Últimas:
Hospitais de Évora e Portalegre nas 25 listas de espera mais longas do país. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos

Saúde

Hospitais de Évora e Portalegre nas 25 listas de espera mais longas do país.

Portalegre aparece no 11º e Évora no 23º lugares.

Publicado

em

“Hospitais na lista das 25 maiores esperas”

Uma cirurgia para tratar problemas de audição, dificuldades em respirar ou complicações nos ouvidos e na garganta pode demorar mais de dois anos a acontecer.

O mesmo acontece, por exemplo, para cirurgias para tratar doenças da boca ou dos dentes.

Já as cirurgias para cataratas ou doença distrófica da córnea ou as cirurgias vasculares para doenças das artérias, veias e linfáticos podem implicar um ano na fila cada.

Em Portalegre uma cirurgia de otorrinolaringologia no Hospital Dr. José Maria Grande, Portalegre demora 537 dias.

Nesta altura estão 78 pessoas à espera.

Em Évora são precisos 385 dias de espera para uma cirurgia plástica e reconstrutiva no Hospital do Espírito Santo, Évora. Aguardam nesta altura esta cirurgia 298 pessoas.

Portugal tem atualmente 203.051 pessoas no Sistema Integrado de Gestão de Inscritos para Cirurgia (SIGIC), segundo os dados referentes a janeiro de 2022 disponibilizados pelo Portal da Transparência.

Dentro dos tempos máximos de resposta garantidos (TMRG) estão 161.328 utentes na Lista de Inscritos em Cirurgia (LIC).

É esta a lista ‘negra’

25 listas de espera mais longas do país

  1. 823 dias – cirurgia de estomatologia no Hospital de Faro (71 pessoas);
  2. 802 dias – cirurgia vascular no Hospital Distrital de Santarém (519 pessoas);
  3. 777 dias – cirurgia de otorrinolaringologia no Hospital São Bernardo, Setúbal (470 pessoas);
  4. 775 dias – cirurgia de estomatologia no Hospital São Bernardo, Setúbal (56 pessoas);
  5. 678 dias – cirurgia vascular no Hospital Garcia de Orta (527 pessoas);
  6. 617 dias – cirurgia de estomatologia no Hospital de Braga (648 pessoas);
  7. 587 dias – cirurgia na unidade de tratamento cirúrgico de obesidade no Hospital Egas Moniz, Lisboa (78 pessoas);
  8. 578 dias – neurocirurgia no Hospital de Dona Estefânia, Lisboa (30 pessoas);
  9. 566 dias – cirurgia de otorrinolaringologia no Hospital Garcia de Orta (852 pessoas);
  10. 544 dias – cirurgia de otorrinolaringologia no Hospital Distrital de Santarém (431 pessoas);
  11. 537 dias – cirurgia de otorrinolaringologia no Hospital Dr. José Maria Grande, Portalegre (78 pessoas);
  12. 508 dias – cirurgia pediátrica no Hospital São Bernardo, Setúbal (284 pessoas);
  13. 502 dias – cirurgia de otorrinolaringologia no Hospital Distrital do Montijo (217 pessoas);
  14. 501 dias – cirurgia na unidade de senologia no Hospital de Portimão (38 pessoas);
  15. 492 dias – cirurgia maxilofacial no Hospital de Braga (142 pessoas);
  16. 480 dias – cirurgia geral no Hospital Distrital de Santarém (1.092 pessoas);
  17. 437 dias – cirurgia de urologia no IPO Porto (para doença não oncológica) (44 pessoas);
  18. 431 dias – cirurgia de ortopedia no Hospital de Dona Estefânia, Lisboa  (487 pessoas);
  19. 417 dias – cirurgia de ginecologia no Hospital de Faro (363 pessoas);
  20. 413 dias – cirurgia de ortopedia no Hospital São Francisco Xavier, Lisboa (934 pessoas);
  21. 407 dias – cirurgia de urologia no Hospital de Vila Franca de Xira (402 pessoas);
  22. 391 dias – cirurgia plástica e reconstrutiva no Hospital de Dona Estefânia, Lisboa (347 pessoas);
  23. 385 dias – cirurgia plástica e reconstrutiva no Hospital do Espírito Santo, Évora (298 pessoas);
  24. 388 dias – cirurgia maxilofacial no Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca, Amadora-Sintra (6 pessoas);
  25. 381 dias – cirurgia de oftalmologia no Hospital de Faro (1.264 pessoas).

Fonte: Tempos Médios de Espera do site do Serviço Nacional de Saúde

Saúde

Conferência: O papel do cuidador e a sua saúde mental.

Decorre em Évora a 25 de maio.

Publicado

em

Cantinho do Cuidador

O projeto Cantinho do Cuidador, projeto de profissionais de saúde do da Unidade de Cuidados na Comunidade do centro de Saúde de Évora, procura chegar a todos os Cuidadores Informais do Concelho de Évora com ações que visam a capacitação para o papel de cuidador, mas também promovendo o seu bem-estar e prevenindo os elevados níveis de exaustão a que esta atividade está sujeita.

Em curso desde 2019, encontra-se agora retoma as atividades de grupo pós pandemia, com + uma sessão, desta vez a acontecer no próximo dia 25 de maio pelas 16h na Fundação Eugénio de Almeida, sobre o tema “a Saúde mental do Cuidador“.

Sabendo-se que quem está nesta condição de Cuidar de alguém doente/dependente, está muitas vezes isolado em casa, a nossa experiência diz-nos que a divulgação destas iniciativas com recurso aos órgãos de comunicação social é uma boa forma da informação chegar a quem dela precisa.

Continuar a ler

Educação

Cantina de escola em Évora deixa de funcionar devido a casos de covid-19

Vários professores e assistentes operacionais infetados

Publicado

em

Os alunos da escola Conde de Vivalva em Évora vão ficar sem refeitório já a partir de amanhã e por tempo indeterminado devido a vários casos de covid-19 entre funcionários do estabelecimento de ensino.

Para além de casos positivos em auxiliares e assistentes técnicos há também professores com teste positivo à covid-19 o que leva a constrangimentos também no que diz respeito às aulas. 

A Escola Básica Conde de Vilalva, iniciou a sua atividade em 1993, e situa-se no Bairro do Bacelo, em Évora.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!