Siga-nos

Artes

Maria João Luis é a nova directora artística do Alter Culturfest

Maria João Luis, uma das mais talentosas atrizes da atualidade, com um percurso de vida ligado a esta arte, leva a cultura em forma de teatro até ao interior do País.

Avatar

Publicado

em

Depois do excelente e reconhecido sucesso na edição em 2018, desenvolvido por Quitó de Sousa Antunes, professor do Conservatório “Les Portes de l’Essonne” de Paris, surge o nome da atriz e fundadora do Teatro da Terra, Maria João Luis, associado ao evento cultural para este ano.

Maria João Luis, de 55 anos, atriz e encenadora, nascida em Vila Franca de Xira, iniciou a sua carreira em 1985 na Barraca, trabalhou depois no Teatro da Comédia, Comuna, Teatro da Cornucópia e com Filipe La Féria.

Tem no seu currículo como atriz em televisão, entre outras, “Fúria de Viver”, “Casos da Vida”, “Sedução”, atualmente em “Vidas Opostas” a passar na SIC e ainda diversos trabalhos em cinema, como “Camarate”, “Lobos”, “Jogo de Damas” e muitos outros.

Com um leque muito diversificado de registos, com posições artísticas muito consistentes, o Teatro da Terra, apresenta uma ligação forte com comunidades locais e diversas associações, onde monta espetáculos com não profissionais.

O Alter Culturfest, que celebra a sua 2ª edição durante os meses de maio e junho do corrente ano em Alter do Chão, apresenta-se mais uma vez com a qualidade, versatilidade e multiculturalidade que o caracterizam.

Agenda

 ‘Sons com História’ sucede ao ‘Andanças’

A organização quer criar um Festival de Música que se torne referência nacional e até mesmo internacional, na promoção e divulgação de intérpretes, que sirva de plataforma interdisciplinar de cultura musical

TDS noticias

Publicado

em

O sonho de divulgar e projetar cantores, músicos e performers da região e de todo o país trazendo-os ao interior, onde as populações assumem a cultura enquanto pilar decisivo para o desenvolvimento local. 

Do encontro das almas sonhadoras de Nuno Velez, Ana Paula Russo e do Presidente da Câmara Municipal de Castelo de Vide, António Pita, tomou vida aquela que será́ a primeira edição do Sons com História. 

Queremos criar um Festival de Música que se torne referência nacional e até mesmo internacional, na promoção e divulgação de intérpretes, que sirva de plataforma interdisciplinar de cultura musical e, ainda, na qualificação da oferta cultural do Município. 

A abertura do Festival, dia 27 de junho às 21h30, ficará a cargo das Vozes Alfonsinas com o espetáculo de música medieval e sefardita intitulado “De amores e devoções”, que poderá́ ser desfrutado no auditório da Fundação Nossa Senhora da Esperança, no Convento de São Francisco. 

No dia 28 de junho, também às 21h30, o nosso postal de visita que é o Largo da Fonte da Vila irá ser o palco que receberá o filho da terra professor António Eustáquio com o seu grupo Guitolão World Project acompanhados pela voz da cantora convidada (castelo-vidense) Vera Soldado e focado na música baseada na literatura musical ibérica. 

Os Voice’n’Combo vão trazer-nos ao Cine-teatro Mouzinho da Silveira, no Sábado dia 29 de junho às 21h30, uma viagem pelos standards do jazz vocal e instrumental do séc. XX, evidenciando as diferenças entre as várias épocas. 

Para o último dia desta primeira edição do Sons com História, dia 30 de junho, reservámos para a liturgia de domingo a Grande Missa Cantada, XIII Domingo do Tempo Comum – Ano C, a cargo do Ensamble São Tomás de Aquino na Igreja Matriz de Santa Maria da Devesa às 12h00.

Continuar a ler

Top

TDS Peça Orçamento