Últimas:
Chuva está a chegar a todo o sul – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Agricultura

Chuva está a chegar a todo o sul

Nalgumas localidades ja chove com intensidade

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Vamos ter dois dias de chuva

Uma extensa banda de precipitação começou já a entrar pelo sudoeste Alentejano e vai avançando ao longo do dia para o interior originando chuva.
No mapa regional de estações meteorológica pode ver a precipitação acumulada ao longo do dia atualizada em permanência AQUI
(Dados MeteoAlentejo)

Previsão

Períodos de céu muito nublado.
Possibilidade de ocorrência de aguaceiros fracos até final da manhã, que serão de neve acima de 1000/1200 metros.
A partir do início da tarde, o céu tornar-se-á muito nublado nas regiões Centro e Sul, onde ocorrerão períodos de chuva ou
aguaceiros, que serão de neve acima de 1000/1200 metros, descendo a cota para 800/1000 metros no final do dia.
Possibilidade de ocorrência de trovoada no Baixo Alentejo e Algarve a partir do meio da tarde.
Vento em geral fraco do quadrante leste, tornando-se moderado (20 a 35 km/h) nas regiões Norte e Centro a partir do início
da manhã, predominando do quadrante sul na região Sul até meio da tarde.
Nas terras altas, o vento soprará moderado a forte (30 a 45 km/h) do quadrante leste, por vezes com rajadas até 80 km/h, em especial nas regiões Norte e Centro.
Possibilidade de formação de neblina ou nevoeiro matinal em alguns locais da região Sul.

Agricultura

Quercus e GNR falam em abate ilegal de 3 mil árvores em Monforte.

Veja as declarações do dirigente da Quercus.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

ICNF ordenou a paragem imediata dos trabalhos de limpeza na herdade de Monforte

“3 mil árvores abatidas em Monforte”

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas ordenou “a paragem imediata” dos trabalhos de limpeza na herdade de Monforte que abateu azinheiras.

O ICNF foi informado pelo Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente da GNR sobre a identificação do abate de azinheiras.

A Direção Regional de Conservação da Natureza e Florestas do Alentejo esteve igualmente no local e testemunhou o abate de azinheiras jovens por excesso de densidade, sem autorização, realização de podas de formação e podas de manutenção executadas de forma excessiva”.

Entretanto a Quercus solicitou ao Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente da GNR, para fiscalizar com regularidade no sentido de impedir a continuação do corte de azinheiras, assim com das podas abusivas.

A Quercus exige que sejam apuradas responsabilidades sobre a poda e corte ilegal de azinheiras, relembrando que fica proibida a alteração do uso do solo durante 25 anos, o estabelecimento de quaisquer novas atividades, designadamente agrícolas, industriais ou turísticas, conforme legislação aplicável.

Veja as declarações de José Janela da Quercus.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!