Siga-nos

Agricultura

APORMOR responsabiliza governo pela inviabilidade de explorações agrícolas

Em causa o comunicado do dia 9 de Dezembro da Ministra da Agricultura, onde é deixado à escolha dos agricultores a decisão de optarem por uma única medida Agro-Ambiental na candidatura do Pedido Único de 2020.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

A Associação de Montemor o Novo responsabiliza o governo e a ministra da agricultura pela “inviabilidade económica e financeira de inúmeras explorações agrícolas e pelo agravamento do despovoamento do mundo rural.”

A APORMOR considera que “esta decisão rompe com os compromissos assumidos no atual Quadro Comunitário de Apoio (QCA), que deveriam continuar até à definição do próximo QCA, e é uma opção puramente economicista e até incongruente com o programa do Governo, que se compromete em «promover uma agricultura resiliente» e a «adotar medidas de gestão e conservação do solo, a apostar em pastagens permanentes semeadas e melhoradas, a apoiar e dinamizar a silvopastorícia extensiva»”, refere em comunicado.

“A Associação de Produtores de Bovinos, Ovinos e Caprinos da Região de Montemor-o-Novo adianta que os agricultores não têm culpa que, por responsabilidade exclusiva dos decisores políticos, as negociações da nova Política Agrícola Comum estejam paradas”.

Referem igualmente a dificuldade que existe, desta forma, em “planear o futuro enquanto não forem definidas as novas linhas de orientação sobre as componentes ambiental e produtiva.”

Em comunicado enviado à TDS a APORMOR refere que irá enviar uma carta à ministra da agricultura  a expor todas a situação. A nota termina com a ‘esperança’ de que o governo “reconheça o erro desta decisão e que o corrija a tempo, em nome da sustentabilidade da agricultura e do território rural”, conclui.

Continuar a ler
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
700

Agricultura

Petição Pública contra a expansão da agricultura intensiva

Petição é mais um ‘gesto’ das populações locais para travar o ‘mar de plástico’ na costa alentejana e algarvia.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Um grupo de cidadãos de Odemira e Aljezur lançaram a Petição Publica “O Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina não aguenta mais agricultura intensiva!”.

Esta Petição, que surge porque existe uma grande preocupação relativamente à expansão da agricultura intensiva naquele território, pede a revogação da Resolução de Conselho de Ministros 179/2019 que permite triplicar a área coberta de plástico que já existe no Parque e autorizar a colocação de contentores dentro das explorações agrícolas para mais trabalhadores emigrantes até 36.000 pessoas. 

Para os dinamizadores da Petição é insustentável que isso venha a acontecer dentro de um Parque, ainda, por cima com “os problemas sociais e ambientais que já existem e ainda estão por resolver”.

Veja AQUI a petição.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

OUTRAS NOTÍCIAS

Categorias

Comentários

ARQUIVO

Top

Copyright © 2019 TDS - Rádio e Televisão do Sul | redação: info@televisaodosul.pt 266702926 |Comercial: dialogohabil@gmail.com 917278022