Últimas:
Mota Engil e Etermar vão construir alargamento do Porto de Sines. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Economia

Mota Engil e Etermar vão construir alargamento do Porto de Sines.

Fase da ampliação compreende a construção de mais 204 metros de cais

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

A PSA SINES, concessionária do Terminal de Contentores do Porto de Sines (Terminal XXI), adjudicou a primeira fase de expansão desta infraestrutura portuária.

“Fase da ampliação compreende a construção de mais 204 metros de cais”

A PSA SINES, concessionária do Terminal de Contentores do Porto de Sines (Terminal XXI), adjudicou a primeira fase de expansão desta infraestrutura portuária ao agrupamento concorrente MOTA-ENGIL, ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO, S.A. / ETERMAR – ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO, S.A. na sequência do concurso lançado em agosto passado.

Esta fase da ampliação compreende a construção de mais 204 metros de cais de forma a dotar o terminal de um cais corrido com 1.150 metros até ao final de 2021, representando um investimento privado de 16,5 milhões de euros.

Esta é a primeira fase de expansão após processo de renegociação da concessão do Terminal XXI que, na sua configuração final, apresentará um cais com 1.750 metros a serem construídos de forma faseada.

O projeto de expansão do Terminal XXI é o resultado do aditamento ao contrato de concessão celebrado entre a Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS) e a PSA Sines, permitindo agora a realização de novos investimentos referentes à ampliação do cais e modernização do terminal, projetando o aumento da capacidade de movimentação anual de 2,3 para 4,1 milhões de TEU (contentores de 20 pés).

O Terminal XXI é atualmente um importante HUB de transhipment e representa já uma importante porta de entrada e saída no hinterland ibérico, sendo parte integrante das principais rotas marítimas internacionais nas quais estão alocados os maiores navios de contentores do mundo em operação.

Este investimento vem reforçar a capacidade do terminal em receber vários navios megacarriers em simultâneo, aumentando assim a sua oferta operacional ao mesmo tempo que reforça a sua importância para o desenvolvimento económico da região e do país.

Autarquias

Grândola com novo hotel e parque logístico

Dois projetos estratégicos para o município do litoral Alentejano

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Grândola vai ter Parque Logístico e um novo Hotel

“Dois projetos estratégicos para o município do litoral Alentejano”

Foi assinado entre a Câmara Municipal de Grândola e a entidade promotora Qantara Capital a minuta do contrato de planeamento para a construção de um parque logístico que vai ocupar uma área de 130 hectares e ficará situado a 8 km do centro de Grândola.

A Qantara Capital apresentou ainda o projeto para a construção de um hotel de 4 estrelas no centro da vila, com cerca de 50 quartos e 100 camas, destinado a clientes empresariais e turistas.

Tratam-se de dois projetos estratégicos para o município do litoral Alentejano. “Investimentos importantes que vão permitir, por um lado criar emprego e riqueza no nosso concelho e por outro lado atrair visitantes e aumentar o turismo”, explica o presidente da Câmara Municipal de Grândola, António Figueira Mendes.

Parque Logístico de Grândola

O Parque Logístico de Grândola vai ficar situado a 8 km de Grândola, junto ao IC1 e à linha ferroviária do Sul.

Uma localização estratégica e conectada com o Porto de Sines e a nova ligação ferroviária do Corredor Internacional Sul para Espanha e para a Europa, fundindo-se assim com a cadeia global de abastecimento e a rede industrial de Portugal.

Ocupará uma área total de 130 hectares, com 630.000 m2 de área de construção e 300.000 m2 de infraestruturas adjacentes.

O projeto conta com 24 lotes industriais com cerca de 25.000 m2 cada, com escala e modularidade para servir uma ampla gama de empresas (linhas de montagem, operadores de e-commerce, armazéns e empresas de transportes, etc), um ramal e um terminal ferroviário de carga privado, com conexões para o sul e para o norte do país, e uma extensa plataforma para armazenamento de contentores e vagões ferroviários.

O Parque Logístico de Grândola vai disponibilizar ainda um espaço de 15.000 m2, incluindo hotel, restaurantes, lojas, escritórios e estacionamento com carregamentos elétricos e posto de combustível. 75.000 m2 serão dedicados a um viveiro de plantas e a um centro de jardinagem, e os restantes 240.000 m2 serão preservados com paisagem natural de carvalhos e pinheiros. Vai ainda disponibilizar serviços complementares de creche e jardim de infância, ginásio e um espaço de formação profissional para upskill e/ou reskill de competências.

O início da construção do Parque Logístico de Grândola está previsto para 2023 e vai ser desenvolvido em quatro fases.

Trata-se de um investimento de interesse público elegível para o Plano de Recuperação e Resiliência.

Hotel Jardins de Grândola

Jardins de Grândola será o nome da nova unidade hoteleira de Grândola, com construção prevista para 2022 e conclusão em 2023.

Trata-se de um projeto de reabilitação urbana no centro da vila, em frente ao Jardim 1º de Maio, o projeto contempla um hotel com cerca de 50 quartos e 100 camas, com lobby-bar, restaurante, centro de eventos (espaço modular dividido entre uma grande sala de conferências e três pequenas salas de reuniões, com capacidade para um total de 150 pessoas) e piscina exterior, e ainda por um edifício residencial com 3 apartamentos duplex e 2 penthouses.

As duas infraestruturas são servidas por um parque de estacionamento subterrâneo para hóspedes, proprietários e visitantes, com cerca de 50 lugares.

O hotel posiciona-se no segmento boutique lifestyle e assume-se como um hub jovem e criativo, que funcione como um verdadeiro ponto de encontro na vila.

Oferece condições de alojamento de longa duração, mobilado e com serviço, quer para profissionais a trabalhar na região, quer para grupos e famílias em diferentes períodos do ano. E responde aos investimentos sem precedentes nas áreas de indústria, transportes, agricultura, energia e turismo que o município e a região têm sido alvo.

A Câmara Municipal de Grândola saúda o arranque de dois projetos estruturantes para Grândola e para toda a região do Alentejo Litoral.

“Entre as prioridades da autarquia de Grândola estão o desenvolvimento económico do concelho, o crescimento da região e o consequente aumento da qualidade de vida da nossa população.

E nesse sentido, Grândola tem desenvolvido uma importante ação de atração de investimento para a região.  É nesta perspetiva que se enquadram estes dois investimentos importantes que agora anunciamos, e que vão permitir, por um lado criar emprego e riqueza no nosso concelho e por outro lado atrair visitantes e aumentar o turismo”, salientou António Figueira Mendes, Presidente da Câmara Municipal de Grândola.

Hadrien Fraissinet, CEO da Qantara Capital, revelou a sua satisfação por poder desenvolver estes dois projetos num “município com muito potencial e características excecionais” e as “enormes oportunidades de desenvolvimento e investimento que Grândola oferece para além dos óbvios empreendimentos na zona costeira”.

O responsável da entidade promotora destacou ainda a postura do município enquanto “interlocutor com uma estratégia de longo prazo e uma abordagem construtiva e transparente para o desenvolvimento de projetos estruturantes no concelho.

Esta combinação levou-nos a construir uma carteira diversificada de projetos imobiliários neste concelho, dos quais apresentámos hoje dois.

Esperamos manter este espírito de colaboração com o Município e com as entidades regionais e nacionais envolvidas no desenvolvimento destes dois projetos estratégicos”.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!