Últimas:
Ambientalistas não querem a Barragem do Pisão. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos

Sociedade

Ambientalistas não querem a Barragem do Pisão.

Inundar 724 hectares, destruir os ecossistemas existentes, cortar 40 mil azinheiras e sobreiros num montado produtivo e singular e deslocar o aglomerado urbano do Pisão na sua totalidade, movendo pessoas e bens sem se saber ainda para onde e como, dá que pensar sobre as opções e decisões tomadas à revelia de todos os pareceres das Organizações Não Governamentais de Ambiente.

Publicado

em

Quercus contesta aprovação do interesse público

Barragem do Pisão no Crato

O Governo constituiu o Empreendimento de Aproveitamento Hidráulico de Fins Múltiplos do Crato (EAHFMC), vulgo Barragem do Pisão, e adotou medidas excecionais para a concretização do mesmo, com a classificação como empreendimento de interesse público nacional, através do Decreto-Lei nº 62/2022, publicado ontem e que entra hoje em vigor.

Governo constitui e aprova empreendimento em termos ambientais de um dia para outro

Curiosamente, este empreendimento foi aprovado no Conselho de Ministros de 1 de setembro de 2022, apesar de já ter sido sujeito a um processo de Avaliação de Impacte Ambiental, previamente à sua constituição, o qual esteve em consulta pública até 11 de agosto. Em apenas 15 dias úteis, o governo emitiu a Declaração de Impacte Ambiental favorável condicionada a 2 de setembro, revelando que a decisão sobre o empreendimento já estava tomada.

O processo de consulta pública foi bastante participado, contando com contributos não de entidades públicas mas também de várias Organizações Não Governamentais do Ambiente e existiram de 147 cidadãos, tendo todos discordado do projeto, o que reflete a forma como é descurado o procedimento de Avaliação de Impacte Ambiental.

O governo veio declarar também a imprescindível utilidade pública, referindo que fica autorizado o corte ou arranque de sobreiros e azinheiras, em povoamentos ou isolados, limitado ao número de exemplares identificados por despacho do membro do Governo responsável pela área do ambiente, o que contraria a legislação aplicável. O estudo não avaliou alternativas de localização do empreendimento e estima-se que o montado, com 37.960 azinheiras e 1.843 sobreiros em povoamento, seja destruído pelo projeto.

A Quercus contesta as medidas excecionais e interesse público para um projeto de regadio, que apenas usou o argumento do abastecimento público para que a Comissão Europeia viabilizasse o financiamento do Programa de Recuperação e Resiliência.

Para o abastecimento público dever-se-á aproveitar dignamente as albufeiras da Póvoa e da Apartadura que estão construídas, modernizando-as e reforçando-as, em lugar de nos darmos ‘ao luxo’ de construir uma nova barragem no Pisão, com uma despesa pública de 171 milhões de euros.

Dever-se-á construir a interligação da Barragem da Apartadura com a Barragem da Póvoa, cuja rede de adutoras praticamente se toca entre os concelhos de Castelo de Vide e Nisa. Esta interligação terá uma distância e um custo mínimos, comparados com a interligação da prevista barragem do Pisão no concelho do Crato até à ETA (Estação de Tratamento de Água para abastecimento público) que se localiza precisamente na Barragem da Póvoa no concelho de Castelo de Vide.

Inundar 724 hectares, destruir os ecossistemas existentes, cortar 40 mil azinheiras e sobreiros num montado produtivo e singular e deslocar o aglomerado urbano do Pisão na sua totalidade, movendo pessoas e bens sem se saber ainda para onde e como, dá que pensar sobre as opções e decisões tomadas à revelia de todos os pareceres das Organizações Não Governamentais de Ambiente.

Continuar a ler
Publicidade

Agenda

Comissão de Utentes do IC1 marcam debate

A acção de luta vai realizar-se no próximo dia 3 de Dezembro (Sábado), às 15:00, no Auditório da Junta de Freguesia de Santiago (União das Freguesias de Alcácer do Sal).

Publicado

em

Protesto

A Comissão de Utentes do I.C.1, vai realizar um Debate sobre o estado da estrada Itinerário Complementar nº1, no troço entre Alcácer do Sal Sul e Palma.

Em causa estão 16 km’s de via que se encontra muito degradada.

Esta Comissão considera que o estado de degradação visível em que este troço se encontra, representa um grave atentado a todos os Utentes que ali circulam, bem como, aos interesses da População residente, que têm visto nestes últimos anos, a sua condição de vida afectada quer no âmbito económico, social e, sobretudo, na sua segurança e integridade física.

