Siga-nos

Agenda

Associações culturais de Montemor-o-Novo ‘matam’ fome de cultura.

Iniciativa decorre até 19 deste mês de setembro.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Foto: Alma D'Arame

Alma d’Arame e Oficinas do Convento retomaram a atividade cultural

“ReToma, duas associações unem-se em prol da cultura para evento único”

  • 41 eventos culturais acontecem durante oito dias em Montemor o-Novo;
  • Teatro, música, cinema, exposições e workshops são algumas das atividades que o publico vai encontrar no ReToma;

As Associações de âmbito cultural Alma d’Arame e Oficinas do Convento retomaram a atividade cultural com uma iniciativa conjunta a que deram o nome de “ReToma”.

Trata-se de um evento único, de carácter multidisciplinar, que entre os dias 10 e 19 de setembro está a invadir a cidade de Montemor o-Novo com um conjunto de espetáculos performativos nas áreas do teatro, cinema, performances, concertos, exposições e workshops.

Neste evento, o público é convidado a circular por Montemor-o-Novo e assistir aos espetáculos ao ar livre, em jardins, mercados, ruas ou pátios que dão palco a esta iniciativa.

«ReToma, queremos com este nome transmitir a ideia de fazer acontecer, mostrar que ultrapassamos os constrangimentos recentes, transversais a toda a sociedade, e que por isso estamos aqui, mais fortes do que nunca para fazer acontecer», afirma Tiago Fróis, Director Artístico do Oficinas do Convento.

Amândio Anastácio, diretor artístico da Alma d’Arame, afirma por sua vez «As duas associações têm propósitos distintos, mas partilham também muito em comum para além do espaço de Montemor-o-Novo onde coabitam, têm vontade de fazer e ir mais além.

Por isso preparamos um conjunto de performances artísticas, de várias áreas, que vão proporcionar ao público que vier assistir, uma experiência ímpar, rica e esperemos que satisfatória para saciar a “fome” de cultura dos últimos meses».

Veja AQUI a programação. Veja AQUI filme de espetáculo já realizado.

Agenda

Câmara de Évora avança com concertos de música já este mês.

As entradas são livres e podem estar presentes 140 pessoas.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

ZÊZEREARTS 2020 visita Évora de 26 de julho a 1 de agosto

“Évora recebe um dos mais importantes festivais nacionais de música no património, o “Zezerearts”.”

Numa edição especial, nesta cidade, o festival promove cursos de verão para estudantes de música e quatro espetáculos abertos ao público em geral, os quais decorrem entre 26 de julho e 1 de agosto, no Jardim da Palmeira e na Igreja do Convento dos Remédios.

Apoiado pela DGArtes, o “Zezerearts” nasce em 2011, por iniciativa de Brian MacKay, seu diretor artístico, e é um projeto de uma das mais prestigiadas produtoras de música erudita em Portugal, a Musicamera.

Como 2020 é um ano de diferentes contornos, a Câmara Municipal de Évora estabelece uma parceria com o festival para que o
mesmo se realize na cidade, a qual tem o apoio da M’Ar de Ar Hotels.

Com o acolhimento de Évora, o “Zezerearts”, que comemora este ano a sua 10.a edição, consegue manter a realização dos cursos de cordas, migrando-os para esta cidade, e alcançar uma elevada programação de música erudita.

Os Cursos de Verão do festival decorrem, assim, em Évora, de 25 de Julho a 1 de agosto, englobando várias masterclasses, e contam com 40 participantes, estudantes avançados em violino, violeta, violoncelo, contrabaixo e música de câmara, sob a orientação de Eliot Lawson e Luís Pacheco Cunha (violino), Jorge Alves (violeta e música de câmara), Catherine Strynkx (violoncelo), Adriano Aguiar (contrabaixo) e Brian MacKay (orquestra).

O programa musical do “Zezerearts 2020 Visita Évora”, o nome que a iniciativa adota este ano, é inaugurado a 26 de Julho, pelas 21h30, no Jardim da Palmeira, com a estreia do filme “Geraldo e Samira – Uma Ópera Para Évora”, da autoria de Diogo Pessoa Andrade e da Creative Visual. Antes da exibição, decorre uma breve cerimónia de oferta do programa e do DVD do filme a todos os participantes da ópera.

O filme resulta da gravação da ópera homónima de tributo à cidade, projetada e produzida no âmbito do “Festival de Artes Públicas – Artes à Rua 2019” e cuja encenação, em setembro do passado ano, foi o seu espetáculo de encerramento.

Inspirada em Geraldo Sem Pavor e em Samira, protagonistas de um mito que envolve a História de Évora, a ópera é uma produção da Musicamera, com autoria do compositor Amílcar Vasques-Dias. Este e a libretista Helena da Nóbrega conceberam um espetáculo operático com dezenas de cantores, atores, músicos e figurantes, sob a direção musical do maestro Brian MacKay, agora transformado num filme.

No dia 28 de julho, também no Jardim da Palmeira, às 21h30, realiza-se um Concerto Coral Sinfónico, com as participações de Daniela Matos, Laura Martins, Nélia Gonçalves, Aiofe Hiney, Almeno Gonçalves, Paulo Vetori, Luís Rendas Pereira, Pedro Correia e da Orquestra ZêzereArts, esta composta pelos formandos e professores dos cursos dirigida por Brian MacKay. Nesta noite serão interpretadas obras de Vivaldi, Koussevitsky, Eurico Carrapatoso, Mozart, David Miguel, César Viana e também de Beethoven, aludindo às celebrações do 250.o aniversário do seu nascimento, assinalado em 2020.

Segue-se um Concerto de Música de Câmara, no dia 30 de Julho, pelas 18h30, na Igreja do Convento dos Remédios, em que os protagonistas são artistas e agrupamentos dos Cursos ZêzereArts que irão tocar obras de música de câmara com a pianista Taíssa Poliakova.

Um concerto preparado ao longo de todo o festival.

O concerto de encerramento da programação decorre no dia 1 de Agosto, no Jardim da Palmeira, às 21h30. Como é habitual no festival, este espetáculo chega pela mão da Orquestra do Festival ZêzereArts, contando com os formandos e com os professores Eliot Lawson, Luís Pacheco Cunha, Jorge Alves, Catherine Strynckx e Adriano Aguiar, e dirigida por Brian MacKay, com um alinhamento que inclui obras de Haendel, Beethoven e Schostakovich.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade

OUTRAS NOTÍCIAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Categorias

ARQUIVO

error: Content is protected !!