Últimas:
Alentejo com mais populações de águias – TDS Radio e Televisão do Sul
Siga-nos

Sociedade

Alentejo com mais populações de águias

A águia-de-bonelli cresceu 140% em 15 anos e a águia-imperial-ibérica 60% nos últimos três anos.

Publicado

em

As populações de águias na região do Alentejo aumentaram nos últimos anos, avançou o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

“A águia-imperial-ibérica tinha deixado de se reproduzir no país na década de 1980, voltou a nidificar em Portugal em 2003.”

Segundo o mesmo relatório, a águia-imperial-ibérica apresenta um crescimento com tendência positiva, tendo nos últimos três anos um aumento de 60% da população (13 para 20 casais) e tendo um estatuto de conservação em Portugal avaliado como “criticamente em perigo”.

Na década de 1980 deixou de nidificar em Portugal e foi considerada extinta enquanto espécie reprodutora, mas a partir de 2003 voltou a reproduzir-se no país.

De acordo com a Lusa, estes números constam do Plano de Monitorização de Valores Naturais da Divisão de Áreas Classificadas da Direção Regional de Conservação da Natureza e Florestas do Alentejo (DRCNF-Alentejo), focado especialmente nas populações de águia-imperial-ibérica, águia-real e águia-de-bonelli no Alentejo, que foi apresentado esta quarta-feira, pelo ICNF, numa sessão online.

Relativamente à águia-real, comparando com dados de 2002 e 2004, considera-se que o crescimento da espécie está estável (nove casais nesses anos e 10 casais em 2020). A maior águia da Península Ibérica tem um estado de conservação definido como “em perigo”.

Já a águia-de-bonelli tem uma tendência positiva de crescimento, com um aumento de 140% nos últimos 15 anos (27 casais em 2005 e 65 casais em 2020), e um estatuto de conservação avaliado como “em perigo”.

Além disso, o ICNF adianta que foi libertada, na passada terça-feira, uma águia-imperial-ibérica no Parque Natural do Vale do Guadiana. Tinha sido recolhida doente pela GNR em dezembro passado, no distrito de Beja.

O trabalho de monitorização juntou, além do ICNF, o projeto Biotrans, Gestão Integrada da Biodiversidade na Área Transfronteiriça, que é cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Interreg V-A Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020.

O objetivo do projeto é a gestão conjunta e integrada da conservação da biodiversidade na região EUROACE (Centro-Alentejo-Extremadura), através de ações conjuntas e sinérgicas entre parceiros portugueses e espanhóis para proteger e conservar grupos biológicos e espécies identificadas na área.

Continuar a ler
Publicidade

Sociedade

Buscas em poço para tentar encontrar idoso. Bombeiros e GNR no terreno.

Efectivos aumentam na operação de Gavião. TDS acompanha em direto.

Publicado

em

TDS no local a acompanhar as buscas

“Homem de 84 anos desaparecido”

GNR e Bombeiros de Gavião estão no terreno em busca de um homem de 84 anos.

As buscas começaram ontem pelas 22h45 e estão a decorrer mas hoje com um número inferior de efectivos.

A informação dada as autoridades é de que o homem sofre de doença psíquica.

Nesta altura estão envolvidos 15 operacionais com 5 viaturas nas buscas.

(em desenvolvimento)

Continuar a ler

Autarquias

Presidência nas freguesias em Santiago do Cacém.

Freguesia de Vale de Água.

Publicado

em

Presidência nas Freguesias

Santiago do Cacém

A iniciativa Presidência nas Freguesias esteve na União de Freguesias de São Domingos e Vale de Água, de 11 a 13 de maio, com a presença do Presidente e dos Vereadores com pelouros da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, e da Presidente da União das Freguesias, Ana Gonçalves, acompanhados pelos técnicos das respetivas áreas, com o objetivo de contactarem e de se inteirarem das preocupações da população.

O Presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, sublinhou que “é sempre importante estarmos no terreno, para fazer o levantamento das situações e encontrarmos soluções para cada uma das localidades.” O Autarca lamentou que o processo levado a cabo pelo Governo, há alguns anos, tenha conduzido à extinção das duas Juntas de Freguesia, “um erro na nossa opinião e que a população continua a não compreender.”

Da visita, Álvaro Beijinha destaca na educação “os investimentos que a Câmara Municipal tem realizado de forma a manter e a salvaguardar as escolas rurais, quando, infelizmente, os sucessivos Governos têm uma política que vai no sentido de as encerrar.

Consideramos que é extremamente importante para as localidades manter estes equipamentos, e dou um dado em concreto, o Pré-escolar em Vale de Água esteve para encerrar, porque realmente tinha dois alunos, mas nós solicitámos a sua suspensão e, atualmente, é com muita satisfação que vemos 14 alunos nesta escola.” Para Álvaro Beijinha este crescimento está também ligado a dinâmicas de carácter empresarial na área da agricultura e do turismo, “assim como de algumas famílias que procuram esta União das Freguesias para criar os seus filhos com outra qualidade de vida.”

Depois de dois anos de pandemia foi possível visitar a Casa do Povo de São Domingos e o Centro de Dia de Vale de Água, e “sentimos as dificuldades por parte da Casa do Povo, que gere os equipamentos, porque ambas as instituições têm vindo a perder utentes, o que dificulta a gestão. Por isso, esta é uma matéria que merece, por parte da sociedade e do Poder Político, uma reflexão sobre o futuro destes equipamentos.” Os autarcas ficaram também a par do projeto da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano para a remodelação da extensão de saúde de São Domingos.

Na área do Turismo, a comitiva ficou a conhecer os empreendimentos de turismo no espaço rural, o Estrela do Cerro e o Monte do Salgueirinho, e realizou a, já habitual, visita ao Museu da Farinha e ao turismo rural Casa da Moagem, “onde os empresários sentem já a retoma.”

O programa incluiu a visita à barragem de Fonte Serne, onde houve oportunidade de ver “finalmente a ligação a Alqueva, algo que a Câmara Municipal, em conjunto com a Associação de Regantes e Beneficiários de Campilhas e Alto Sado, há anos haviam colocado à EDIA e às Águas de Santo André. Agora defendemos a ligação a Campilhas, que atualmente tem uma quota de 4% a mais baixa do país, porque a sobrevivência da agricultura de regadio na nossa região depende muito desta ligação, assim como os projetos turísticos que pretendem desenvolver-se nas margens desta barragem,” referiu o Presidente da Câmara Municipal. Da iniciativa fez também parte a visita à exploração agrícola e de secagem de arroz de Joaquim Sobral, ao Monte dos Alhos, ao Monte da Vinha e à Herdade do Cebolal. O Centro de Colheita de Sémen de Suíno de Vale de Água (AIM CIALA) também recebeu a visita da comitiva.

Álvaro Beijinha expressou que para combater o “flagelo da desertificação destas freguesias rurais realizámos muito investimento público, quer seja nos equipamentos desportivos, educativos, no espaço público, quer no apoio ao associativismo, e vamos continuar a fazê-lo.”

No âmbito da política de descentralização, levada a cabo pela Autarquia, o programa incluiu reunião com o movimento associativo, que decorreu no edifício da Sede da Junta de Freguesia, em São Domingos, e a reunião de Câmara, que se realizou nas instalações da Delegação da Junta de Freguesia, em Vale de Água.

Continuar a ler

x
error: O conteúdo está protegido!!