Siga-nos

Educação

COVID-19 | Universidade de Évora estuda mudanças na atmosfera

UÉ é a única instituição portuguesa a integrar uma campanha europeia desenvolvida pela ACTRIS, iniciativa panEuropa que produz observações de alta qualidade de aerossóis, nuvens e gases vestigiais.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

A Universidade de Évora (UÉ) é a única instituição portuguesa a integrar uma campanha europeia desenvolvida pela ACTRIS, iniciativa panEuropa que produz observações de alta qualidade de aerossóis, nuvens e gases vestigiais, que se encontra agora a estudar as mudanças na atmosfera durante o período de confinamento e de restrições na circulação, nomeadamente de tráfego aéreo, que alguns países foram sujeitos devido à COVID-19.

“COVID-19 | UÉ estuda mudanças na atmosfera”

O grupo de investigadores da infraestrutura europeia ACTRIS (Aerosol Clouds and Trace gases Research Infrastructure), da qual a UÉ é a única parceira no nosso país, iniciou a semana passada e a nível europeu, uma campanha de medições intensiva das propriedades óticas da atmosfera utilizando em Évora o PAOLI (Portable Aerosol and Cloud Lidar), um instrumento na UÉ desde 2009 por integrar a rede europeia EARLINET (European Aerosol Research Lidar Network), que por sua vez participa nos estudos efetuados pela ACTRIS.

Ao longo do tempo a UÉ tem desenvolvido investigação no âmbito ACTRIS, em 2014 como parceira associada, garantindo desta forma a participação no projeto ACTRIS-PPP (Preparatory Phase Project, 2017-2019), passando no início de 2020 a “parceira regular” no projecto ACTRIS/IMP (Implementation Phase) adquirindo desta forma maior conhecimento e experiência neste tipo de investigação.

Daniele Bortoli, investigador do Instituto de Ciências da Terra, pólo de Évora envolvido desde o início na infraestrutura ACTRIS, destaca que esta “produz informações essenciais para compreender as interações biogeoquímicas globais, a parte da geoquímica que estuda a influência dos seres vivos sobre a composição química da Terra”, que tem permitido ao longo dos anos obter informação sobre o clima e os ecossistemas, estando este atento como as mudanças climáticas podem alterar a composição atmosférica no futuro.

“A poluição do ar é ainda um grande problema para a saúde pública na Europa e em muitos outros países do mundo” sublinha o Professor do Departamento de Física da Escola de Ciências e Tecnologia da UÉ que tem debruçado parte da sua investigação na compreensão das fontes e destinos dos poluentes atmosféricos que afetam negativamente a saúde humana. 

Com esta campanha europeia, que tem instalada em Évora um ponto de medição, pretende-se “monitorar a estrutura da atmosfera durante o período de confinamento a que estamos sujeitos e identificar possíveis alterações devido à redução das emissões, em comparação com a climatologia de aerossóis registados na Europa”, sublinha Daniele Bortoli, obtendo dados de alta resolução temporal e vertical da informação relativa à estrutura atmosférica, sua dinâmica e propriedades óticas. 

O investigador do Instituto de Ciências da Terra (ICT), pólo da UÉ reconhece que nesta fase é prematuro avançar com dados mais robustos, observando ainda assim, durante a primeira semana de maio uma “mudança dos padrões climáticos e alguma poeira do deserto do Saara que chega à Península Ibérica” destaca Daniele Bortoli enquanto analisa os resultados preliminares que mostram como a carga de aerossóis foi intensificada significativamente durante o período da tarde para a noite do dia 7 de maio.

“No Mediterrâneo Ocidental – Évora – a semana começou sob condições de céu limpo, com baixa carga de aerossol, enquanto no meio da semana, observamos uma densa nuvem de poeira do Saara entre 1,5 e 4,5 km” frisa este investigador da UÉ, acrescentando que os mesmos parâmetros foram igualmente observados no final da semana em Barcelona, “aqui até 6 km” destaca.

“É interessante verificar que geralmente, na Europa, regista-se nesta altura uma pequena diminuição do coeficiente de retro dispersão de aerossóis na troposfera inferior e uma diminuição mais significativa na alta troposfera, quando comparada com as observações entre 2000-2015” aponta ainda o investigador enquanto analisa o relatório. Esta observação foi verificada em todas as estações Lidar, o que mostra “diferenças significativas entre os valores do coeficiente de retrodispersão do aerossol e da partícula linear nas taxas de despolarização na baixa troposfera e na alta troposfera”, frisa.  

A campanha vai entretanto continuar, contando, para além de Deniele Bortoli, com a colaboração de outros membros do grupo de ciências da Atmosfera, Água e Clima do ICT, diretamente envolvidos nas atividades do ACTRIS/EARLINET, mantendo em funcionamento os equipamentos necessários que lhes permite participar ativamente nestes estudos e estabelecer protocolos para garantia do controle e da qualidade dos dados e resultados obtidos ao nível mais global.

Continuar a ler
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
700

Educação

IPS vai formar quadros intermédios na área da Construção Civil

A formação, a ministrar na Escola Superior de Tecnologia do Barreiro (ESTBarreiro/IPS), acaba de ser aprovada pela Direção Geral do Ensino Superior

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) prepara-se para abrir, já no próximo ano letivo (2020-2021), um novo curso técnico superior profissional (CTeSP) apostado na formação de  quadros intermédios especializados na área da Construção Civil.

“A formação, a ministrar na Escola Superior de Tecnologia do Barreiro (ESTBarreiro/IPS), acaba de ser aprovada pela Direção Geral do Ensino Superior (DGES)” 

A criação deste novo curso fundamenta-se numa criteriosa auscultação dos vários agentes do setor na região da Grande Lisboa e Península de Setúbal, entre associações profissionais, municípios, empresas e o próprio ensino secundário e profissional, que revelou a existência de uma grave lacuna no que toca a mão de obra especializada disponível.

Refira-se ainda que o respetivo plano de estudos foi desenvolvido em estreita articulação com a Associação dos Agentes Técnicos de Arquitectura e Engenharia (AATAE).

Atualmente numa fase de recuperação de uma crise profunda, que levou a que muitos profissionais procurassem alternativas de trabalho no estrangeiro e, em alguns casos, a aposentação, o setor da Construção Civil e Obras Públicas ressente-se  da falta de recursos humanos tecnicamente competentes para assegurar a sua revitalização e dar resposta a um mercado de trabalho hoje francamente mais exigente.

O CTeSP em Construção Civil vem igualmente integrar e complementar a fileira formativa da ESTBarreiro/IPS neste domínio, juntando-se a outras opções de qualificação como o CTeSP em Reabilitação Energética e Conservação de Edifícios (nível 5), a licenciatura em Engenharia Civil (nível 6) e os mestrados em Engenharia Civil e em Conservação e Reabilitação do Edificado. 

O técnico superior profissional formado em Construção Civil pode, se assim o desejar, prosseguir estudos para licenciatura, sendo-lhe reconhecidos os conhecimentos, competências e aptidões  adquiridos no nível de formação anterior, sob a forma de creditações a um número significativo de unidades curriculares.

Importa também sublinhar que a ESTBarreiro/IPS dispõe, desde 2007, de instalações próprias construídas de raiz e equipadas com laboratórios de reconhecida qualidade nas áreas de Engenharia Civil, nomeadamente construção, estruturas, hidráulica e geotecnia.

Continuar a ler

Copyright © 2020 TDS - Rádio e Televisão do Sul | redação: info@televisaodosul.pt 266702926 |Comercial: dialogohabil@gmail.com Publicidade site | rádio: 917278022

error: Content is protected !!