Últimas:
Hospital de Évora precisa de enfermeiros – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Saúde

Hospital de Évora precisa de enfermeiros

Apelo é feito pela presidente da Administração do HESE

foto: TDS (direitos reservados)
Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Hospital do Espírito Santo de Évora apela à colaboração de Enfermeiros

“Em causa está a prestação de cuidados na estrutura municipal de apoio”

O Hospital do Espírito Santo de Évora apela à colaboração de todos os Enfermeiros que “se queiram juntar para realizar turnos na estrutura municipal de apoio ao HESE para doentes COVID-19”, que entrou em funcionamento no passado dia 7 de janeiro, na zona industrial da cidade de Évora, em parceria com a Câmara Municipal de Évora.

Maria Filomena Mendes, Presidente do Conselho de Administração do HESE EPE, realça que “estamos a atravessar a pior fase da pandemia no país e de que há memória no nosso Hospital.  Neste momento, com o aumento do número de novos casos, a pressão sobre o HESE é enorme e a cada hora chegam mais doentes a precisar de cuidados hospitalares” e reforça ainda que “para que seja possível continuar a dar resposta precisamos de todos porque os nossos doentes precisam de nós”.

Para garantir esta resposta são necessários ‘urgentemente’ de mais enfermeiros para reforçar as equipas já existentes no Hospital e também na estrutura municipal de apoio ao HESE, para doentes com COVID-19.

O HESE tem mais de 100 doentes internados nos diferentes espaços dedicados a doentes COVID-19.

A atual estrutura municipal de apoio ao HESE iniciou a atividade com 14 camas e que pode expandir-se até às 40 camas.

Tendo em conta o atual contexto torna-se necessário poder dispor do maior número possível de camas de internamento, tornando-se urgente um reforço de Enfermeiros.

Saúde

Odemira recua no desconfinamento. Grândola e Sines estão em alerta.

Veja a lista completa do desconfinamento

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

“Dez concelhos recuam, quatro recuperam”

Lisboa e Braga são as duas capitais de distrito entre os 10 concelhos que recuam no desconfinamento entre eles Odemira.

Quatro recuperaram, mas há 20 sob alerta das autoridades entre os quais estão Grândola e Sines.

Há 10 concelhos que, devido às altas incidências de casos positivos de infeção por SARS-CoV-2, não acompanham a generalidade do país e recuam no desconfinamento:

  • Albufeira, Arruda dos Vinhos, Braga, Cascais, Lisboa, Loulé, Odemira, Sertã, Sintra e Sesimbra (com 480 casos por 100 mil habitantes a duas semanas).

Há 20 concelhos que ficam sob alerta:

  • Alcochete, Águeda, Almada, Amadora, Barreiro, Grândola, Lagos, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Sardoal, Setúbal, Seixal, Sines, Sobral de Monte Agraço e Vila Franca de Xira.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!