Siga-nos

Desportos

AMINATA em risco de extinção.

A continuar este cenário – não se desbloqueando respostas adequadas nos próximos dez dias, nem se perspetivando o retomar das atividades no curto prazo -, ficará em causa a sustentabilidade financeira, a manutenção dos postos de trabalho e a sobrevivência do próprio Clube.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

O atual cenário de pandemia, sem perspetiva de resolução no médio prazo, criou um clima de incerteza e de receio pelo impacto negativo na atividade ao longo dos próximos meses.

“O AMINATA é o único clube de natação do Alentejo com piscina própria e tem custos de funcionamento elevados, com salários, água, luz e gás.”

Ainda antes da declaração do estado de emergência, por precaução face à pandemia de covid-19, o AMINATA tomou a iniciativa de encerrar as suas instalações, suspendendo desde o dia 16 de março o serviço público que disponibiliza à população eborense desde 1982, para prática de atividades desportivas, saúde e bem-estar, em ambiente aquático.

Antecipando-se às medidas extraordinárias de apoio às empresas, o AMINATA solicitou em 23 de março um empréstimo à banca, para fazer face à quebra financeira já verificada na tesouraria, sem resposta até à data.

Ao mesmo tempo, pediu aos Sócios e Utentes que continuassem a pagar quotas e mensalidades, o que permitiu realizar 79% dos compromissos salariais com os colaboradores do Clube, faltando liquidar os restantes 21%.

Tal como outras empresas portuguesas, o AMINATA encontra sérias dificuldades em aceder a apoios – para sobreviver ao impacto desta crise, foi forçado a recorrer ao lay-off simplificado, o que afeta a totalidade dos colaboradores – 19 do quadro, além de 3 prestadores de serviços, que interromperam a sua atividade.

Entretanto, têm sido realizados contactos com o executivo da Câmara Municipal de Évora, no sentido de encontrar soluções que permitam o reforço da tesouraria, para enfrentar um problema que ameaça a existência do Clube.

À exceção do diferimento de prazos para cumprimento de obrigações fiscais e da moratória aplicada a crédito não existem, neste momento, medidas anunciadas pelo Governo para mitigar o embate negativo nas instituições de utilidade pública, como é o caso do AMINATA (DR 168, II Série, de 24.7.91).

A Direção do AMINATA encara, com preocupação, a ausência de resposta célere aos incansáveis esforços para cumprir as obrigações salariais com os seus colaboradores, nomeadamente o valor remanescente de março e a parte que compete assegurar em abril – aproximadamente 7000€.

Além do dramático impacto sobre as famílias que dependem do AMINATA, com o desaparecimento do Évora Clube de Natação, deixariam também de existir atletas locais das modalidades praticadas até agora, com cerca de 1100 associados e utentes mensais privados da prática federada, de lazer, ou atividade terapêutica.

Também a cidade de Évora perderia um equipamento com dimensão desportiva e capacidade para acolher as escolas de natação – cerca de 600 bebés e crianças de inúmeras famílias.

Continuar a ler
Publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

avatar
700

Desportos

Volta a Portugal em Bicicleta passa por Setúbal mas não vai ao sul.

A TDS rádio acompanha a prova com a reportagem do jornalista Teixeira Correia.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Volta a Portugal em Bicicleta: etapa em Setúbal

“Setúbal recebe a última etapa em linha da edição especial 2020 da Volta a Portugal em Bicicleta, a 4 de outubro, com chegada prevista dos ciclistas à meta, instalada na Avenida Luísa Todi, a partir das 17h30.”

A crise sanitária motivada pela pandemia Covid-19 motivou a reformulação no habitual formato da Volta a Portugal em Bicicleta e, em vez da 82.ª edição da prova, realiza-se uma edição especial, organizada pela Federação Portuguesa de Ciclismo.

A prova deste ano, a decorrer entre 27 de setembro e 5 de outubro, com um total de 1183,9 quilómetros, é realizada ao longo de nove etapas, incluindo um prólogo em Fafe, no início, e um contrarrelógio individual em Lisboa, no final.

A sétima etapa da edição especial 2020 da Volta a Portugal em Bicicleta, liga Loures a Setúbal, num total de 161 quilómetros, incluindo uma subida à Serra da Arrábida, e meta na Avenida Luísa Todi, com chegada prevista às 17h30.

Os ciclistas fazem uma primeira passagem pela Avenida Luísa Todi, seguindo, depois, em direção à Arrábida, com parte do percurso a ser realizado, pela primeira vez, pela estrada de acesso às praias, antes da subida ao alto da serra.

A edição especial 2020 da Volta a Portugal em Bicicleta começa a 27 de setembro com um prólogo de sete quilómetros em Fafe, a que se segue, no dia seguinte, a primeira etapa entre Montalegre e Viana do Castelo, com 180 quilómetros.

Em setembro decorrem ainda mais duas etapas. A primeira, a 29, liga Paredes à Senhora da Graça, num percurso com 167 quilómetros, enquanto a 30 é a vez de um trajeto entre Felgueiras e Viseu, num total de 171,9 quilómetros.

A quarta etapa está agendada para 1 de outubro, com 148 quilómetros, entre a Guarda e a Covilhã, a que segue, a 2, um percurso entre Oliveira do Hospital e Águeda, com 176,3 quilómetros.

No dia 3, a prova prossegue com a sexta etapa, entre Caldas da Rainha e Torres Vedras, com 155 quilómetros, seguindo-se, a 4, a penúltima etapa, a última em linha, num trajeto entre Loures e Setúbal, com 161 quilómetros.

A edição especial 2020 da Volta a Portugal em Bicicleta, cuja etapa setubalense conta com o apoio da Câmara Municipal de Setúbal, termina no dia 5, feriado nacional, com um contrarrelógio individual de 17,7 quilómetros em Lisboa.

Continuar a ler
Publicidade
Publicidade

OUTRAS NOTÍCIAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Categorias

ARQUIVO

error: Content is protected !!