Siga-nos

Saúde

Falta de medicamentos obriga a interrupção de tratamentos em Beja. Baixo Alentejo é a região mais afetada.

O mesmo estudo conclui que a falta de medicamentos nunca afetou tanto os portugueses: 3,4 milhões

TDS noticias

Publicado

em

No último ano, no distrito de Beja, quase 70% dos utentes (68,22%) enfrentaram algum tipo de indisponibilidade de medicamentos e destes, 32,17% recorreram a uma nova consulta para obter o medicamento disponível.

Dados revelados por uma sondagem realizada pelo Centro de Estudos e Avaliação em Saúde (CEFAR).

A população do distrito de Beja surge no estudo como uma das mais prejudicadas, registando o maior número de pessoas obrigadas a interromper o tratamento devido à falta de determinados fármacos: 9,30%, quase o dobro da média nacional (5,70%).

Na análise, as regiões mais desertificadas e economicamente mais desfavorecidas do interior do país são as que registam mais ocorrências deste tipo. Beja está entre os distritos com piores resultados da análise, com valores acima da média nacional (52,20%%, declararam dificuldades no acesso à medicação prescrita).

O mesmo estudo conclui que a falta de medicamentos nunca afetou tanto os portugueses: 3,4 milhões depararam-se com este problema e 371 milhões (5,70%) foram forçados a interromper a terapêutica.

A indisponibilidade de medicamentos levou ainda 1,4 milhões (21,50%) de utentes a recorrer a consulta médica para alterar a prescrição. O recurso a estas consultas causou elevados custos quer para o sistema de saúde (35,3M€ a 43,8M€), quer para o utente (2,1M€ a 4,4M€).

Os inquéritos para o relatório sobre o “Impacto da Indisponibilidade do Medicamento no Cidadão e no Sistema de Saúde”, da CEFAR, foram realizados na primeira semana de abril deste ano e contaram com a participação dos utentes de 2.097 farmácias em Portugal.

Continuar a ler
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
700

Saúde

Manual para crianças e jovens com diabetes é hoje lançado em Évora.

Cerimónia tem lugar na Escola Secundária Gabriel Pereira às 14h30

TDS noticias

Publicado

em

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, participa esta tarde na sessão de abertura do lançamento do 1º manual “Crianças e Jovens com Diabetes Tipo I na Escola – Manual de Apoio aos Profissionais de Saúde e de Educação”.

Nos últimos anos, a progressiva acessibilidade às bombas de insulina veio melhorar o controlo da doença e a qualidade de vida, mas também reforça a necessidade de formação e atualização.

A criação deste manual reúne respostas a questões e dúvidas, fundamentais para trazer tranquilidade à comunidade escolar, às famílias e às crianças e jovens.

Deve garantir-se a saúde, inclusão e equidade das Crianças e Jovens com DM1, bem como a promoção da literacia de toda a comunidade escolar em relação a esta doença.

A Escola é um local onde todos, sem exceção, se devem sentir felizes e integrados.

Continuar a ler
Publicidade

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

OUTRAS NOTÍCIAS

Categorias

Comentários

ARQUIVO

CALENDÀRIO

Setembro 2019
S T Q Q S S D
« Ago    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Top

Copyright © 2019 TDS - Rádio e Televisão do Sul - Web Development by IDEIAS FRESCAS https://ideiasfrescas.com