Siga-nos

Autarquias

Costureiras solidárias de Vendas Novas produziram 1.200 máscaras

E são distribuidas por toda a população.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

O Município lançou o convite e cerca de 25 munícipes aceitaram dar do seu tempo e confecionar máscaras comunitárias para serem distribuídas à população, tendo produzido, até ao momento, 1.200 exemplares.

“Já foram feitas 1200 máscaras para distribuir pela população”

A distribuição das mesmas já começou, com a entrega aos utentes do CAO do polo da Cercimor em Vendas Novas, ao Centro de Convívio dos Reformados para que distribuam aos seus associados e aos idosos que se candidataram ao Programa de Comparticipação de Medicamentos.

O objetivo é garantir que outros grupos vulneráveis, pessoas idosas e/ou com deficiência também tenham acesso gratuito a uma máscara que os ajudará a proteger da COVID-19.

O tecido de algodão, o filtro TNT e os elásticos foram adquiridos pelo Município no comércio local mas a mão-de-obra foi toda das costureiras voluntárias, às quais a autarquia endereça um agradecimento sentido por terem aceitado o desafio do voluntariado para a proteção da nossa comunidade.

Anteriormente o Município já tinha procedido à entrega de máscaras descartáveis a instituições do Concelho que trabalham na prestação de cuidados de saúde, segurança e socorro da população; funcionárias de lares de idosos, apoio domiciliário, das creches, jardins-de-infância e 1.º ciclo e fez uma doação de 10 mil máscaras à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários para que a sua venda reverta em apoio à atividade da corporação.

Garantiu ainda máscaras reutilizáveis certificadas aos funcionários municipais e a todo o comércio e restauração local.

Autarquias

Aljustrel vai contestar inclusão na lista dos concelhos de risco elevado.

Autarquia diz que foi levado em conta número errado de habitantes

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Município vai contestar inclusão

“Autarquia diz que foi levado em conta número errado de habitantes”

O Município de Aljustrel, com base nos critérios decretados pelo Conselho de Ministros, passou a integrar a lista dos concelhos considerados de risco elevado no âmbito da pandemia Covid-19.

Segundo a autarquia “… o Governo, se baseia na última estimativa efetuada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em 2019, e não no número de habitantes que está referenciado no último Censos.

Este critério não tem ainda em conta, por exemplo, o número de inscritos no Centro de Saúde de Aljustrel, que, neste caso, é superior [9333 utentes].”

E adianta, “Assim, tendo por base a última estimativa do INE de 2019, a fórmula baseou-se na seguinte equação: 20 (número de casos nos últimos 14 dias) ÷ 8247 ( população residente estimada em 2019) = 0,00242512x 100.000 = 242, 51 (240/100.000 é o número limite).

O Município de Aljustrel, embora neste momento de pandemia queira sempre fazer parte da solução e estar inteiramente disponível para colaborar com todas as autoridades e entidades, vai “contestar o critério adotado, por entender que o Concelho sai penalizado, nomeadamente em termos económicos e sociais, e porque estes números não refletem a realidade deste território, com características particulares, nomeadamente no que diz respeito ao número de população atual, fruto da forte atividade industrial e agrícola.”

Continuar a ler

error: Content is protected !!