Siga-nos

Artes

Festival de música de Setúbal: apresentação da 9.ª edição

Artistas nacionais e internacionais conceituados partilham o palco com mais de 1500 crianças e jovens, entre 23 e 26 de maio, na nona edição do Festival da Música de Setúbal, com eventos em diversos locais do concelho. 

Avatar

Publicado

em

A cantora de jazz Beatriz Nunes, o maestro Paulo Lourenço, a Orquestra Sinfónica Portuguesa, Clarence Adoo, John Kenny e Merit Ariane integram o cartaz deste ano do Festival de Música de Setúbal, apresentado esta tarde no Museu do Trabalho Michel Giacometti, local onde se realiza um dos espetáculos do evento.

Nesta “casa” residem artistas e formações com reconhecimento nacional e internacional, envolvidos em espetáculos com a comunidade local, incluindo grupos amadores e pessoas com necessidades especiais, “no âmbito do espírito inclusivo do certame, que tem contribuído para mudar a vida das crianças e jovens que nele participam”, sublinha o diretor artístico, Ian Ritchie.

O responsável destaca como uma das principais marcas do projeto a criação do Ensemble Juvenil, “formação com características únicas no país”, que reúne elementos com percursos musicais variados, incluindo alguns com formação clássica, percussionistas de tradição africana/latino-americana, músicos de jazz e jovens com necessidades especiais.

 A segunda edição do simpósio realiza-se a 26, das 14h30 às 18h00, com o tema “Home”, e 27, das 09h30 às 18h00, com o tema “Comunidade, Criatividade e Cultura”, na Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal e no Fórum Municipal Luísa Todi, respetivamente, com o envolvimento de especialistas nacionais e estrangeiros.

Ambos são de entrada livre para estudantes e profissionais de música, saúde e educação, mas com reserva obrigatória. Para o público em geral, o preço pode variar entre os cinco e os vinte euros, dependendo da data da sessão. Mais informações podem ser obtidas através do endereço festival.musica.setubal@gmail.com.

Ian Ritchie sublinha as características únicas do Festival de Música de Setúbal, que já envolveu a participação de mais de 12 mil crianças e jovens na realização de espetáculos e na composição de canções interpretadas nas nove edições do certame.

“Se pensarmos bem, 12 mil pessoas correspondem a 10 por cento da população do concelho de Setúbal. São muitas pessoas nas quais o festival deixa marcas para o futuro.”

A presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, destaca, igualmente, o contributo do festival para a mudança de mentalidades através da música.

“Há nove anos era altamente improvável ver, por exemplo, a Academia de Música e Belas-Artes Luísa Todi a partilhar o palco com o Rumo ao Sucesso. Este festival mostra que não há limites e que todos podem fazer música.”

A autarca reafirma o caráter único do Festival de Música de Setúbal, evento repleto de “significados e estados de espírito”, que se traduz numa “mostra de músicos e de músicas em que se evitam os sons que, por vezes, poluem os nossos quotidianos”.

Agenda

 ‘Sons com História’ sucede ao ‘Andanças’

A organização quer criar um Festival de Música que se torne referência nacional e até mesmo internacional, na promoção e divulgação de intérpretes, que sirva de plataforma interdisciplinar de cultura musical

TDS noticias

Publicado

em

O sonho de divulgar e projetar cantores, músicos e performers da região e de todo o país trazendo-os ao interior, onde as populações assumem a cultura enquanto pilar decisivo para o desenvolvimento local. 

Do encontro das almas sonhadoras de Nuno Velez, Ana Paula Russo e do Presidente da Câmara Municipal de Castelo de Vide, António Pita, tomou vida aquela que será́ a primeira edição do Sons com História. 

Queremos criar um Festival de Música que se torne referência nacional e até mesmo internacional, na promoção e divulgação de intérpretes, que sirva de plataforma interdisciplinar de cultura musical e, ainda, na qualificação da oferta cultural do Município. 

A abertura do Festival, dia 27 de junho às 21h30, ficará a cargo das Vozes Alfonsinas com o espetáculo de música medieval e sefardita intitulado “De amores e devoções”, que poderá́ ser desfrutado no auditório da Fundação Nossa Senhora da Esperança, no Convento de São Francisco. 

No dia 28 de junho, também às 21h30, o nosso postal de visita que é o Largo da Fonte da Vila irá ser o palco que receberá o filho da terra professor António Eustáquio com o seu grupo Guitolão World Project acompanhados pela voz da cantora convidada (castelo-vidense) Vera Soldado e focado na música baseada na literatura musical ibérica. 

Os Voice’n’Combo vão trazer-nos ao Cine-teatro Mouzinho da Silveira, no Sábado dia 29 de junho às 21h30, uma viagem pelos standards do jazz vocal e instrumental do séc. XX, evidenciando as diferenças entre as várias épocas. 

Para o último dia desta primeira edição do Sons com História, dia 30 de junho, reservámos para a liturgia de domingo a Grande Missa Cantada, XIII Domingo do Tempo Comum – Ano C, a cargo do Ensamble São Tomás de Aquino na Igreja Matriz de Santa Maria da Devesa às 12h00.

Continuar a ler

Top

TDS Peça Orçamento