Siga-nos

Agenda

Biblioteca de Alcácer do Sal de azul por causas nobres

Pretende-se sensibilizar a população e chamar a sua atenção para a problemática.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Foto: CM Alcácer do Sal

Pelo autismo e contra os maus-tratos na infância

Azul é a cor que a iluminação noturna da Biblioteca Municipal de Alcácer do Sal vai apresentar ao longo deste mês de abril.

Na noite de hoje, 2 de abril, o antigo solar dos Salemas estará iluminado de azul para assinalar o Dia Mundial da Consciencialização do Autismo 2020.

Pretende-se sensibilizar a população e chamar a sua atenção para a problemática.

Este desafio mundial, conhecido por “Acendam a Luz Azul” (“Light it up Blue”), foi lançado pela Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo – Setúbal e pela Federação Portuguesa de Autismo na sequência do movimento desencadeado pela Autism Speaks e dinamizado em Portugal pela Associação Vencer o Autismo.

As luzes azuis vão manter-se ligadas até ao final do mês para assinalar igualmente “Abril – Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância”, campanha da Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens (que apoia as CPCJ’s) e que, este ano, tem como lema “Serei o que me deres… que seja amor”.

Recorde-se que, em 1989, uma mulher norte-americana (Bonnie Finney) amarrou uma fita azul na antena do carro, em homenagem ao seu neto, vítima mortal de maus-tratos, gesto destinado a “fazer com que as pessoas se questionassem”.

A repercussão desta iniciativa foi de tal ordem, que abril passou a ser o Mês Internacional da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância, com o objetivo de agitar consciências e contribuir para a implementação de políticas de prevenção.

Agenda

Évora é candidata a Capital Europeia da Cultura 2027

TDS emite nos próximos dias vídeo exclusivo sobre a candidatura da cidade

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Évora é candidata a Capital Europeia da Cultura 2027, mas o compromisso é para com o Alentejo Central e com um olhar abrangente a todo o território alentejano. “Anda, Acreditando” é o lema escolhido para a primeira fase da candidatura.

“Brevemente a TDS apresenta reportagem vídeo sobre a candidatura apresentada por Évora”

Foi apresentada a candidatura da cidade de Évora a Capital Europeia da Cultura 2027.

Na sessão, que teve lugar na Torre do Salvador, em Évora, sede da candidatura, Paula Mota Garcia (coordenadora da Equipa de Missão) e Carlos Pinto de Sá (Presidente da Câmara Municipal de Évora e representante da Comissão Executiva “Évora 2027”) anunciaram o projeto que incide sobre a identidade cultural alentejana e que prevê a conceção e implementação de ações estruturantes de longa duração, capazes de salvaguardar ligações sustentáveis entre o setor cultural e criativo com outras áreas da sociedade.

O processo de candidatura, que decorre da estratégia cultural de cidade (Estratégia 2030) que será apresentada pelo Município de Évora até ao final do ano, pretende valorizar o território, as suas gentes, o seu património material e imaterial, e os seus contributos para a construção da identidade nacional e europeia, elegendo como conceito de partida a escala humana na sua relação com diferentes dimensões.

A construção da narrativa de Évora 2027 e conceitos a defender em BidBook — documento que formaliza a intenção de uma cidade candidata ao título de Capital Europeia da Cultura (CEC) — foi iniciada pela Equipa de Missão, coordenada por Paula Mota Garcia, em março de 2020. A constituição da Equipa de Missão a essa data foi mais uma das etapas cumpridas pela candidatura de Évora que manifestou a intenção de ser cidade candidata a Capital Europeia da Cultura em novembro de 2017 no Salão Internacional do Património Cultural em Paris, tendo desde aí desenvolvido vários trabalhos preparatórios.

Essa decisão resultou de um compromisso político entre oito entidades que compõem a Comissão Executiva “Évora 2027”: Câmara Municipal de Évora (líder da candidatura, como estipulado pelo Regulamento Europeu), Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo, Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Alentejo, Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (composta pelos Municípios de Alandroal, Arraiolos, Borba, Estremoz, Évora, Montemor-o-Novo, Mora, Mourão, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Vendas Novas, Viana do Alentejo e Vila Viçosa), Direção Regional de Cultura do Alentejo, Fundação Eugénio de Almeida, Turismo do Alentejo e a Universidade de Évora.

