Últimas:
Lota de Sines com diminuição de 43% em pescado fresco descarregado. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Economia

Lota de Sines com diminuição de 43% em pescado fresco descarregado.

A nível nacional o pescado fresco descarregado aumenta 4% no primeiro trimestre de 2021.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Pescado fresco descarregado aumenta 4% no primeiro trimestre de 2021

“Sines com quebra de 43% de vendas em lota”

A lota de Sines  registou uma quebra acentuada face ao período homólogo (1º trimestre de 2020) na ordem dos 43%.

Os dados são avançados pela Direção-Geral de Recursos Naturais e Segurança e Serviços Marítimos.

Para além de Sines registaram -se quebras nas lotas de Cascais e Tavira, 84% e 42% respectivamente.

Também na Madeira e nos Açores registaram-se em 2021 um decréscimo das descargas de pescado, face ao período homólogo, com quebras de 31% (- 293 t) e 17% (- 198 t) respetivamente.

Em termos relativos, Olhão registou o maior aumento do país com 58% face ao período homólogo, passando as vendas em lota de 1 177 para 1 861 toneladas.

Também as Lotas de Aveiro (+ 892 t) e Vila Real de Santo António (+ 95 t) registaram aumentos em 2021 de mais de 50% face ao período homólogo de 2020.

“Centro e Algarve são as regiões com maiores quantidades de peixe fresco descarregado”

A DGRM – Direção-Geral de Recursos Naturais e Segurança e Serviços Marítimos divulga o relatório estatístico da pesca, relativo ao 1º trimestre de 2021, onde se regista um aumento de 4% do pescado fresco descarregado, passando de 15 815 toneladas em 2020 para 16 455 toneladas em 2021, tendo as capturas em Águas Nacionais, contribuindo significativamente para este aumento.

Ainda assim, devido aos efeitos da Pandemia COVID 19, os montantes de peixe fresco e refrigerado descarregado foram substancialmente inferiores a 2019, que tinha registado 23 086 toneladas.

No que diz respeito às modalidades de pesca (arrasto, cerco e polivalente) por região, destaca-se o Centro e o Algarve com aumentos face a 2020.

A pesca denominada como polivalente é a que tem maior peso, a nível global. Em 2021, foram capturadas pelas embarcações polivalentes 1 629 toneladas no Norte de Portugal, 2 940 toneladas no Centro e 2 098 toneladas no Algarve.

Autarquias

Grândola com novo hotel e parque logístico

Dois projetos estratégicos para o município do litoral Alentejano

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Grândola vai ter Parque Logístico e um novo Hotel

“Dois projetos estratégicos para o município do litoral Alentejano”

Foi assinado entre a Câmara Municipal de Grândola e a entidade promotora Qantara Capital a minuta do contrato de planeamento para a construção de um parque logístico que vai ocupar uma área de 130 hectares e ficará situado a 8 km do centro de Grândola.

A Qantara Capital apresentou ainda o projeto para a construção de um hotel de 4 estrelas no centro da vila, com cerca de 50 quartos e 100 camas, destinado a clientes empresariais e turistas.

Tratam-se de dois projetos estratégicos para o município do litoral Alentejano. “Investimentos importantes que vão permitir, por um lado criar emprego e riqueza no nosso concelho e por outro lado atrair visitantes e aumentar o turismo”, explica o presidente da Câmara Municipal de Grândola, António Figueira Mendes.

Parque Logístico de Grândola

O Parque Logístico de Grândola vai ficar situado a 8 km de Grândola, junto ao IC1 e à linha ferroviária do Sul.

Uma localização estratégica e conectada com o Porto de Sines e a nova ligação ferroviária do Corredor Internacional Sul para Espanha e para a Europa, fundindo-se assim com a cadeia global de abastecimento e a rede industrial de Portugal.

Ocupará uma área total de 130 hectares, com 630.000 m2 de área de construção e 300.000 m2 de infraestruturas adjacentes.

