de Ação Social da Câmara Municipal de Alcácer do Sal (algumas delas com necessidades inesperadas devido à COVID-19), percorreu até 30 de junho 4.985 km para apoiar 75 famílias carenciadas, num total de 347 visitas efetuadas com dádivas que chegaram a 232 pessoas.

“Com o apoio do Município de Alcácer do Sal”

O balanço, remetido ao Município pelo grupo de voluntários, é acompanhado de um agradecimento à autarquia pela “sua sensibilidade e disponibilidade de meios (Pavilhão Municipal dos Desportos, viaturas, máscaras, gel desinfetante, seguro, bens de consumo, etc)”, frisando ainda a importante “colaboração do Serviço de Ação Social da Câmara através dos seus técnicos e vereador”, sendo que, de acordo com as indicações do Serviço de Ação Social do Município, o grupo tem “realizado também a distribuição de bens doados pelo Banco Alimentar Contra a Fome”.

Os agradecimentos estendem-se igualmente ao Intermarché de Alcácer e à empresa AMCOR, pelas suas “generosas dádivas” diárias e “grande apoio”.

As famílias abrangidas pelo trabalho dos voluntários residem principalmente na cidade e bairros de Alcácer, assim como no Torrão, Santa Susana, Santa Catarina, Montevil, Vale de Guizo e Arêz.

Nas visitas efetuadas foi entregue: comida confecionada, bens de consumo para confecionar, pão, lacticínios, fraldas, produtos hortícolas, roupa individual, atoalhados, roupa de cama, loiças, brinquedos, livros, produtos de higiene e limpeza, equipamento informático, eletrodomésticos e mobiliário, entre outros.

A par destas necessidades, os voluntários valorizam ainda o diálogo com as famílias, de modo a fomentar a sua autoestima e ajudar a revitalizar a saúde mental de ambas as partes.

“As pessoas que fazem parte do grupo de voluntários «NÓS POR ALCÁCER» orgulham-se pelo trabalho realizado até agora, fazendo por serem bons cidadãos e munícipes deste concelho do qual fazemos parte”, conclui o documento de balanço.

Continuar a ler
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
700

Agricultura

APORMOR ‘repudia’ intenção da ministra da agricultura

Associação repudia intenção do Governo em criar uma Direção-Geral dependente do Ministério do Ambiente para a sanidade e bem-estar animal

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

A APORMOR associa-se a todas as organizações que já manifestaram o repúdio pela intenção do Governo de criar uma Direção-Geral dependente do Ministério do Ambiente para o bem-estar dos animais de companhia, satisfazendo, parcialmente, uma exigência de um dos seus apoiantes, o PAN.

Dizemos parcialmente, porque este partido político exige que também os animais de produção sejam abrangidos.

“APORMOR repudia intenção do Governo de criar uma Direção-Geral dependente do Ministério do Ambiente para a sanidade e bem-estar animal”

Segundo a APORMOR em comunicado “O Mundo Rural mobilizou-se, quase em uníssono, contra esta intenção de tirar aos técnicos da Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) a gestão do bem-estar animal e entregá-la aos políticos, neste caso e neste contexto a pessoas que, dizendo-se defensores dos animais e da natureza, são as que mais atentam contra as leis naturais que têm garantido, ao longo dos séculos, a coexistência entre as espécies animais, incluindo a humana.

E esta vida em comum na natureza tem tido, nas últimas décadas, o apoio indispensável da DGAV e das Direções-Gerais que a antecederam, não só na sanidade animal, mas também na aplicação de regras de bem-estar animal, que todos os produtores pecuários compreendem e acatam. “

Segundo adianta esta associação de produtores sediada em Montemor -o-Novo “Esta Direção Geral, apesar da intenção deliberada por parte da Tutela de a ir desativando, não substituindo os funcionários que se reformam, nem dotando os que restam com os meios mínimos necessários, a começar pelos transportes, para que possam cumprir a sua missão, ainda dispõe de técnicos e outros funcionários que todos os dias fazem milagres para que a saúde pública e animal sejam asseguradas, dentro das condicionantes existentes.”

Continuar a ler

Copyright © 2020 TDS - Rádio e Televisão do Sul | redação: info@televisaodosul.pt 266702926 |Comercial: dialogohabil@gmail.com Publicidade site | rádio: 917278022

error: Content is protected !!