“Évora 2027 afigura-se enquanto projeto estruturante para o futuro do região onde, tendo em conta naturais diferenças, devemos sempre procurar o que temos em comum e, em particular, o nosso amor ao Alentejo”

Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara Municipal de Évora.

Nestes últimos meses e, apesar da intermitência decorrente do contexto de pandemia, tem sido desenvolvido um trabalho aprofundado de auscultação do território, de identificação de parcerias estruturantes a nível regional, nacional e internacional, de criação de condições de aproximação entre estruturas artísticas e de investigação e inovação, de promoção de um diálogo construtivo com o setor artístico do concelho de Évora.

Tendo em conta que a participação e o compromisso são algumas das características mais relevantes do atual paradigma das Capitais Europeias da Cultura, no próximo mês, Évora 2027 lançará um amplo processo participativo que consistirá na realização de um conjunto de encontros em vários municípios do Alentejo Central e que será coordenado pela Universidade de Évora.

Esta apresentação, que acontece em pleno cenário adverso de pandemia por Covid-19, reforça a relevância da candidatura de Évora, que, segundo Paula Mota Garcia, “tem aqui uma forte responsabilidade no contributo para o reposicionamento de medidas de salvaguarda do setor cultural e criativo alentejano.”

A partir das 18h00, o projeto Évora 2027 é apresentado em sessão pública no edifício da antiga Rodoviária Nacional, em Évora. O programa do evento conta ainda com o espetáculo By Heart, uma coprodução do Teatro Nacional D. Maria II, com texto, encenação e interpretação de Tiago Rodrigues (vencedor do Prémio Pessoa, em 2019). Na observância das diretivas da Direção-Geral da Saúde para salvaguarda do público e dos profissionais, há um conjunto de regras sanitárias que se irão cumprir de forma rigorosa. Tendo em conta a lotação reduzida do espaço, o evento será ainda transmitido online nas plataformas de redes sociais da candidatura, permitindo que toda a comunidade possa acompanhar os diferentes momentos.

“Anda, Acreditando”

É o lema escolhido para a primeira fase da candidatura em que a sociedade civil é convocada para um amplo processo de participação na construção da estratégia que vai alavancar o desenho da candidatura. Um lema que coloca a palavra ao centro, valorizando-a como expressão da riqueza cultural de um território e promoção da diversidade linguística no contexto europeu. A oralidade é outra das características em evidência e um marco da identidade cultural alentejana, refletida através do uso do gerúndio.

“Anda, Acreditando” propõe a construção de uma voz comum, que cresce de porta em porta até chegar a um coro mobilizador que reivindica um desígnio coletivo que se propaga no tempo e no espaço. Alinhado pelo próprio espírito da candidatura em que é valorizada a trajetória de construção, o lema irá evoluindo, assim como a identidade visual agora apresentada e que tem a assinatura de Lizá Defossez Ramalho e Artur Rebelo, fundadores do estúdio de design de comunicação R2.

O projeto europeu Capitais Europeias da Cultura

O programa europeu Capital Europeia da Cultura (CEC) é uma das ações mais emblemáticas da União Europeia, que visa promover uma zona cultural comum. As CEC são uma oportunidade para valorizar a riqueza e a diversidade da cultura europeia e o acesso livre e democrático, de celebração das características culturais partilhadas. Constituem um contributo para, através da implementação de estratégias de longo prazo, capacitar o setor cultural e criativo, atuar sobre todo o ecossistema económico e social, assim como para elevar o perfil internacional das cidades distinguidas pelo título.

Em 2027, o título de Capital Europeia da Cultura será atribuído a duas cidades, a uma portuguesa e a uma letã. Em novembro de 2020, o Ministério da Cultura deverá publicar um Aviso de Concurso Nacional, de acordo com o estabelecido pela Comissão Europeia. As cidades interessadas em concorrer terão aproximadamente um ano para responder formalmente através da apresentação de um documento formal designado de BidBook e que implicará um processo de reflexão sobre o papel da cultura na estratégia de desenvolvimento da cidade. Em meados de 2022, será publicada a shortlist das cidades que são convidadas a detalhar as suas propostas de acordo com um conjunto de recomendações. O resultado final do júri será conhecido entre o final de 2022 e início de 2023.

( A TDS apresenta em breve reportagem vídeo sobre candidatura de Évora a Capital Europeia da Cultura )

Continuar a ler

error: Content is protected !!