Últimas:
Feira d’Aires: momentos – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos

Artes

Feira d’Aires: momentos

Espetáculos na Feira d’Aires 2022.

Publicado

em

Feira d’Aires, em Viana do Alentejo.

Termina esta segunda feira com a atuação de Tony

Veja momentos da Feira d’Aires. Um Grupo de Sevilhanas passou pelo palco da Feira.

Continuar a ler
Publicidade

Artes

Documentário da Univ. de Évora galardoado

Documentário sobre projeto coordenado pela UÉ galardoado no Festival Internacional de Cinema e Turismo – ART&TUR

Publicado

em

Documentário sobre projeto coordenado pela UÉ galardoado no Festival Internacional de Cinema e Turismo – ART&TUR

O documentário “LIFE LINES – ARQUITETURA PARA A VIDA SELVAGEM” venceu o 1º Prémio na categoria Ambiente & Ecologia na décima quinta edição do Festival Internacional de Cinema e Turismo – ART&TUR que decorreu este ano em Ourém, entre os dias 26 e 29 de outubro.

“LIFE LINES – ARQUITETURA PARA A VIDA SELVAGEM” dá-nos a conhecer os esforços de promoção e recuperação da biodiversidade desenvolvidos num arrojado projeto, intitulado LIFE LINES, que visou minimizar os impactes ecológicos de estradas e linhas elétricas na vida selvagem. Com este documentário vamos percorrer uma das regiões do Alentejo com maior diversidade biológica, situada entre Montemor- o-Novo e Évora.

O projeto LIFE LINES – Rede de Infraestruturas Lineares com Soluções Ecológicas (LIFE14NAT/PT/001081), envolveu uma vasta equipa de investigadores da Universidade de Évora sendo coordenado por António Mira, professor do Departamento de Biologia e investigador no Instituto Mediterrâneo para Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento (MED), da Universidade de Évora. O projeto teve como parceiros a Universidade de Aveiro, a Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, as Câmaras Municipais de Évora e Montemor-o-Novo, a Infraestruturas de Portugal S.A., a MARCA – Associação de Desenvolvimento Local e a QUERCUS – Associação
Nacional de Conservação da Natureza.

O LIFE LINES tem ainda como colaboradores a Guarda Nacional Republicana, a REN – Redes Energéticas Nacionais SGPS S.A. e a E-REDES. Este projeto decorreu de 2015 a 2021, e foi cofinanciado pelo Programa LIFE – Natureza e Biodiversidade da Comissão Europeia.

Continuar a ler

Artes

Editada primeira obra literária juvenil eborense de animação japonesa

O livro encontra-se disponível em português, em formato e-book pdf. Veja onde pode descarregar.

Publicado

em

“Nexos da Origem: Fenda Ilusória I”

No âmbito do Projeto EcoBook’s, promovido pelo Instituto Cultural de Évora, foi realizado o lançamento da obra literária juvenil “Nexos da Origem: Fenda Ilusória I”, pelo autor R. D. Nexus, com ilustrações de António Pinheiro.

“Nexos da Origem” é a primeira obra literária juvenil eborense inspirada nos anime (animação japonesa) e escrita num estilo reminiscente à literatura juvenil japonesa, as light novels.

O livro encontra-se disponível em português, em formato e-book pdf, e pode ser descarregado aqui.

Sinopse do livro:
"Origem", um poder cósmico misterioso que existe pelo tempo e o espaço. A fonte de vários destinos, o ponto de convergência de tudo e todos.
Henrique "Rick" Dimas vive fechado do mundo, preso a fantasmas do passado. Ariana "Aria" Palma luta contra um terror global que lhe arruinou a vida. Dois jovens que há muito se conhecem e ao mesmo tempo em pouco ou nada se conhecem.
Duas realidades cruzada à força, um "encontro" impossível com resultados temíveis. Uma fenda ilusória que intriga e incomoda Rick, e que pode ter mais que se lhe diga. Uma entidade etérea acompanha os dois jovens, mantém-nos unidos e guia-os. Dentro dos jovens reside um poder latente capaz de mudar o mundo, a "Origem". Quando esse poder é despoletado, inicia uma jornada por entre o tempo e o espaço.