Segundo a Comissão “Esta situação é inaceitável e insustentável considerando que este Itinerário é um eixo rodoviário fundamental entre o Norte e o Sul do País, destacando-se, neste argumento, a actividade turística e industrial e também pela relevância do Complexo Industrial/Portuário de Sines.”

A Comissão de Utentes exige ao Governo, que dê cumprimento e com a máxima rapidez às suas obrigações de iniciar as obras de reparação do IC1, colocando as indispensáveis condições de circulação em plena segurança de forma consentânea com o nível de serviço exigível a um eixo viário fundamental e salvaguardando o interesse público.

A acção de luta vai realizar-se no próximo dia 3 de Dezembro (Sábado), às 15:00, no Auditório da Junta de Freguesia de Santiago (União das Freguesias de Alcácer do Sal).

Continuar a ler

Sociedade

Novo Caminho de Santiago no Alentejo, Badajoz-Estremoz.

Caminho transfronteiriço liga-se no Alentejo

Publicado

em

“Novo Caminho de Santiago | Alentejo”

Caminho transfronteiriço liga-se no Alentejo

O Alentejo vai ter um novo Caminho de Santiago transfronteiriço que liga Badajoz ao Caminho Nascente em Estremoz.

No âmbito do projeto Caminhos Jacobeus do Oeste Peninsular, apoiado pelo INTERREG V A España
Portugal (POCTEP), que tem como objetivo identificar e promover os itinerários jacobeus
transfronteiriços, a Turismo do Alentejo e Ribatejo efetuou a ligação transfronteiriça de cerca de 70 km
de extensão do Caminho de Santiago Português Nascente e o Caminho Português da Raia, entre Elvas,
Vila Viçosa, Borba e Estremoz com Badajoz.

Esta iniciativa visa a sinalização, dinamização e valorização do património histórico, paisagístico e cultural deste território no sentido de promover esta variante e melhorar a experiência do viajante.

Dia 06 de dezembro arranca o primeiro de dois Colóquios, e no dia 07 de dezembro o primeiro Workshop, de três.

Os Eventos, que decorrerão entre os dias 06 e 16 de dezembro, são promovidos pela Turismo do Alentejo e Ribatejo, com o apoio dos Municípios de Elvas, Vila Viçosa, Borba, Estremoz e Portalegre, abordarão temáticas de Estruturação | Conhecimento | Experienciação | Dinamização dos Caminhos de Santiago no Alentejo.

Esta iniciativa é dirigida à comunidade, a entidades públicas e privadas locais e regionais, e contará com diversos oradores em sessões de sala e caminhadas.

Colóquio 06/dez/22

10h – 13hElvas
Biblioteca Municipal de Elvas Dra. Elsa Grilo
14h30 – 16h Experimentação do Caminho
Workshop 07/dez/22 10h – 13h Portalegre Museu da Tapeçaria de Portalegre Guy Fino
Workshop 15/dez/22 10h – 13h Borba Cine-Teatro Municipal de Borba
Workshop 15/dez/22 14h30 – 17h30 Vila Viçosa Pousada Convento Vila Viçosa
Colóquio 16/dez/22

10h – 13h

Estremoz

Biblioteca Municipal de Estremoz
14h30 – 16h Experimentação do Caminho

Continuar a ler

Gastronomia

Batata doce com semana Gastronómica

A “Mostra Gastronómica do Concelho de Grândola” vai decorrer de 1 a 11 de dezembro.

Publicado

em

Semanas Gastronómicas da batata-doce

arrancam amanhã em Grândola

A última edição de 2022 da mostra gastronómica promovida pelo Município de Grândola é dedicada à batata-doce. O produto endógeno é o principal ingrediente das ementas propostas pelos 10 restaurantes participantes.

Frita, assada, em puré ou migas, a batata-doce a apresentada no cardápio como acompanhamento das carnes grelhadas, da tradicional carne de alguidar, do coelho frito, do robalo, do entrecosto ou do lombo assado e das bochechas no tacho, dos secretos, lombinhos, lagartos ou do churrasquinho de porco preto.

Há ainda propostas novas como o chili com batata-doce, o falafel com quinoa e batata-doce assada ou o puré de mousseline com posta de bacalhau e farofa de pão com batata-doce.

Como sobremesa as sugestões dos restaurantes são as azevias, o bolo, a tarte, o pudim e a mousse de batata-doce com frutos vermelhos.

A “Mostra Gastronómica do Concelho de Grândola” vai decorrer de 1 a 11 de dezembro.

Continuar a ler

ÚLTIMAS

Facebook

x
error: O conteúdo está protegido!!