Últimas:
Existem 18 empresas de cultivo de canábis medicinal. Grande parte são no Alentejo. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos

Agricultura

Existem 18 empresas de cultivo de canábis medicinal. Grande parte são no Alentejo.

Uma das empresas, em Odemira, já exporta para os EUA

Publicado

em

“99 pedidos de licenciamento”

O Infarmed referiu que existem atualmente 18 empresas licenciadas para atividades de cultivo, fabrico, importação e exportação de canábis para fins medicinais.

A entidade recebeu 99 pedidos de licenciamento até ao dia de hoje.

Destes 99 pedidos nove encontram-se em fase de análise.

O Infarmed encontra-se a aguardar o pedido de vistoria a instalações de 80 empresas por parte das entidades requerentes.

Há 10 pedidos em que o Infarmed está a aguardar resposta a pedidos de elementos por parte das entidades requerentes.

Produção no Alentejo I Odemira

A colombiana Clear Leaves deverá duplicar a capacidade de cultivo de canábis na propriedade que detém na zona de São Teotónio, em Odemira.

Deverá aumentar de 10 mil para perto de 24 mil metros quadrados, incluindo uma instalação dedicada especificamente a pesquisa aplicada.

A aprovação para expandir as instalações no Alentejo foi concedida pelo Infarmed.

Uma remessa de 30 quilos de flor seca de canábis produzida no Alentejo assinala o primeiro envio da Clever Leaves para o mercado norte-americano, a partir de Portugal, onde entrou em 2019 e conseguiu no ano seguinte uma licença do Infarmed para produzir, comercializar e exportar canábis para fins medicinais.

Em São Teotónio, Odemira, tem uma propriedade com perto de 84 hectares, onde dispõe de 10 mil metros quadrados de cultivo em estufa e capacidade para expandir até aos 25 mil.

Agricultura

Agricultores discutem consequências da guerra no setor, em Elvas.

O objetivo é promover a discussão entre todos os intervenientes das fileiras dos cereais, proteaginosas, oleaginosas, pastagens e forragens e olivicultura, atendendo ao contexto marcado pela guerra.

Publicado

em

ANPOC e INIAV assinalam Dia Nacional do Agricultor

Discussão sobre Soberania Alimentar

A Associação de Produtores de Proteaginosas, Oleaginosas e Cereais (ANPOC), em conjunto com o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV), assinala o Dia Nacional do Agricultor, a 17 de maio, com uma visita aos campos de ensaios das diferentes espécies para conhecer o trabalho de investigação ali desenvolvido, e com uma sessão de discussão subordinada ao tema ‘Soberania Alimentar e Agricultura em Portugal’, a decorrer no Polo de Inovação de Elvas.

O objetivo é promover a discussão entre todos os intervenientes das fileiras dos cereais, proteaginosas, oleaginosas, pastagens e forragens e olivicultura, atendendo ao contexto marcado pela guerra.

O Alentejo é uma das principais regiões produtoras e exportadoras de cereais e oleaginosas, e num momento em que se assiste à transição para os modelos preconizados na estratégia europeia ‘Do Prado ao Prato’, bem como ao aumento de preços generalizado.

Continuar a ler

Agricultura

Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios reuniu esta manhã

Em Alcácer do Sal

Publicado

em

Foto: cm Alcácer do Sal

Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios reuniu esta manhã

Realizou-se hoje, dia 3 de maio, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, a reunião da Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios para o Concelho de Alcácer do Sal.
A sessão, presidida pelo presidente da Câmara Municipal, Vítor Proença, onde estiveram presentes técnicos de gestão urbanística e proteção civil da autarquia e as entidades que compõem a Comissão Municipal, teve como ponto principal a análise e votação do Plano de Defesa da Floresta Contra Incêndios, que saiu desta reunião aprovado.
Recordamos que esta comissão é uma estrutura de articulação, que planifica e age com a função de definir e estruturar orientações no âmbito da defesa das florestas.
A política de defesa da floresta contra incêndios não pode ser implementada de isoladamente, mas antes inserindo-se num contexto mais alargado de ambiente e ordenamento do território, de desenvolvimento rural e de proteção civil.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!