Esta obra foi pré-apresentada no evento ÉvoraAnime de 2021, promovido pelo Instituto Cultural de Évora no contexto do projeto Japão-Portugal, com o apoio do Instituto Português do Desporto e Juventude e do Corpo Europeu de Solidariedade.

Continuar a ler

Artes

Évora 2027 entrega dossiê final de candidatura a Capital Europeia da Cultura

Sobre a versão final do dossiê de candidatura, e o conceito que o inspira, o VAGAR,Paula Mota Garcia, coordenadora da Equipa de Missão Évora 2027, salientou: “Éuma leitura muito honesta da região. Ela parte da história de Évora, e do Alentejo, da sua essência, da sua identidade, e coloca questões à Europa, questões de presente e de futuro”.

Publicado

em

Évora 2027 entrega dossiê final de candidatura a Capital Europeia da Cultura,

 VAGAR é o mote.  “An(other) Art of Existence”

Sob o mote do VAGAR, Évora 2027, Cidade Candidata a Capital Europeia da Cultura, entregou hoje na sede do GEPAC, em Lisboa, o dossiê final de candidatura que contém a proposta da cidade, e do Alentejo, para ser Capital Europeia da Cultura em 2027.

Enquanto modo de ser e de viver enraizado no Alentejo, e aperfeiçoado, como uma arte, ao longo de milénios, o VAGAR afirma-se, de forma ainda mais convicta, como“uma outra arte de existência” para a Humanidade. A candidatura Évora__27 e o seu programa cultural e artístico partem deste conceito, levando-o mais longe, numa leitura contemporânea que convida a Europa a abraçar o VAGAR – a consciência plena de que enquanto humanidade, estamos sempre em relação com o universo –lançando questões e procurando respostas para os desafios que enfrentamos coletivamente, contribuindo para um futuro mais pacífico.

Ao lado dos representantes das diferentes entidades que integram a Comissão Executiva Évora 2027 que marcaram presença na entrega do dossiê de candidatura, Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara Municipal de Évora, destacou a “adesão da região” à candidatura de Évora, e do Alentejo, a Capital Europeia da Cultura em 2027, e acrescentou: “Julgo que temos aqui uma excelente candidatura, uma candidatura com os olhos postos no país, e na Europa, mas que sobretudo parte da nossa identidade, parte da cidade de Évora e parte do Alentejo. Entendemos que é uma excelente proposta para o desenvolvimento de toda a região centrado na cultura”.

Sobre a versão final do dossiê de candidatura, e o conceito que o inspira, o VAGAR,Paula Mota Garcia, coordenadora da Equipa de Missão Évora 2027, salientou: “Éuma leitura muito honesta da região. Ela parte da história de Évora, e do Alentejo, da sua essência, da sua identidade, e coloca questões à Europa, questões de presente e de futuro”.

A entrega deste dossiê, que aprofunda as diferentes dimensões do formulário de candidatura, e considera as recomendações do painel de especialistas feitas na fase de pré-seleção, constitui mais uma etapa num processo de candidatura que culminará a 7 de dezembro de 2022, com o anúncio da cidade portuguesa vencedora do título de Capital Europeia da Cultura em 2027. Até lá, Évora recebe, a 28 de novembro, a visita de membros do painel de especialistas internacionais que avalia as candidaturas, antes de defendermos a proposta de Évora__27 numa audiência com esse mesmo painel, marcada para 6 de dezembro em Lisboa.

A candidatura de Évora a Capital Europeia da Cultura é promovida pela Comissão Executiva Évora 2027, liderada pela Câmara Municipal de Évora. Esta Comissão Executiva é ainda constituída pela Direção Regional de Cultura do Alentejo, Universidade de Évora, Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Alentejo, Turismo do Alentejo –ERT, Fundação Eugénio de Almeida e Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo – ARPTA

Continuar a ler

ÚLTIMAS

Facebook

x
error: O conteúdo está protegido!!