Últimas:
Eduardo Cabrita confirma presença no DIAP de Évora. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos

Justiça

Eduardo Cabrita confirma presença no DIAP de Évora.

Antigo ministro é hoje ouvido e constituído arguido.

Publicado

em

Ex ministro será constituido arguido

“Eduardo Cabrita esteve envolvido no acidente da A6 que provocou uma morte”

O ex-ministro da Administração Interna foi notificado para comparecer no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Évora esta sexta-feira, dia 22, e sabe a TDS não irá faltar.

Estará presente e irá fazer-se acompanhar do seu advogado.

Eduardo Cabrita será o terceiro arguido no caso, depois de o seu chefe de segurança ter sido constituído arguido já depois de reaberto o inquérito — juntando-se ao motorista que conduzia o carro que atropelou a vítima.

O processo — em que chegou a ser deduzida uma acusação por homicídio simples apenas contra o motorista do carro em que seguia Cabrita — foi reaberto por ordem do diretor do DIAP de Évora e a pedido da Associação de Cidadão Automobilizados.

Como Eduardo Cabrita gozava de imunidade parlamentar enquanto deputado, o Ministério Público aceitou esperar pela mudança de Governo.

No entanto, com a repetição das eleições na Europa e o atraso na tomada de posse do novo Governo, a imunidade parlamentar de Cabrita só foi levantada em finais de março.

O que diz o MAI

O Ministério da Administração Interna, em declarações feitas, garante que não existia sinalização para alertar os condutores dos “trabalhos de limpeza em curso” na A6 quando a viatura atropelou mortalmente o trabalhador.

Segundo o ministério então tutelado por Eduardo Cabrita, o veículo “não sofreu qualquer despiste” e “circulava na faixa de rodagem, de onde nunca saiu”.

O que diz a viuva da vítima

Marta Azinhaga, a viúva do homem atropelado  na A6, pelo carro onde seguia o ex-ministro Eduardo Cabrita, considera que a responsabilidade do acidente foi de Eduardo Cabrita.

Em entrevista à TVI, sobre a trágica morte do companheiro, a viúva mostra-se revoltada e contou que nunca recebeu qualquer telefonema de condolências da parte do ex-ministro da Admnistração Interna. E adianta: «O que eu mais queria era que Eduardo Cabrita fosse castigado».

A viúva considera que,  apesar de ter sido passageiro do veículo, tem a responsabilidade moral de pedir ao motorista para reduzir a velocidade adiantando ainda “esse senhor não tem coração.”

A saída de Cabrita e a reclamação hierárquica que reabriu o processo

Em dezembro, a procuradora do DIAP encerrou o inquérito e só acusou, por homicídio negligente, o motorista Marco Pontes, por o mesmo conduzir em excesso de velocidade (163 km/h) e na via esquerda da faixa de rodagem.

Eduardo Cabrita demitiu-se de ministro, ainda que o despacho de encerramento não abordasse a sua eventual responsabilidade criminal, nem a de Nuno Dias.

Inconformada, a ACA-M fez uma reclamação hierárquica e, considerando que Cabrita tinha “poder legal” para “dar ordens e instruções”, pediu que ele fosse investigado.

Quanto ao chefe da segurança – que, durante o inquérito, alegou que desconhecia a velocidade a que a viatura seguia, dizendo que esta era sempre “a velocidade adequada a cada missão, ao momento e ao local” -, a assistente não formulou expressamente o mesmo pedido.

No entanto, o diretor do DIAP conclui que, “atenta a formulação que utiliza” a ACA-M, “tem de entender-se que pretenderá estender essa responsabilidade à pessoa responsável pela segurança da comitiva”.

Assim sendo, o MP decidiu que a procuradora do inquérito deve constituir como arguidos Eduardo Cabrita e Nuno Dias e, sem necessidade de recolha de mais prova, apreciar “as alegadas condutas omissivas de um e de outro”.

Crime

Dois homens detidos em Azinheira de Barros(Grândola) por incêndio florestal.

Homens vão ser presentes a Tribunal

Publicado

em

Grândola, Azinheira de Barros

Dois detidos por incêndio florestal

O Comando Territorial de Setúbal, através do Posto Territorial de Grândola, no dia 17 de maio, deteve dois homens de 68 e 69 anos por incêndio florestal, na localidade de Azinheira de Barros, em Grândola.

Na sequência de um alerta que estaria  a deflagrar um incêndio florestal, os militares da Guarda deslocaram-se ao local e, após diligência policiais, constaram a presença de dois homens, que teriam efetuado uma queimada sem autorização para o efeito.

A referida queimada ficou fora de controlo, provocando um incêndio que consumiu cerca de 5,5 hectares de pasto e vegetação.

Os detidos foram presentes ao Tribunal Judicial de Grândola, para aplicação das medidas de coação.

A GNR relembra que:

·         As queimas e queimadas são das principais causas de incêndios em Portugal;

·         A realização de queimadas, de queima de amontoados e de fogueiras é interdita sempre que se verifique um nível de perigo de incêndio rural «muito elevado» ou «máximo», estando dependente de autorização ou de comunicação prévia noutros períodos;

Para evitar acidentes siga as regras de segurança, esteja sempre acompanhado e leve consigo o telemóvel.

A Guarda Nacional Republicana, através do Serviço da Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), tem como preocupação diária a proteção ambiental e dos animais. Para o efeito, poderá ser utilizada a Linha SOS Ambiente e Território (808 200 520) funcionando em permanência para a denúncia de infrações ou esclarecimento de dúvidas.

Continuar a ler

Crime

GNR de Beja recuperou 54 relógios roubados.

O suspeito de 35 anos foi constituído arguido, e os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial de Cuba.

Publicado

em

Pedrogão

Recuperação de material roubado

O Comando Territorial de Beja, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Beja, no dia 11 de maio, recuperou diverso material roubado, no concelho de Pedrogão.

No seguimento de uma investigação de vários roubos que ocorreram no distrito de Beja, os militares da Guarda encetaram diligências policiais que culminaram com o cumprimento de um mandado de busca em veiculo e com a apreensão de 54 relógios de diversas marcas e modelos, que tinham sido roubados.

O suspeito de 35 anos foi constituído arguido, e os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial de Cuba.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!