Últimas:
Manifesto de apoio ao corredor sudoeste ibérico vai ser assinado – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Economia

Manifesto de apoio ao corredor sudoeste ibérico vai ser assinado

Será assinado em Évora

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Assinatura de documento

“Manifesto é assinado em Évora “

Cientes da extrema importância do estabelecimento do CORREDOR SUDOESTE IBÉRICO, da sua rápida conclusão e operacionalização, os Presidentes da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDR Alentejo), António Ceia da Silva e da Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo (ADRAL), José Calixto, assinam no próximo dia 23 de julho, pelas 10.30h, nas instalações da CCDR Alentejo.

O Manifesto de apoio ao Corredor Sudoeste Ibérico, instando a União Europeia, a República Portuguesa, o Reino de Espanha e seus respetivos Governos a priorizarem a conexão entre as capitais ibéricas e a realizar todas as ações necessárias de forma a que entre em pleno funcionamento o CORREDOR SUDOESTE IBÉRICO, no sentido de impulsionar a transformação deste espaço como um novo eixo de desenvolvimento europeu.

O CORREDOR SUDOESTE IBÉRICO conta com o apoio de diversas entidades públicas e privadas, e mais recentemente dos Alcaldes de Madrid e Badajoz, que assinaram o Manifesto no passado mês de junho numa cerimónia que contou com a presença do Embaixador de Portugal, João Mira-Gomes.

No início de 2017, um grupo de empresas criou a plataforma “Extremadura en Red” com o objetivo de promover as ligações da região às redes ibéricas do século XXI. Prontamente emergiu o conceito do CORREDOR SUDOESTE IBÉRICO como uma potencial rede de fluxis interligados entre Lisboa/Sines e Madrid/Corredor Mediterrâneo e espalhada por todo o território.

É um conceito que gera interesse muito para além de cada um dos seus elementos, visto que cada uma destas redes tem a sua identidade e dinâmica própria devido às ligações entre partes, mas também nas ligações entre as suas diferentes redes e entre elas e o seu meio.

As conexões de cada parte não devem continuar a ser vistas como independentes, mas como pertencentes a todos os elementos que compõem a rede, para que todas se complementem, se cruzem e interajam, emergindo uma nova realidade muito mais complexa e dinâmica.

As redes da Extremadura, Alentejo, Castilla La Mancha, Setúbal, Algarve, Oeste da Andaluzia e Centro de Portugal interagem com as de Lisboa e Madrid, constituindo a rede do CORREDOR SUDOESTE IBÉRICO, as quais estão interligadas com as redes ibéricas, europeias e globais formando um todo.

Este processo conduziu ao estabelecimento de uma rede de empresas comprometidas com o projeto SUDOESTE IBÉRICO EM REDE e que, em cooperação com entidades públicas e privadas pretendem tornar o Corredor Sudoeste Ibérico uma realidade.

Crime

ASAE investiga falsificação de documentos para obtenção de subsídios florestais.

Em Grândola, Santiago do Cacem e Lisboa.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

ASAE investiga falsificação de documentos para obtenção de subsídios florestais

“Em Grândola, Santiago do Cacem e Lisboa”

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), através da sua Unidade Nacional de Informações e Investigação Criminal (UNIIC), executou 7 (sete) mandados de busca domiciliários e não domiciliários, nos concelhos de Santiago do Cacém, Grândola e Lisboa, no âmbito de uma investigação do crime de falsificação de documentos em procedimento de candidatura para atribuição de subsídio.

A investigação teve origem numa denúncia comunicada por uma entidade certificadora, por suspeita de falsificação dos seus certificados de conformidade de gestão florestal, produzidos e submetidos em 2 processos de candidatura no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural 2014 – 2020 (PDR2020), que visa o crescimento sustentável do setor agroflorestal em todo o território nacional, através da concessão de apoios às atividades deste setor assente numa gestão eficiente de recursos.

Os documentos falsificados terão sido reproduzidos e alterados através de manipulação informática, por uma empresa de gestão florestal que assumiu a condução e submissão das candidaturas, em nome de duas explorações agrícolas, procurando, assim, obter um posicionamento mais favorável na classificação final das candidaturas aos incentivos financeiros.

Nesta investigação, a ASAE executou mandados de busca à residência e escritório da pessoa responsável pela submissão das candidaturas, à residência dos beneficiários e às herdades agrícolas visadas, tendo sido apreendida documentação diversa em suporte físico e digital e constituídas arguidas 2 (duas) empresas e 3 (três) indivíduos, que foram sujeitos a Termo de Identidade e Residência.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!