Últimas:
Alqueva ‘promove’ brisas de várias intensidades. – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos
blank

Sociedade

Alqueva ‘promove’ brisas de várias intensidades.

Este é o resultado de um estudo da Universidade de Évora.

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Investigadores no Instituto de Ciências da Terra da Universidade de Évora confirmaram que o gradiente térmico à superfície entre o centro da albufeira e as margens permite o estabelecimento de brisas de lago e terra, numa zona onde a albufeira tem cerca de 2 km de largura de margem a margem.

“Brisas no Alqueva”

As conclusões constam do artigo científico “Lake and Land Breezes at a Mediterranean Artificial Lake: Observations in Alqueva Reservoir, Portugal” da autoria dos investigadores do Instituto de Ciências da Terra (ICT) da Universidade de Évora, Carolina Purificação, Miguel Potes, Gonçalo Rodrigues, Rui Salgado e Maria João Costa entretanto publicado na revista “Atmosphere”. Os autores do estudo confirmaram com o estudo que o gradiente térmico à superfície entre o centro da albufeira e as margens permite o estabelecimento de brisas de lago e terra, numa zona onde a albufeira tem cerca de 2 km de largura de margem a margem.

Os investigadores destacam que conseguiram obter a duração e intensidade das brisas, sendo que a intensidade para as brisas de lago é entre 1 e 2 m/s e para as brisas de terra entre 0.5 e 1.5 m/s, verificando-se que as brisas de lago ocorrem com maior frequência entre as 07h e as 16h, e as brisas de terra entre as 17:h e as 08h (UTC), resultados possíiveis tendo por base os dados recolhidos no âmbito do projeto ALOP – ALentejo: sistemas de Observação e Previsão -, junto à albufeira de Alqueva,  entre 2017 e 2019.

Outro ponto a destacar no estudo são as condições necessárias para o desencadear de cada uma das situações, brisa de lago ou de terra, avançado os investigadores que “as condições necessárias para a formação de brisas de lago e de terra são a existência de um gradiente térmico entre as margens e o centro do lago associado a condições de vento fraco”.

O artigo agora publicado aprofunda desta forma os resultados obtidos pela primeira autora do artigo, Carolina da Purificação, na sua tese de mestrado em Ciências da Terra e da Atmosfera, realizada na Universidade de Évora, contendo ainda novos resultados que ajudam a melhor compreender o impacto de Alqueva no clima regional.

Sociedade

O sul sem alerta meteorológico

A sul apenas descida da temperatura

Rádio e Televisão do Sul | TDS

Publicado

em

Alentejo sem ‘avisos’

“Mau tempo só no norte e centro”

Os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Coimbra, Leiria, Castelo Branco, Santarém e Lisboa estão sob aviso amarelo entre as 12h00 as 18h00 de hoje.

O aviso amarelo é emitido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) sempre que existe risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê para hoje no continente céu muito nublado, períodos de chuva ou aguaceiros, que poderão ser por vezes fortes, de granizo e acompanhados de trovoada.

A previsão aponta ainda para vento fraco a moderado do quadrante oeste, soprando por vezes forte no litoral oeste durante a tarde, e nas terras altas da região Sul, e pequena descida de temperatura, em especial da mínima.

As temperaturas mínimas vão oscilar entre os 9 graus Celsius (na Guarda) e os 16 (em Faro e Aveiro) e as máximas entre os 15 (na Guarda) e os 24 (em Santarém).

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!