O projeto conta com 24 lotes industriais com cerca de 25.000 m2 cada, com escala e modularidade para servir uma ampla gama de empresas (linhas de montagem, operadores de e-commerce, armazéns e empresas de transportes, etc), um ramal e um terminal ferroviário de carga privado, com conexões para o sul e para o norte do país, e uma extensa plataforma para armazenamento de contentores e vagões ferroviários.

O Parque Logístico de Grândola vai disponibilizar ainda um espaço de 15.000 m2, incluindo hotel, restaurantes, lojas, escritórios e estacionamento com carregamentos elétricos e posto de combustível. 75.000 m2 serão dedicados a um viveiro de plantas e a um centro de jardinagem, e os restantes 240.000 m2 serão preservados com paisagem natural de carvalhos e pinheiros. Vai ainda disponibilizar serviços complementares de creche e jardim de infância, ginásio e um espaço de formação profissional para upskill e/ou reskill de competências.

O início da construção do Parque Logístico de Grândola está previsto para 2023 e vai ser desenvolvido em quatro fases.

Trata-se de um investimento de interesse público elegível para o Plano de Recuperação e Resiliência.

Hotel Jardins de Grândola

Jardins de Grândola será o nome da nova unidade hoteleira de Grândola, com construção prevista para 2022 e conclusão em 2023.

Trata-se de um projeto de reabilitação urbana no centro da vila, em frente ao Jardim 1º de Maio, o projeto contempla um hotel com cerca de 50 quartos e 100 camas, com lobby-bar, restaurante, centro de eventos (espaço modular dividido entre uma grande sala de conferências e três pequenas salas de reuniões, com capacidade para um total de 150 pessoas) e piscina exterior, e ainda por um edifício residencial com 3 apartamentos duplex e 2 penthouses.

As duas infraestruturas são servidas por um parque de estacionamento subterrâneo para hóspedes, proprietários e visitantes, com cerca de 50 lugares.

O hotel posiciona-se no segmento boutique lifestyle e assume-se como um hub jovem e criativo, que funcione como um verdadeiro ponto de encontro na vila.

Oferece condições de alojamento de longa duração, mobilado e com serviço, quer para profissionais a trabalhar na região, quer para grupos e famílias em diferentes períodos do ano. E responde aos investimentos sem precedentes nas áreas de indústria, transportes, agricultura, energia e turismo que o município e a região têm sido alvo.

A Câmara Municipal de Grândola saúda o arranque de dois projetos estruturantes para Grândola e para toda a região do Alentejo Litoral.

“Entre as prioridades da autarquia de Grândola estão o desenvolvimento económico do concelho, o crescimento da região e o consequente aumento da qualidade de vida da nossa população.

E nesse sentido, Grândola tem desenvolvido uma importante ação de atração de investimento para a região.  É nesta perspetiva que se enquadram estes dois investimentos importantes que agora anunciamos, e que vão permitir, por um lado criar emprego e riqueza no nosso concelho e por outro lado atrair visitantes e aumentar o turismo”, salientou António Figueira Mendes, Presidente da Câmara Municipal de Grândola.

Hadrien Fraissinet, CEO da Qantara Capital, revelou a sua satisfação por poder desenvolver estes dois projetos num “município com muito potencial e características excecionais” e as “enormes oportunidades de desenvolvimento e investimento que Grândola oferece para além dos óbvios empreendimentos na zona costeira”.

O responsável da entidade promotora destacou ainda a postura do município enquanto “interlocutor com uma estratégia de longo prazo e uma abordagem construtiva e transparente para o desenvolvimento de projetos estruturantes no concelho.

Esta combinação levou-nos a construir uma carteira diversificada de projetos imobiliários neste concelho, dos quais apresentámos hoje dois.

Esperamos manter este espírito de colaboração com o Município e com as entidades regionais e nacionais envolvidas no desenvolvimento destes dois projetos estratégicos”.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!