Siga-nos

Economia

É a maior plataforma de estacionamento, manutenção e reciclagem de aeronaves na Europa.

Fica a 600Kms de Beja e Portugal é cliente.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

O aeroporto de Teruel não é um aeroporto convencional.

Neste aeroporto não se vê a habitual azafama de passageiros.  

Beja e Teruel ficam separados por 637kms.

Beja podia ser assim. Só falta a aposta política que em Portugal nunca existiu. Em Espanha são os ‘governos’ os donos do aeroporto que o tem como uma estratégia para desenvolver uma Região.

Trata-se de um aeroporto único em Espanha, daí o seu sucesso, pertencente ao governo de Aragão (60%) e a Teruel (40%). Hoje é a maior plataforma de estacionamento, manutenção e reciclagem de aeronaves na Europa.

Conhecido entre os seus clientes de mais de 40 países, entre eles Portugal, Inglaterra, França, Brasil ou a Russia, ‘Teruel Airport Platform’, o seu nome mais artístico e comercial, é responsável por gerir tanto Infra-estruturas como os investimentos dos 340 hectares que compõem a instalação.

“Somos o único aeroporto de Espanha que se dedicou à atividade aeronáutica de uma forma inovadora e que está a aposta numa reconversão industrial e ambiental”, assegura Alejandro Ibrahim Perera, subdiretor-geral da infraestrutura aeroportuária espanhola desde 2012.

“O ano passado, por exemplo, desmontámos 15 [aviões] Boeing 747 Jumbo, entre outros. Cerca de 95% do material extraído é reutilizado pela indústria. Esta é uma atividade de economia circular que é cada vez más importante, porque nos próximos anos será necessário desmantelar 15.000 aviões”, sublinha.

Continuar a ler
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
700

Economia

Sindicato acusa empresas de despedimento ilegal de 16 trabalhadores na refinaria de Sines.

100 trabalhadores estiveram reunidos em plenário junto à porta da Petrogal

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

O Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul (SITE-Sul) acusou as empresas Martifer e CMN de querer “despedir de forma ilegal” 16 trabalhadores que prestam serviço na refinaria da Petrogal em Sines.

O contrato de manutenção desta empresa com a Galp envolve 180 trabalhadores, que prestam serviço de manutenção, mecânica, serralharia, instrumentação e eletricidade, com um vínculo precário embora tenham trabalho permanente e crucial nesta refinaria”, explicou Pedro Carvalho.

Segundo o representante dos trabalhadores, que estiveram hoje reunidos em plenário, junto à porta da Petrogal, em Sines,”de tempos a tempos, a empresa decide unilateralmente despedir os trabalhadores e agravar mais a precariedade que já existe na refinaria”.

“Atualmente, são 16 despedimentos de trabalhadores da CMN que cede pessoal à Martifer, mas fala-se em mais despedimentos. Por isso, estamos em luta”, indicou o dirigente, contestando a legalidade destas ações com base no Código do Trabalho.

O plenário, que reuniu cerca de 100 trabalhadores de manutenção na refinaria da Petrogal, apelidados pelos dirigentes como “o coração da refinaria” de Sines, serviu para combater a precariedade e “travar as comunicações do consórcio sobre o fim da relação de trabalho” e a caducidade do contrato.

Continuar a ler
Publicidade

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

OUTRAS NOTÍCIAS

Categorias

Comentários

ARQUIVO

CALENDÀRIO

Dezembro 2019
S T Q Q S S D
« Nov    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Top

Copyright © 2019 TDS - Rádio e Televisão do Sul