Últimas:
Este ano já foram feitas 1.406 queixas do setor da Saúde. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos

Saúde

Este ano já foram feitas 1.406 queixas do setor da Saúde.

Hoje é dia Mundial da Saúde

Publicado

em

Dia Mundial da Saúde

Dois anos depois do início da pandemia de Covid-19, e no do Dia Mundial da Saúde – assinalado a 7 de abrilEntre o dia 01 de janeiro e 31 de março de 2022, chegaram ao Portal da Queixa 1.406 da Queixa faz um raio-X ao setor da Saúde.

A análise revela que, no primeiro trimestre de 2022, foram dirigidas às entidades de saúde públicas e privadas, mais de 1.400 reclamações.

Má qualidade do atendimento e problemas com a marcação de consultas e exames são os principais motivos de reclamação registados pelos consumidores.

Entre o dia 01 de janeiro e 31 de março de 2022, chegaram ao Portal da Queixa 1.406 reclamações relacionadas com a área da Saúde, um crescimento de 6% face a igual período em 2021. A análise permitiu apurar que 12% do total das queixas do primeiro trimestre deste ano, está relacionado diretamente com a Covid-19. Aqui, os problemas apontados pelos utentes referem-se, sobretudo, à realização de exames, à entrega de resultados e ao acesso aos certificados digitais.

Segundo a análise efetuada ao setor da Saúde, entre janeiro e março deste ano, verificou-se que, entre os principais motivos de reclamação reportados pelos consumidores no Portal da Queixa estão a má qualidade do atendimento (49% das queixas); problemas com consultas e exames, nomeadamente dificuldades na marcação de consultas, na realização de exames e na entrega de resultados de exames (19%); questões contratuais relacionadas com cancelamento, renovações e rescisões de contratos (11%);  questões relacionadas com pagamentos, cobranças e reembolsos (8%); atraso, reembolso e problemas com encomendas de produtos de saúde (3%) e outros problemas, a gerar 10% do total de reclamações.

No estudo, foram ainda identificadas as subcategorias do setor com maior número de reclamações.

Os Grupos de Saúde Privados registaram um crescimento de 59% do número de queixas. Em 2021, no período em análise, totalizavam 14% das reclamações dirigidas ao setor da Saúde e, em 2022, as queixas sobem para 21%.

Por seu turno, as entidades de saúde da Administração Pública registaram, no primeiro trimestre deste ano, uma ligeira descida, de 23% em 2021, para 21% em 2022.

Hospitais e Maternidades também assistem a um aumento do número de reclamações, com uma fatia de 20% das queixas deste ano, face aos 14% em 2021.

Nos Planos de Saúde, verifica-se um decréscimo, a somar 11% das queixas em 2022, número que representava 19% em 2021.

Já na subcategoria Laboratórios e Análises Clínicas, evidencia-se outro aumento significativo da insatisfação dos utentes/consumidores, a gerar 9% das queixas em 2022, número que em 2021 representava apenas 3%.

De referir que, para este estudo, foram analisadas 12 subcategorias e 299 entidades de saúde do setor público e privado.

Saúde

Conferência: O papel do cuidador e a sua saúde mental.

Decorre em Évora a 25 de maio.

Publicado

em

Cantinho do Cuidador

O projeto Cantinho do Cuidador, projeto de profissionais de saúde do da Unidade de Cuidados na Comunidade do centro de Saúde de Évora, procura chegar a todos os Cuidadores Informais do Concelho de Évora com ações que visam a capacitação para o papel de cuidador, mas também promovendo o seu bem-estar e prevenindo os elevados níveis de exaustão a que esta atividade está sujeita.

Em curso desde 2019, encontra-se agora retoma as atividades de grupo pós pandemia, com + uma sessão, desta vez a acontecer no próximo dia 25 de maio pelas 16h na Fundação Eugénio de Almeida, sobre o tema “a Saúde mental do Cuidador“.

Sabendo-se que quem está nesta condição de Cuidar de alguém doente/dependente, está muitas vezes isolado em casa, a nossa experiência diz-nos que a divulgação destas iniciativas com recurso aos órgãos de comunicação social é uma boa forma da informação chegar a quem dela precisa.

Continuar a ler

Educação

Cantina de escola em Évora deixa de funcionar devido a casos de covid-19

Vários professores e assistentes operacionais infetados

Publicado

em

Os alunos da escola Conde de Vivalva em Évora vão ficar sem refeitório já a partir de amanhã e por tempo indeterminado devido a vários casos de covid-19 entre funcionários do estabelecimento de ensino.

Para além de casos positivos em auxiliares e assistentes técnicos há também professores com teste positivo à covid-19 o que leva a constrangimentos também no que diz respeito às aulas. 

A Escola Básica Conde de Vilalva, iniciou a sua atividade em 1993, e situa-se no Bairro do Bacelo, em Évora.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!