Últimas:
GNR de Grândola resgate três mochos galegos e um ouriço-cacheiro – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Policias

GNR de Grândola resgate três mochos galegos e um ouriço-cacheiro

Animais foram entregues no Centro de Recuperação de Aves Selvagens de Santo André

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Grândola – Resgate de três mochos galegos e um ouriço-cacheiro

“Animais estavam debilitados”

O Comando Territorial de Setúbal, através do Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) de Grândola, procedeu ao resgate de três mochos galegos juvenis – Athene noctua –  e um ouriço-cacheiro – Erinaceus europaeus, no concelho de Grândola.

Na sequência de um alerta, o NPA de Grândola resgatou os animais que se encontravam debilitados, os quais foram entregues no Centro de Recuperação de Aves Selvagens de Santo André (CRASSA), para avaliação e recuperação.

A Guarda Nacional Republicana, através do Serviço da Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), tem como preocupação diária a proteção dos animais.

Para o efeito, poderá ser utilizada a Linha SOS Ambiente e Território (808 200 520) funcionando em permanência para a denúncia de infrações ou esclarecimento de dúvidas.

Crime

Militares da GNR de Reguengos não foram chamados aos tumultos. Acompanharam os agressores.

Agressores foram pedir ‘justiça’ ao posto da GNR.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Violência em Reguengos de Monsaraz

“Militares acompanharam agressores”

A história dos acontecimentos de Reguengos de Monsaraz, no último fim de semana, não está contada na sua totalidade.

Os militares da GNR não foram chamados para ‘acalmar’ os tumultos.

Tudo começou quando os alegados agressores tentaram que lhes fosse servida bebida tendo o proprietário do espaço recusado. “Era cerca das 22h00 e a lei proíbe a venda de bebidas alcoólicas”, segundo referiu fonte próxima do proprietário do bar .

Após a recusa os alegados agressores foram às instalações da GNR de Reguengos de Monsaraz pedir a intervenção da GNR contra o próprio bar.

Para espanto de todos os agressores chegaram ao bar, pouco depois, acompanhados dos dois militares da GNR, visíveis nas imagens.

O responsável do bar justificou a recusa da venda de bebidas alcoólicas, às autoridades, tendo os alegados agressores partido para a violência.

Três pessoas ficaram feridas após atropelamento, uma delas com fracturas num membro superior, tendo sido assistido no Hospital de Évora.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!