Siga-nos

Últimas

Homem de 49 anos morre após trator capotar em Odemira

Acidente vem aumentar o número de vítimas com tratores agrícolas. Esta é mais uma morte na região Alentejo. O homem estava realizar trabalhos agrícolas numa propriedade.

Avatar

Publicado

em

O homem de 49 anos, residente em Luzianes-Gare, morreu neste domingo quando o trator agrícola onde seguia capotou. A vítima ainda foi transferida com vida para o serviço de urgência básica de Odemira mas acabou por falecer.

Homem estava na sua propriedade a fazer trabalhos agrícolas

Principais causas dos acidentes com tratores agrícolas e máquinas agrícolas

Entre as principais causas dos acidentes com tratores e máquinas agrícolas/florestais destaca-se:

  • Mau uso dos equipamentos:

-A idade útil assim como seu estado de conservação de tratores e máquinas agrícolas/florestais diminui com o zelo e brio que o seu proprietário e ou operador lhe submete;

-Falta de manutenção dos tratores e máquinas agrícolas/florestais;

-Inutilização dos travões dos pés;

Não utilização das estruturas de segurança como o arco de “Santo António” ou o cinto de segurança;

Ausência das proteções adequadas no veio de transmissão de força (ex: cardan) ou partes móveis de máquinas;

-Alterações ou adaptações de máquinas para trabalhos ou condições de utilização não previstas pelo fabricante.

  • O condutor ou manobrador e utilizador:

-Idade (mais idade induz a mais confiança de operação, não sendo refletida a menor agilidade);

-Falta ou falência de formação;

-Apresenta cansaço acumulado ou sonolência;

-Realiza operação e/ou condução com excesso de confiança;

-Realiza operação e/ou condução com excesso de velocidade;

-Pratica comportamentos de risco e proibidos como a condução sob efeito de álcool;

-Mostra serviço agrícola (aproveitamento de todo o espaço da parcela como os cabeçalhos beiras que aumentam o risco de quedas)

-Descuida e erra na operação e/ou condução com o surgimento de trabalhos exigentes e de realização obrigatória;

-Sobreavalia os riscos relacionados com a inclinação do terreno ou a carga transportada.

  • Riscos associados:

-Reviramento lateral do trator ou do conjunto trator máquina agrícola/florestal;

-Reviramento traseiro (empinamento) quando o trator fica descompensado com o peso da máquina acoplada na sua traseira;

-A queda em altura no acesso ao habitáculo do tractor ou máquina agrícola/florestal;

-Corte com material cortante (ex: facas de fresa);

-Choque ou impacto em operações manuais (ex: fecho dos taipais de semi-reboques);

-Enrolamento e apreensão de vestuário no veio de transmissão de força (ex: cardan) ou partes móveis de máquinas (carretos, correias, correntes);

-Atropelamento durante a circulação de tratores ou engate de máquinas agrícolas/florestais;

-Projeção de peças que eventualmente se partam (ex: correntes de corta-matos ou facas de gadanheiras rotativas);

  • Factores económicos:

-Parque de máquinas envelhecido sobretudo nas classes de menor potência do motor.

-Custos com equipamentos de segurança;

  • Factores externos:

-Presença de crianças, idosos e mesmo pessoas sem função aparente em locais de trabalho e operação de máquinas e tratores agrícolas/florestais.

-Tratores e máquinas agrícolas/florestais; tendencialmente associados a explorações de pequena/média dimensão (minifúndio).

A lei

Com a publicação do Decreto-Lei n.º151/2017, tornou-se obrigatório que todos os condutores de tratores da categoria 2 e 3, para além da habilitação legal para conduzir (carta de tratores ou máquina agrícola/florestal;), tenham formação adequada para a operação com veículos agrícolas.

A Condução e Operação de Tractores em Segurança (COTS), quando é lançada, tem como objetivo alertar para os riscos inerentes à condução de tratores e máquinas agrícolas além de aconselhar como prevenir os acidentes de trabalho, pretendendo reduzir a principal causa de morte no setor. A formação, ministrada por entidades acreditadas, é obrigatória para a condução de tratores e máquinas agrícolas/ florestais e será essencial na mudança de comportamentos por parte dos agricultores quanto aos riscos e perigos associados.

Educação

Câmara reforça transportes a associações do concelho

Estas viagens representam um investimento de 43.302,00 euros da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, ou seja mais 17.567,34 euros do que no primeiro semestre de 2018.

TDS noticias

Publicado

em

A Câmara Municipal de Alcácer do Sal aumentou a cedência de transportes a associações e instituições do concelho no primeiro semestre de 2019, uma importante ajuda para que estas consigam cumprir o seu calendário de atividades e responder às suas necessidades.

No primeiro semestre do ano a autarquia possibilitou a concretização de 228 viagens, realizadas em carrinhas, miniautocarros de 28 e 19 lugares ou no autocarro de 55 lugares. Comparativamente com período homólogo, realizaram-se mais 116 viagens do que em 2018, o que representa um aumento de 103 por cento.

Ao todo, nestas viagens percorreram-se 38.466km traduzidas em 1.580 horas de trabalho dos motoristas, o que, comparado com valores do ano passado, se traduz numa subida acima dos 80 por cento em ambos os casos.

Continuar a ler

Top

TDS Peça Orçamento