Últimas:
Câmara de Santiago do Cacém acusa os CTT de ‘falta de profissionalismo’ – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Autarquias

Câmara de Santiago do Cacém acusa os CTT de ‘falta de profissionalismo’

Em causa a distribuição de Kits de material de desinfeção pela população

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Santiago do Cacém não aceita falta de entrega de kits relativos ao covid 19

“CTT não terão distribuído em todas as habitações do concelho kit para habitantes”

A autarquia de Santiago do Cacém está indignada com os CTT.

Em causa a falta de distribuição de kits da Pandemia em várias povoações do concelho. 

Habitantes de vale de Água, S.Domingos, Cercal do Alentejo e Vila Nova de Santo André dizem não ter recebido os referidos kits.

A autarquia terá entregue a 28 de maio, na loja dos CTT de Santiago do Cacém, 15,642 kits, de acordo com o número de domicílios. Informação dada pelos próprios CTT.

No dia 16 de junho, a autarquia foi informada que a distribuição seria concluída no dia seguinte.

No entanto tem chegado à autarquia queixas de habitantes que não receberam o kit, segundo refere a autarquia em comunicado.

A autarquia diz que ‘não aceita esta falta de profissionalismo por parte de uma empresa que tem como obrigação a prestação do serviço público de distribuição postal. 

A autarquia liderada por Álvaro Beijinho refere ainda em comunicado que “lamenta que que muitos dos munícipes ainda não tenham recebido o seu kit”.

A autarquia refere que poderá recorrer a vias judiciais.

Autarquias

Cabrita promete mais militares da GNR para Reguengos de Monsaraz

Promessa foi feita ao presidente da autarquia numa reunião a que assistiram o Comandante Operacional da GNR e o Comandante Territorial de Évora.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Reunião com ‘balanço bastante positivo’, segundo José Calixto

” Audiência esteve agendada durante dois anos”

A audiência foi pedida em 2019 mas só agora, após os acontecimentos recentes, teve lugar.

Eduardo Cabrita ‘prometeu’ ao autarca que após a saída dos novos militares, que estão em formação, em Portalegre, haverá um ‘reforço significativo’ do posto de Reguengos de Monsaraz.

Uma das matérias abordadas foi o número de efectivos em Reguengos ( 24 operacionais ) e o envelhecimento dos efectivos (média etária de 49 anos).

“… tem-se registado um envelhecimento dos efectivos e em populações dispersas é mais grave quando é necessária a ajuda de outros militares”, frisou José Calixto, em declarações após a reunião com o MAI.

O número de militares em formação, segundo o autarca, aumentou significativamente. Passou de 1000 para 1400 militares o que vai promover uma maior distribuição de meios humanos.

Obras no Posto da GNR

A velha ambição de uma ‘nova’ casa para a GNR, em Reguengos de Monsaraz, também foi debatida.

” O posto territorial de Reguengos e do Destacamento são ambições antigas… foi-nos prometido que neste quadro de programação vai ser consignada essa obra”, referiu José Calixto.

O autarca ficou ainda que saiu com a garantia de uma maior presença do Corpo de Intervenção da GNR em Reguengos.

Um dos argumentos utilizados pelo autarca junto do Ministro e dos Comandos da GNR foi o crescimento claro do concelho.

Só Monsaraz recebe 100 mil habitantes por ano e o crescimento das unidades turísticas foi numa escala de 11 para 159 unidades.

Reguengos de Monsaraz tem 12 mil habitantes e ‘quer ter uma sensação de segurança’, referiu.

A reunião decorreu no Ministério da Administração Interna e contou com o Comandante Operacional da GNR, o Comandante Territorial da GNR de Évora, Coronel Joaquim Vivas, o Ministro Eduardo Cabrita e o presidente da autarquia de Reguengos de Monsaraz, José Calixto.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!