Últimas:
Instituto da Segurança Social mandou fechar Lar da Sizuda em 2016 mas até hoje Segurança Social de Évora ‘fechou os olhos’. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Notícia TDS

Instituto da Segurança Social mandou fechar Lar da Sizuda em 2016 mas até hoje Segurança Social de Évora ‘fechou os olhos’.

Documento do encerramento refere “deficiências graves nas condições de instalação, segurança, funcionamento, salubridade, higiene e conforto, representando um perigo potencial para os direitos dos utentes e a sua qualidade de vida”.

Foto: TDS (direitos reservados)
Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Surto do Lar da Sizuda em Évora

” Instituto da Segurança Social ordenou encerramento do lar em 2016 mas ordem nunca foi cumprida”

O Conselho Diretivo do Instituto da Segurança Social ordenou o encerramento administrativo imediato do Lar da Sizuda no ano de 2016 mas até hoje o lar continuou a funcionar.

O documento a que a TDS teve acesso, datado de 8 de setembro de 2016, justifica o encerramento imediato pelas “deficiências graves nas condições de instalação, segurança, funcionamento, salubridade, higiene e conforto, representando um perigo potencial para os direitos dos utentes e a sua qualidade de vida”.

O mesmo documento salienta as consequências do incumprimento da deliberação que passam pelo ‘procedimento criminal pelo crime de desobediência’.

O aviso de encerramento deveria ter estado afixado no lar durante 30 dias sendo sujeito a procedimento criminal.

Até hoje a decisão do Instituto da Segurança Social nunca foi cumprida pela Segurança Social distrital de Évora.

No lar da Sizuda 29 utentes e 10 funcionários estão infectados com Covid 19.

Operação surpresa: Idosos do Lar de Évora transportados durante a noite para o Hospital.

Notícia TDS

Passadiços no Pulo do Lobo custam quase meio milhão de euros e alteram a imagem da encosta.

A obra é financiada por fundos comunitários. Veja imagens de drone.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

foto e vídeo: TDS (direitos reservados)

Câmara de Serpa investe mais de 460 mil euros na construção dos passadiços no Pulo do Lobo.

“Passadiços estão quase prontos”

A obra vai permitir descer a encosta e observar as várias espécies de flora e fauna em pleno Parque Natural do Vale do Guadiana.

“A criação dos passadiços do Pulo do Lobo decorre da estratégia de desenvolvimento traçada pela Câmara de Serpa, onde a salvaguarda e valorização do património são determinantes, neste caso do património natural”, referiu Tomé Pires, presidente da autarquia, acrescentando que os passadiços que estão a ser construídos pela encosta da margem esquerda do Guadiana e que se estendem até à queda de água vão “valorizar a paisagem, permitindo a circulação e acesso à margem do Rio Guadiana, nas imediações da cascata, através de estruturas [em madeira] de acesso exclusivamente pedonal e integradas no meio natural”.

Os 50 metros, íngremes, até à margem do rio vão poder ser feitos em segurança, através de uma escadaria em madeira, com cerca de 300 degraus.

Ao longo das escadas, a cada 18 degraus, existem patamares para descanso dos visitantes e que servem também como miradouros.

Os passadiços oferecem uma vista privilegiada para a cascata do Pulo do Lobo, uma queda de água situada no Rio Guadiana.

Formada pelas águas do Rio Guadiana, a cascata tem “águas claras e cristalinas” que formam “um mar de espuma pelo meio de umas montanhas rochosas”, desaguando depois num lago com águas calmas.

O Pulo do Lobo é também um lugar de lendas e histórias.

A mais conhecida dá conta de um “homem audaz ou um lobo acossado que poderiam transpor só com um salto o desnível estreito e natural”.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!