Siga-nos

Economia

Gasolineiras alentejanas vão fazer restrições nos abastecimentos(vídeo)

Empresários dos postos de combustível garantem que não vão permitir grandes abastecimentos individuais

Carla Correia

Publicado

em

Os postos estão a preparar-se para causar o mínimo de transtornos e garantem que não vão admitir abastecimentos individuais avultados

Os postos de combustível junto à fronteira com Espanha, na região Alentejo, já estão a pensar em restrições a partir da próxima segunda feira, caso a greve avance.

Em declarações aos jornalistas João Salema, do posto Galp de Estremoz, afirmou que ‘ se mantiver a greve não vamos admitir é que venham pessoas com bidões de 200 a 300 litros … e depois outros não tenham nada…vamos tentar que sejam umas pinguinhas a cada um’, refere este empresário.

A Galp deverá garantir depósitos cheios até ao início da semana e isso é para já uma garantia para os responsáveis das gasolineiras ainda a 66kms por estrada de Badajoz, Espanha.

Cenário diferente em Borba, Vila Viçosa, Elvas, Campo Maior e outras localidades em que a proximidade com Espanha é grande e em caso de falta de combustível em Portugal o reabastecimento é feito com menor esforço.

Continuar a ler
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
700

Economia

Sindicato acusa empresas de despedimento ilegal de 16 trabalhadores na refinaria de Sines.

100 trabalhadores estiveram reunidos em plenário junto à porta da Petrogal

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul (SITE-Sul) acusou as empresas Martifer e CMN de querer “despedir de forma ilegal” 16 trabalhadores que prestam serviço na refinaria da Petrogal em Sines.

O contrato de manutenção desta empresa com a Galp envolve 180 trabalhadores, que prestam serviço de manutenção, mecânica, serralharia, instrumentação e eletricidade, com um vínculo precário embora tenham trabalho permanente e crucial nesta refinaria”, explicou Pedro Carvalho.

Segundo o representante dos trabalhadores, que estiveram hoje reunidos em plenário, junto à porta da Petrogal, em Sines,”de tempos a tempos, a empresa decide unilateralmente despedir os trabalhadores e agravar mais a precariedade que já existe na refinaria”.

“Atualmente, são 16 despedimentos de trabalhadores da CMN que cede pessoal à Martifer, mas fala-se em mais despedimentos. Por isso, estamos em luta”, indicou o dirigente, contestando a legalidade destas ações com base no Código do Trabalho.

O plenário, que reuniu cerca de 100 trabalhadores de manutenção na refinaria da Petrogal, apelidados pelos dirigentes como “o coração da refinaria” de Sines, serviu para combater a precariedade e “travar as comunicações do consórcio sobre o fim da relação de trabalho” e a caducidade do contrato.

Continuar a ler
Publicidade

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

OUTRAS NOTÍCIAS

Categorias

Comentários

ARQUIVO

CALENDÀRIO

Dezembro 2019
S T Q Q S S D
« Nov    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Top

Copyright © 2019 TDS - Rádio e Televisão do Sul