Siga-nos

Economia

Boeing quer mais ‘500 engenheiros’ para Évora

Estas perspetivas positivas abarcam igualmente os fornecedores das fábricas de Évora da Embraer.

Amilcar Matos

Publicado

em

O ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, disse ao Jornal Económico que abordou com o vice-presidente da Boeing, Marc Allen, no Paris Air Show, os projetos norte-americanos para as fábricas alentejanas. ”Querem mais 500 engenheiros”, diz.

A compra da brasileira Embraer pelos norte-americanos na Boeing trará novos projetos e uma maior dinâmica às fábricas de Évora que produzem componentes para aviões. Esta foi a perspetiva transmitida ao ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, no encontro que manteve com o vice-presidente da Boeing, Marc Allen, na 53ª edição do certame Paris Air Show, o salão internacional da aeronáutica que se realiza no aeroporto de Le Bourget entre 17 e 23 de junho. Se os reguladores não colocarem objeções à compra da Embraer pela Boeing, as fábricas portuguesas deverão aumentar a intensidade de laboração, o que inclui a reavaliação do futuro das OGMA. O próprio projeto das fábricas de Évora poderá ter um reforço a pensar no aumento da produção de componentes destinados a novos modelos.

O atual enquadramento industrial português “é adequado à captação de novos projetos do cluster aeronáutico, embora o processo de decisão de um novo investimento não seja imediato, pois implica sempre decisões que levam algum tempo a maturar”, refere o ministro.

Mesmo assim, as perspetivas de negócios são muito boas porque a fileira existente em Portugal permite ganhos de escala entre os vários fornecedores instalados no mercado nacional. De imediato, Portugal tem o conforto de saber que os maiores construtores mundiais, a Airbus e a Embraer, compram componentes para os seus aviões às unidades fabris do sector existentes em Portugal.

O mais relevante, segundo João Gomes Cravinho é que “Portugal não existia no radar da Boeing e agora, de repente, a Boeing começa a pensar no futuro das fábricas que passa a ter na Europa”, num momento em que a única fábrica direta que montou foi a do Reino Unido, que agora está debaixo do fogo do Brexit.

Isto significa que “Portugal será o único país europeu onde a Boeing deverá apostar forte na produção industrial – nas unidades da Embraer em Évora e nas oficinas das OGMA – assim que tenha a aprovação da compra da Embraer pelo regulador”, admite o ministro, porque “já há indícios muito positivos que permitem prever um aumento da produção e do número de postos de trabalho, e isso será esclarecido ainda antes do fim do ano”.

Economia

Presidente da Câmara de Vendas Novas exige reunião com a CP

Luis Dias, presidente da Câmara de Vendas Novas exige descontos também na CP

TDS noticias

Publicado

em

O Conselho Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, por proposta do Presidente da Câmara Municipal de Vendas Novas, Luís Dias, aprovou uma tomada de posição que exige uma reunião com a CP, de modo a incluir no Programa de Apoio à Redução Tarifária, os passes dos utilizadores do transporte ferroviário.

Para além disso, o Conselho decidiu ainda fixar o desconto nos passes mensais de transportes rodoviários de todos os residentes no Alentejo Central em 60% do seu valor.

Na tomada de posição, que transcrevermos, é clara a intenção dos autarcas:

«No âmbito do Programa de Apoio à Redução Tarifária, PART, estatuído pelo Despacho n°1 234-N201 9, de 4 de fevereiro, foi deliberado em reunião do Conselho Intermunicipal de dia 19 de Março de 2019 que o apoio à redução tarifária seria aplicado aos transportes públicos com origem no território abrangido pela Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC), independentemente do destino dos utilizadores e a percentagem deste apoio foi então fixada em 32%.

Posteriormente esta redução tarifária ampliou-se, fixando-se nos 60%. Contudo até ao momento, o PART não abrange os passes dos utilizadores do transporte ferroviário, apesar da insistência do Município de Vendas Novas e da CIMAC, que estranham a resistência da CP em não permitir a sua aplicação e os sucessivos adiamentos das reuniões agendadas com o intuito de encontrar um entendimento.

Assim, em reunião do Conselho Intermunicipal da CIMAC de 16 de julho de 2019, foi aprovada por unanimidade a proposta do Presidente da Câmara Municipal de Vendas Novas para a assunção desta tomada de posição, que exige uma reunião imediata com a CP, com o propósito legítimo de incluir no Programa de Apoio à Redução Tarifária os passes dos utilizadores do transporte ferroviário.»

Continuar a ler

Top

TDS Peça Orçamento